19ª edição do No Ar Coquetel Molotov divulga o line up completo; saiba mais e garanta seu ingresso

 19ª edição do No Ar Coquetel Molotov divulga o line up completo; saiba mais e garanta seu ingresso

Jup do Bairro é uma das atrações da 19ª edição do No Ar Coquetel Molotov – Foto Por: Valdinei Souza

Programada para o dia 19/11, no Campus da UFPE, em Recife (PE), a 19ª edição do festival No Ar Coquetel Molotov, volta ao lugar onde tudo começou. Para quem ainda não sabe, por quase uma década o Campus da UFPE foi a sede do festival e agora volta a ser.

Ao todo serão 4 palcos que se dividirão entre a Concha Acústica e a área exterior da universidade, marcando o regresso do formato de grande festival. A edição de 2022 do No Ar Coquetel Molotov, segundo os organizadores, chega com “um line-up diverso, que mistura artistas já consagrados com o que acabou de estourar na internet, além de trazer de volta artistas que tem uma ligação especial com o festival e tentar atender os muitos pedidos do público, não deixando de fomentar a cena local.”

Garanta seu Ingresso para o festival agora mesmo clicando aqui!


Jup do Bairro_crédito Valdinei Souza - 19ª edição do No Ar Coquetel Molotov
Jup do Bairro é uma das atrações da 19ª edição do No Ar Coquetel MolotovFoto Por: Valdinei Souza

O Line Up da 19ª edição do No Ar Coquetel Molotov

Com mais de 30 atrações e 16 horas de evento programadas para acontecerem na capital de Pernambuco, ao longo dos últimos meses o festival revelou aos poucos suas atrações. Entre eles Letrux, Rico Dalasam, Flora Matos, Marcos Valle, Don L, Jup do Bairro, Brasil Grime Show e Jovem Dionísio.

As Novidades no line up divulgadas nesta sexta-feira (07/10)

Como novidade o festival anuncia a entrada das gêmeas Tasha & Tracie, destaques do rap paulista, únicas representantes do Brasil no BET Hip Hop Awards 2022, e também indicadas ao Prêmio Multishow 2022.

Vinda do Reino Unido com apoio do Edital Cultura Circular, Glor1a é descendente de nigerianos, jamaicanos e escoceses e inspirada pela ficção científica e folclore africano, usa essas estruturas para criar arte que desafia a sub-representação de mulheres queer de cor nesses gêneros. Seu trabalho se encontra na intersecção de música, arte e tecnologia, e adora usar isso para criar novas atmosfera sonoras por meio de colaborações emocionantes.

O encontro da Orquestra Jovem de Pernambuco com Karina Buhr abrindo a programação do Palco Natura promete ser um dos momentos singulares da edição 2022. O show é uma bela homenagem ao maestro Rafael Garcia, fundador da orquestra, falecido no ano passado, além de celebrar os 30 anos do movimento pernambucano manguebeat.

A baiana Melly, que vem se destacando com seu trabalho inspirado no soul e R&B, e tem apenas 20 anos. Além das influências do jazz, blues e soul, ela bebe na fonte do samba-reggae, trap, pagodão, do toque Ijexá e da percussão.

GIO traz todo o afrofuturismo de Nebulosa Baby, segundo disco lançado no ano passado, focado no experimentalismo de uma sonoridade eletrônica minimalista, ligada à música orgânica e à tradicional canção brasileira, celebrada em seu primeiro álbum, Japanese Food (2017).

Cantora do povo Tikuna, a maior nação indígena do país, Djuena é uma artista da Amazônia, da região do Alto Solimões. Nasceu em Umariaçu, onde o rio “banzeira as fronteiras” do Brasil, Peru e Colômbia. Djuena (“a onça que pula no rio”) canta a cultura do seu povo, mantendo viva a sua história. Seu canto de luta e resistência tem sido exemplo para as novas gerações que como ela “segue parte de um caminho que outros seguirão”.

Com uma carreira iniciada em 2018 no YouTube, Ivyson mistura de indie rock com maracatu. No show do Coquetel Molotov, ele propõe um momento especial, com a participação de Louise França, filha de Chico Science.

Flertando com o brega e bregafunk – ritmo aclamado e bastante reproduzido no seu estado de origem – com influências contemporâneas, com beats mais eletrônicos e elementos do funk carioca, UANA começou a ter uma grande projeção com shows, clipes e singles nos últimos dois anos.

“Venho me reinventando musicalmente, fazendo novas parcerias musicais e experimentando dentro do gênero brega, que é um universo com muitas possibilidades, com muita gente criando e renovando o mesmo”, reforça a cantora.

Do Espírito Santo vem Budah, com múltiplas influências que vão do R&B ao samba, do soul ao trap. Destaque para as apresentações marcantes como a do projeto Colors.



Nascido e criado em Olinda (PE), Léo da Bodega teve contato desde cedo com a Cultura Popular e ao passar dos anos se envolveu em vários projetos artísticos, musicais e sociais. Com ideia de misturar toda essa vivência artística com um gênero mais atual, Leo lançou em 2020 um trabalho que vem com batidas de Trap junto com amigos/beatmakers/produtores locais. Agora com uma levada mais puxada pra Disco e R&B, Leo da Bodega lançou “Fica essa Noite” confirmando sua versatilidade.

“Tem sido um desafio realizar mais uma edição neste retorno. É um quebra-cabeça entre criar uma programação diferente do que vem rolando nos outros festivais com as dificuldades de captar recursos em um projeto no Nordeste, em um estado que não tem Lei de Fomento e Incentivo Fiscal com mecenato. Mas isso tem sido a nossa energia motora para fazer acontecer e ter mais um ano histórico. Voltar para a nossa casa na UFPE será emocionante”, revela Ana Garcia, diretora do festival.

O Palco Eletrônico do Coquetel Molotov, Kamikaze

Palco Kamikaze – Com a curadoria de Libra, o palco eletrônico traz um recorte fresco da cena atual com apresentações de MC Carol, que fez uma apresentação apoteótica na última edição espanhola do festival Primavera Sound; do duo Taxidermia, composto pela união bombástica de Jadsa com João Milet Meirelles (BaianaSystem); o tecnomelody, tecnobrega e eletrotecno de Miss Tacacá, travesti paraense que se apresenta pela primeira vez no Recife.

Neste palco, o público também vai vibrar com Makeda, que traz um set recheado de Afrohouse, Afro Tech e Kuduro; todo o experimentalismo que passa pelos mais diversos gêneros do underground eletrônico na apresentação de KENYA 20hz; o projeto Brasil Grime Show que traz pro holofote novos nomes da cena local convidando Margot, Adelaide, Bione e Kael sem lote.

Além deles, DJs de festas já consagradas como a Festa DIP, que fomenta a cena noturna recifense abrindo espaço para DJs iniciantes e LGBTQIA+, vem com em um feat com GUEROS, projeto artístico do caruaruense Jonata Gueiros, com produções que misturam vertentes do house music, como o acid house, vocais/elementos de funk e outras sonoridades brasileiras e o BAILE DO MARLEY, que convida Rayssa Dias e Gui da Tropa.

“A música eletrônica se amplia quando percebemos a sua forte presença nos movimentos oriundos das periferias e das coletividades negras e/ou latino americanas. A partir disso, a gente consegue enxergar o surgimento de uma nova onda sonora-musical que tem dado protagonismo às musicalidades surgidas desses movimentos, mesclando novos estilos do hip hop, dos funk’s brasileiros, do techno ao brega”, complementa Libra.

Palco Som na Rural

Som na Rural – O experimentalismo é a tônica do palco dirigido por Benke Ferraz, do Boogarins. Do projeto promovido pelo Coquetel Molotov, a Incubadora Musical de Pernambuco apresenta Mun há + Maeve + Junkie Brodis. A Incubadora Musical de Pernambuco é um projeto para auxiliar artistas emergentes do interior do estado e que teve suas etapas realizadas em julho e agosto, no Armazém da Criatividade em Caruaru.

Da junção Venezuela/Goiânia,vem o pop/noize/eletrônico da dupla Carabobina, que lançou durante a pandemia seu primeiro disco e se apresenta pela primeira vez na cidade. Outro duo que também vem pela primeira vez pro Recife é o paulistano Test, com seu grindcore/death metal.

No palco do Som na Rural, pela primeira vez também o encontro dos sergipanos do Cidade Dormitório com Tori, alcunha da  musicista e cantora sergipana Vitória Nogueira. Do agreste pernambucano vem o Lado Fim do Mundo, com o seu rock “rural” inspirado no Boogarins, Tagore e em artistas contemporâneos da sua cena como Bule e Guma.  O encontro do compositor, produtor, arranjador e baixista Matheus Dalia e a cantora e compositora Bruna Alimonda no projeto Dersuzalá, que acabou de lançar o EP “Longe, Longe, Longe”.

“O Som na Rural é um marco da cena cultural pernambucana, já esteve diversas vezes no Coquetel  e representa essa conexão do festival com o novo da cidade, o espaço para festas e expressões culturais de rua”, ressalta Benke. A curadoria do palco da Rural neste ano traz artistas novos pernambucanos que nunca se apresentaram no festival. “Tem bandas que conheci através da Incubadora. Tem outras como o Test, que já tem essa vocação de se apresentar na rua e que fez nome tocando na porta do metrô de São Paulo e em grandes shows de heavy metal, além de outros nomes que trazem essa efervescência e energia da música sem um palco convencional”, complementa.


Carabobina_crédito Alejandra Luciani - 19ª edição do No Ar Coquetel Molotov
CarabobinaFoto Por: Alejandra Luciani

Festa Na Laje

Na Laje – A parceria de três anos com a Feira Na Laje se estende para mais esta edição. O projeto traz a curadoria de produtos criativos de pequenos produtores de Recife e João Pessoa nos segmentos de decoração, autocuidado, moda, armazém, papelaria, jardinagem e artes.

Coquetel Molotov Negócios 2022

Coquetel Molotov Negócios 2022 – De 16 a 18 de novembro acontece mais uma edição do evento voltado para o business do mercado musical, com um foco no intercâmbio e fortalecimento dos empreendedores locais.

“Esta é a 4ª edição do Coquetel Molotov Negócios e é uma grande oportunidade para artistas de todo o estado de Pernambuco mostrarem seu trabalho para compradores de todo o Brasil, além de participarem de diversas mesas e oficinas gratuitamente”, conta Ana Garcia, diretora do festival.

“Estamos trazendo questões bem atuais do momento e é a primeira vez que convidamos outros profissionais e produtores como Lenne Ferreira e Mau Spinelli para a curadoria dos Pitchings”, completa

E na penúltima semana de novembro, o Coquetel Molotov volta ao interior de Pernambuco realizando mais uma edição do festival na cidade de Belo Jardim, onde tradicionalmente leva oficinas, apresentações e outras atividades. Na “Terra de Músicos”, o No Ar realiza shows gratuitos no Parque do Bambu no dia 26 de novembro.

Os ingressos do evento custam R$ 90 (terceiro lote meia), R$ 100 (terceiro lote social) e R$ 180 (terceiro lote inteira) e já estão disponíveis através do Sympla.

SERVIÇO:

19ª edição do No Ar Coquetel Molotov

Dia 19 de novembro, no Campus da UFPE

Shows com: Tasha & Tracie, Letrux, Rico Dalasam, Flora Matos, Marcos Valle, Don L, Jup do Bairro, Brasil Grime Show com Margot, Adelaide, Bione e Kael sem lote, Jovem Dionísio, MC Carol, Taxidermia, Carabobina, Miss Tacacá, IVYSON feat Louise França, Orquestra Jovem de Pernambuco com Karina Buhr, Budah, Melly, Leo da Bodega, Djuena Tikuna, Uana,  Glor1a (UK),  Lado Fim do Mundo, KENYA 20hz, Test, Makeda, Cidade Dormitório + Tori, Dersuzalá, Incubadora apresenta: Munha + Maeve + Junkie Brodis,  Festa DIP convida Gueros e BAILE DO MARLEY.

Ingressos: R$ 90 (terceiro lote meia), R$ 100 (terceiro lote social) e R$ 180 (terceiro lote inteira), disponíveis no Sympla

Patrocínio: Natura Musical, Prefeitura do Recife e Companhia Editora de Pernambuco
Apoio: Moura, Moka, Trend Mídia, Livre de Assédio, no Brasil, Edital Cultura Circular do Oi Futuro e British Council

Realização: Coda Produções

Mais Informações: www.coquetelmolotov.com.br | @noarcm

Rafael Chioccarello

Editor-Chefe e Fundador do Hits Perdidos.

Related post

error: O conteúdo está protegido!!