As sessions tem um papel fundamental tanto na divulgação do trabalho dos estúdios envolvidos neste tipo de projeto como para novos artistas. É uma oportunidade de mostrar o trabalho nu e cru para muitos que ainda não puderam presenciar uma apresentação ao vivo do artista – ou sequer o conhecem.
Iniciativas como a Inhame Sessions e Jukebox Sessions vem para somar a outros ótimos que já falamos por aqui. Desta vez as duas sessions que falaremos contam com artistas que tem se destacado no cenário nacional com ótimos lançamentos diga-se de passagem. Estes que tem os levado para tocar muito além da cidade onde residem.

PAPISA participou da Inhame Sessions Foto: Kalaf Lopes

Inhame Sessions

PAPISA é o projeto solo de Rita Oliva (Cabana Café, P A R A T I) que em novembro do ano passado disponibilizou suas primeiras três canções através do PAPISA EP que saiu pelo selo pernambucano PWR Records. Este que a estética Dream Pop, Psicodélica, lo-fi, rock alternativo me agradou bastante. Tanto é que “Instinto” toca direto na programação do Hits Perdidos e Dezgovernadoz – programas da Mutante Radio.
Este ano a artista paulista lançará seu primeiro disco. Ela que está na programação do Festival Bananada que acontece nestes dias em Goiânia – inclusive tocou ontem (09/05) – e segue em turnê: Brasília (Hostel 7 – 11/05), Belo Horizonte (A Obra Bar – 17/05), Juiz de Fora (MG) – (Maquinaria – 18/05).
Para a session gravada no Inhamestúdio (Cotia – SP) ela decidiu tocar pela primeira vez “Curva” esta canção que fará a transição entre o EP e o álbum que será lançado no segundo semestre.
Esta nova faixa fala sobre um tema um tanto quanto interessante que vale o comentário da artista:
“Fala sobre a dúvida que precede uma mudança inevitável: o momento suspenso entre ouvir a intuição e confiar no instinto para agir”, divaga Rita Oliva
A session também conta com o já hit “Instinto”. Ambas canções são executadas sob uma iluminação avermelhada  e escura que dão toda a mágica para que o registro seja algo único e denso.
Gravada pelo Inhamestúdio, a faixa tem captação de áudio, mixagem e masterização de Rubens Adati e captação de vídeo de Yasmin Kalaf. A edição de vídeo também é de Rubens Adati.
Sobre os ares do estúdio de Cotia Rita comenta: “foi a primeira gravação no formato de show solo que venho trabalhando agora. E por estarmos no meio do mato, conseguimos criar o clima ritualístico que é tão importante pra PAPISA”.


Jukebox Sessions

Tendo iniciado suas sessions em 2012 o Estúdio Jukebox de Volta Redonda (RJ) está em sua segunda temporada de gravações. O ideal e propósito do projeto continua o mesmo de seu início: transmitir a energia e a forma mais sincera da apresentação de uma banda, sem playback e correções posteriores.

A banda porto alegrense Cattarse participou da última gravação das Jukebox Session em Volta Redonda. Click por Cris Santoro durante o lançamento do disco Black Water


Os responsáveis pelo estúdio são Kleber Mariano e André Leal ambos membros da Stone House On Fire e de outros projetos musicais como o Buzz Driver, Nãda e Carbo.

“Surgiu porque a gente queria mesmo registrar bandas que a gente curte ouvir num formato ao vivão mesmo. Bandas que a gente curte principalmente vendo ao vivo. Tudo começou só com bandas de Volta Redonda e com o tempo foi abrindo o leque pra bandas de todo o brasil que de alguma forma estavam de passagem pela cidade.
Sobre a maneira como o projeto é feito André comenta:

É tudo no amor, a gente não cobra nada das bandas, e a ideia é captar a energia e o momento da banda tocando ao vivo. Então a gente faz sem overdub e com o mínimo de takes possível, pra ficar bem descontraído.

Durante as sessions já passaram bandas como Lively Water (MG), Talude (RN), Eu, Você e a Manga (Volta Redonda – RJ), Amplexos (Volta Redonda – RJ), The Alchemists (Volta Redonda – RJ), Deaf Kids (SP), Quarto do L (Volta Redonda – RJ) e Derival (Volta Redonda – RJ).
O vídeo mais recente foi lançado nesta quarta-feira (10/05) com a participação da banda porto alegrense Cattarse. Esta que lançou seu segundo álbum, Black Water, no ano passado.
Elogiadíssimo ele chegou a entrar na lista de 100 Hits Perdidos do Indie Nacional em dezembro do ano passado. A banda assinou com o selo independente carioca Abraxas Records este que também conta com as já citadas Lively Water e Stone House On Fire.
Desde então a banda gaúcha tem excursionado pelo país com shows em São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Tendo já tocado ao lado de importantes bandas da cena de rock torto como Muñoz, Mar de Marte, Wolftrucker, Hammerhead Blues e I Am The Sun.
Confira as duas mais recentes Jukebox Sessions: Cattarse e Lively Water.


This post was published on 10 de maio de 2017 9:40 pm

Rafael Chioccarello

Editor-Chefe e Fundador do Hits Perdidos.

View Comments

Posts Recentes

Coletânea “Futuro do Passado” celebra os 40 anos de carreira de Lulu Santos com releituras indies

O ícone do pop nacional, Lulu Santos, é mais um dos artistas nacionais a ganhar…

14 de janeiro de 2022

Os 250 álbuns mais aguardados de 2022

Se 2021 foi marcado pelo lançamento de diversos singles e muitos discos durante o segundo…

13 de janeiro de 2022

Nietts traz à tona o momento político e sanitário do país em “Doloribus”

Quem no finzinho de 2021 voltou a apresentar um novo material foi o duo Nietts que…

12 de janeiro de 2022

As Melhores Live Sessions | Dezembro (2021)

As Melhores Live Sessions | Dezembro (2021) O Que São Live Sessions? Live Sessions tem…

11 de janeiro de 2022

Radio Color #3 – 20 Discos Independentes da América Latina que Marcaram 2021

20 Discos Independentes da América Latina que Marcaram 2021 Neste ano nasceu por aqui, a…

24 de dezembro de 2021

Os 25 Melhores EPs Nacionais de 2021

Os 25 Melhores EPs Nacionais de 2021 Em tempos onde o formato de compartilhamento da…

23 de dezembro de 2021

This website uses cookies.