POPLOAD Festival: Listamos os shows que você não pode perder da edição que acontece no Dia das Crianças

 POPLOAD Festival: Listamos os shows que você não pode perder da edição que acontece no Dia das Crianças

Pixies retorna ao país para se apresentar no POPLOAD Festival e para mostrar em primeira mão o recém lançado “Doggerel”- Foto Por: Tom Oxley

Após anos sem edições o POPLOAD Festival finalmente acontece na quarta-feira (12/10), em pleno feriado de Nossa Senhora Aparecida para alguns e para outros um verdadeiro Dia das Crianças versão Indie. O festival acontece em um local novo, no Centro Esportivo Tietê, parque localizado na região central de São Paulo – e o mesmo escolhido para o show do Paramore que teve as vendas abertas hoje e esgotou em cerca de 30 minutos.

O line up conta com  Pixies, Jack White, Chet Faker, Cat Power, Perotá Chingó e Jup do Bairro. A novidade é a inclusão da banda Fresno no line-up que se apresenta em show com participação da baiana Pitty. A baixa fica por conta do grupo de electro-pop londrino Years & Years, que precisou cancelar a presença no POPLOAD Festival, por motivos fora do controle da organização do evento.

Organizado pela Tickets For Fun o evento tem bilheteria oficial (sem taxa) no Teatro Renault (Av. Brigadeiro Luís Antônio, 411 – República). Você também pode garantir seu ingresso no site oficial da produtora.

Garanta Seu Ingresso para o POPLOAD Festival clicando aqui!

Sobre a estrutura, a organização aproveitou para anunciar que o evento contará com diversas atividades e experiências de marcas patrocinadoras. Além disso, o evento contará com área de alimentação espalhada pelo Centro Esportivo Tietê, com mais de 19 restaurantes e food trucks confirmados, tendo variadas opções de hambúrgueres, choripanes, tacos, wraps, espetinhos, cachorro-quente, pastéis, alternativas vegetarianas e veganas.

Entre as cervejas, a Heineken levará para o festival o seu chopp, em opções com e sem álcool, a californiana Lagunitas também estará presente no cardápio. Já a Tanqueray trará um drink especial para o festival, POPGIN & TONIC, feito com gin Tanqueray London Dry, tônica, Easy Drinks de frutas tropicais e espuma de limão siciliano. Vinhos em lata da Vivant (tinto, branco e frisante rosé) estarão disponíveis, assim como a Baer-Mate.

O festival disponibilizará o serviço de lockers, que já podem ser adquiridos aqui. Disponíveis nos tamanhos P, M e G, os lockers são ideais para guardar itens pessoais, como mochila, óculos de sol e casaco. Há ainda, dentro dos compartimentos, uma entrada UBS/USB-C que possibilita recarregar aparelhos eletrônicos, como celulares e power bank. Vale lembrar que será reservada uma quantidade de lockers para venda no dia do evento, mas apenas a compra antecipada garante a reserva dos mesmos.

Os Shows que você não pode perder no POPLOAD Festival


Pixies por Tom Oxley - Popload Festival
Pixies retorna ao país para se apresentar no POPLOAD Festival e para mostrar em primeira mão o recém lançado “Doggerel”- Foto Por: Tom Oxley

Listamos os shows que você não pode perder e os motivos. Confira a nossa lista e se prepare para o festival!

Pixies

Após a volta em definitivo em 2004, e a saída conturbada da baixista Kim Deal, que consequentemente trouxe Paz Lenchantin para o seu lugar, o Pixies aumentou a constância de lançamentos, e nos últimos dez anos dobrou sua discografia com o lançamento dos discos Indie Cindy (2014) Head Carrier (2016) Beneath the Eyrie (2019) e Doggerel (2022). A última vinda do grupo liderado por Black Francis, que além de Paz conta com  Joey Santiago e Dave Lovering, na bateria, foi inclusive em 2014 no Lollapalooza, sendo a oportunidade de ouvir pela primeira vez no país as canções presentes nos outros discos.

Os fãs brasileiros terão duas chances de vê-los, além do festival, o grupo de Boston (EUA) se apresenta no Rio de Janeiro no dia 11 de outubro no Vivo Rio pela Popload Gig com abertura da gorduratrans.

Versões para Cecilia Ann (The Surftones), “Head On” Jesus and Mary Chain, além de “Wave of Mutilation (em versão surf music) costumam aparecer no set entre clássicos dos três primeiros discos que consagraram a banda. É um show fan service de uma banda muito mais entrosada do que da última vinda.

O novo disco deve ganhar algumas faixas também no set, o lançamento foi produzido Tom Dalgety (Royal Blood, Ghost) e o guitarrista e vocalista Black Francis.

“Estamos tentando fazer coisas muito grandes, ousadas e orquestradas. O material punk, eu realmente gosto de tocar, mas você simplesmente não pode criar artificialmente. Há outra maneira de fazer isso, há outras coisas que podemos fazer com essa energia extra que estamos encontrando”, reflete Black Francis.

“Desta vez nós crescemos. Não temos mais músicas com menos de dois minutos. Temos pequenas pausas, arranjos mais convencionais, mas ainda nossas reviravoltas”, complementa o guitarrista Joey Santiago sobre o disco com 12 faixas lançado pela BMG

Jack White

Jack White é um daqueles gênios meticulosos que não descansa em serviço, assim como os integrantes do Superchunk, com a Merge Records, ele lidera a Third Man Records – e somente neste ano lançou dois novos discos de estúdio. O último deles, Entering Heaven Alive, com músicas mais para músicas mais intimistas, acústicas e bluseeiras. Já em Fear of the Dawn ele mostra o lado mais versátil do eterno vocalista do The White Stripes, The Dead Weather e The Raconteurs.

Os shows do músico devido ao repertório que vai do rock de garagem passando ao blues costumam passear pela carreira do músico como um todo, então é como poder assistir a um pouco de cada projeto, o que anima a todos que acompanham o trabalho do músico desde os tempos da MTV!

Chet Faker

Dá para dizer que o músico terá a chance de fazer as pazes com o país depois de uma passagem conturbada durante o Converse Rubber Tracks e um pausa na carreira Nick Murphy, que assina seus trabalhos como Chet Faker retorna ao país. No evento citado ele sofreu com o extravio de seu equipamento, o que prejudicou seu show sem ter seu teclado customizado – e claramente deixou o músico estressado abreviando a apresentação do australiano no Cine Joia.

Hotel Surrender (2021) é o primeiro material do músico desde o sucesso de Built on Glass e marca a volta dele ao país, quem sabe com mais sorte e muitos hits na bagagem.

“Passei por vários choques de realidade. Eu realmente pensei na música sob uma luz diferente. Eu vejo isso como uma terapia de grupo agora. Acho que costumava ver o processo criativo como um flagelo, como se estivesse em uma cruzada ou uma odisséia dificílima. Agora vejo que é mais xamanístico.

Você tem que encontrar alguma luz – ou às vezes escuridão, o que for certo – e compartilhá-la. Percebi que esse era o núcleo do projeto Chet Faker. E eu senti como se o mundo estivesse sofrendo e pensei: ‘Posso fazer algo pequeno para dar alegria às pessoas’”, revela o músico sobre a produção do disco

Cat Power

Todos deveriam poder ao menos assistir uma vez a uma apresentação da Cat Power. Carismática e com voz doce, ela levará a dose de “sofrência indie” para os palcos do POPLOAD Festival. Aos 50 anos, ela mostrará de novidade para os fã brasileiros o álbum Wanderer (2018) e quem sabe entra no set alguma das belíssimas versões do disco Covers, seu décimo primeiro disco, lançado neste ano, com releituras de artistas como The Replacements, Frank Ocean, Billie Holiday, Lana Del Rey, Iggy Pop, Nico, Nick Cave and the Bad Seeds, The Pogues, Bob Seger entre outros.

Ela está em turnê com este disco e nos últimos setlists as faixas “Bad Religion” (Frank Ocean) e “(I Can’t Get No) Satisfaction” (The Rolling Stones), estiveram presentes.

Perotá Chingó

Em questão de uma semana poder assistir Él Mató a un Policía Motorizado e Perotá Chingó é um tremendo privilégio para os fãs brasileiros do rock latino. Originalmente formada por Dolores Aguirre e Julia Ortiz, ainda em 2011, o grupo é um fenômeno e já teve sua música rotulada, veja só, como música de viajante.

O quarteto que também conta com o percussionista brasileiro Martín Costa e o guitarrista uruguaio Diego Cotelo, já lançou 4 discos, Un viajecito (2012), Perotá Chingó (2013), Aguas (2017) e Muta (2019). No ano passado lançaram um disco ao vivo disponível nas plataformas de streaming.

Fresno, Pitty e Jup do Bairro

O emo venceu? Se depender do Fresno e da Jup do Bairro isso é quase uma verdade absoluta. Aliás, um encontro de ambos artistas no palco poderia ser uma cereja no bolo para os fãs já que na mixtape INVENTÁRIO, em “E Veja Só“, acontece uma colaboração de quase dois minutos com a intensidade lá em cima. Fã confessa dos porto alegrenses, na época Jup se emocionou a contar sobre o feat.

Mas encontro que está garantido mesmo é o da Fresno com a Pitty, e quem diria, parece até daqueles encontros que a Coca-Cola ou a MTV podia proporcionar durante os anos 2000, não é mesmo? Inclusive, a própria Jup também foi fominha e participou do último EP da baiana, Casulo, na faixa “Busca Implacável” em parceria com Badsista.

Tendo lançado recentemente o clipe para “Casa Mal Assombrada” e com turnê no exterior marcada, a Fresno apresentará canções do seu recente disco Vou Ter Que Me Virar (leia resenha), em set que contempla sempre hits dos mais de 23 anos de carreira. Agora é aguardar para ver qual vai ser a surpresa que a participação de Pitty trará. Definitivamente o emo que vive dentro de você já venceu.


Fresno - Vou Ter Que Me Virar por Camila Cornelsen POPLOAD festival
FresnoFoto Por: Camila Cornelsen

Confira os horários do POPLOAD FESTIVAL 2022:

12 de outubro, quarta-feira
11h – abertura de portões
12h10 – Jup do Bairro
13h20 – Perotá Chingó
14h40 – Fresno & Pitty
16h – Cat Power
17h30 – Chet Faker
19h – Jack White
20h45 – Pixies

POPLOAD FESTIVAL 2022
Realização: TIME FOR FUN

Data: 12 de outubro, quarta-feira
Local: Centro Esportivo Tietê. Av. Santos Dumont, 843 – Luz, São Paulo
Capacidade: 15.000 pessoas

Rafael Chioccarello

Editor-Chefe e Fundador do Hits Perdidos.

Related post

error: O conteúdo está protegido!!