Conheça os novos sons da La Burca, Desalmado, Bruxas Exorcistas e Beaufort

Preparamos uma seleção com destaques do rock nacional em diferentes vertentes. Mas se tem algo que poderia unir todas as bandas é justamente ser um Som de Peso. Por isso hoje separamos novidades do Desalmado, do novíssimo projeto Bruxas Exorcistas, La Burca e Beaufort.


La Burca Som de Peso

A banda La Burca, do interior paulista, lançou recentemente seu novo clipe “Mato Sem Cachorro” – Foto: Reprodução / Youtube


Bruxas Exorcistas “Vade Retro Satanás”

Podemos considerar as Bruxas Exorcistas uma superbanda, já que sua formação conta Virginie Boutaud (Metrô), Érika Martins (Autoramas), Lovefoxxx (Cansei de Ser Sexy), Apolônia Alexandrina (Anvil FX), Maria Paraguaya (Cigarras, Escambau), Camila Costa e Emilie Ducassé.

O primeiro single do projeto que está imerso no universo macabro e apocalíptico dos filmes de terror está saindo pelo selo Maxilar.

Por mais que a nossa atual realidade seja mais estranha que a ficção já que estamos passando por um momento onde destruição de biomas, de culturas, de vidas, de povos, de sonhos, de carreiras, florestas, rios, solos, um cenário desolador de silêncios e meias palavras é uma realidade iminente.

Exorcizando o caos do momento, entre notícias devastadoras, tensão, insegurança e conflitos, “Vade Retrô Satanás” traz em sua poesia sua força de protesto contra tamanho retrocesso.

Um recado direto para um certo “vereador federal” que abandonou o país entre as chamas da floresta amazônica e a necropolítica anti-máscara.



La Burca “Mato sem Cachorro”

Também catalisando a atmosfera apocalíptica da política brasileira, o power trio La Burca lançou o single “Mato sem Cachorro” via Coletivo Lança. A banda que completa dez anos de resistência no underground se prepara para lançar seu terceiro álbum de estúdio, Desaforo.

“Mato sem cachorro é um grito-uivo frente a todo o caos brasileiro, ao beco sem saída que nos encontramos com essa necropolítica, na saúde, cultura, contra o negacionismo e genocídio institucionalizado. Estamos na UTI e queremos viver, não aceitamos esse cenário.

A nossa motivação é continuar existindo, resistindo, amando, celebrando na medida do possível e produzindo música-arte contra todo esse lixo fascista, essa perversidade, essa perseguição sem fim aos LGBTQIA+, aos negros, mulheres, pobres e excluídes.

Não toleramos isso, não consentimos e não autorizamos essa loucura mórbida, essa banalização de balas perdidas sempre caçando e mirando corpos negros, corpos LGBTs, declara Amanda Rocha (guitarra e voz).

A canção também é um marco na história da La Burca já que é a primeira em português.

“O trecho ‘mato sem cachorro, fulana quer amar, deixa a gente amar’, conclama uma resistência, uma força que nos conduz a existir, a sermos quem somos, não vamos deixar de amar, de ser quem a gente é.

Mas não podemos continuar morrendo, aceitando essa matança generalizada, ainda mais com essa pandemia. São muito mais que 500 mil mortos, sabemos. Inaceitável, é um escândalo.”, critica Amanda.



Desalmado “Hollow”

Embarcando em uma nova fase e trazendo ainda mais peso para o seu som o quarteto Desalmado apresenta o single “Hollow”. Saindo do habitual hardcore/metal e indo em direção do death grind.

Para completar o lançamento ainda conta com a participação especial da cantora argentina Noelia Recalde.

“Foi no Family Mob que nós conhecemos o trabalho da Noelia Recalde, que gravou algumas músicas com o Hugo. Foi ele quem sugeriu de incluirmos algumas vocalizações da Noelia na ‘Hollow’ e encaixou perfeitamente com a proposta da música”, relembra o baixista Bruno Teixeira.



Beaufort “Semper Augustus”

Recentemente a Beaufort lançou seu primeiro EP, Gaia, tendo planos em breve de lançar Urano. Os dois materiais juntos compõe o álbum de estreia, Éolo.

O quinteto conta em sua formação com Zema (Ralo – guitarra), Ulisses (Hümanö/ ex-Choldra – vocal), Minoru (Huey – guitarra), Guito (Ralo – bateria) e Guilherme (ex-Fungos Funk – baixo).

Segundo eles, todas canções tem como universo “o sentimento de isolamento comum a todos nós imposto por forças que não se pode controlar, e talvez daí venha parte da inspiração que move o Beaufort: libertar em forma música o que não se pode expurgar por outras vias.”

Para coroar o lançamento de Gaia, a faixa “Semper Augustus” ganhou um videoclipe que catalisa a luta diária por manter a sanidade em meio ao caos.