Onde você estava em 2010? Difícil até de lembrar exatamente o que estávamos fazendo naquele ano em detalhes mas para o Huey era o início de tudo. Mas mais marcantes do que o início talvez seja a trajetória.

Os primeiros singles, os discos, o olho no olho, os ensaios, os aplausos e cervejas pós show. As conexões, o nosso lado tão humano e as passagens tão efêmeras. A vida passa feito um tiro e o sentimento de que show tem que continuar sempre está presente no horizonte.

Com certeza os momentos mais marcantes muitas vezes vem dos momentos em que menos esperamos. Passando pela cumplicidade ao ato de sair de um palco com o sentimento de dever cumprido. De pedirem um BIS ou conseguir dividir o show com alguma banda ou artista querido. De sair de um estúdio com uma faixa finalizada. São inúmeros os momentos.

Imaterial e subjetivo feito a recepção e sentimentos que um disco nos promovem. Felizmente podemos eternizar todo um tempo através de áudios, vídeos, fotos, memórias e tantas outra mensagens trocadas…mas no fim celebrar a arte e a vida são sentimentos que nunca deixam de eletrificar os acordes de nossos corações.

10 Anos de Huey


Huey Mothers Pray Victor Daguano

HueyFoto Por: Victor Daguano


A banda paulistana que por aqui em algum post chamamos carinhosamente de metal alternativo, devido a suas diversas referências que saem do comum, celebrará em 2020 10 anos de caminhada.

Um marco de resistência e persistência para qualquer grupo. Ainda mais nos tempos estranhos em que temos vivido onde fazer arte nunca foi tão necessário. Uma luta constante de quem olha para trás e vê que enfrentou diversas batalhas. Sentimento este compartilhado por toda uma comunidade em seu entorno.

“Sabe aquele sentimento de felicidade quando a gente não pensa no fim? Seja no amor, em um ofício, um show ou alguma celebração especial, a vida brilha nesses momentos que queríamos que fossem eternos.

E depois de 10 anos de Huey, é isso que continuamos sentindo. Na continuação, na preservação, na compreensão e na vontade de seguirmos juntos. Até então, nunca pensamos no fim, só no fazer, estar, olhar, compor e realizar.

Seja em um ensaio onde todos se olham e sorriem como crianças em um eterno recreio ou em um momento de se inspirar no outro quando o cansaço ou tristeza chega sem avisar.

A gente olha para trás com a alegria mais pura do que já fizemos, mas o mais importante é que olhamos para frente com o que ainda vamos viver. 

A música é nosso elo eterno, não somos companheiros de banda e sim de cumplicidade e amizade na mais profunda verdade. Que privilégio podermos viver esse encontro de almas sonoras.”, relembra com entusiasmo Dane El

Busca Incessante

Essa busca incessante por renovação, novos caminhos, palcos, linguagens e ciclos talvez seja o fio condutor de toda essa engrenagem. Para dar um pontapé inicial nas comemorações destes 10 anos eles lançam hoje em Premiere no Hits Perdidos o videoclipe para “Mother’s Prayer”.

Segundo o Huey o vídeo reforça o conceito central de MA (Sinewave / Black Hole), palavra japonesa com um conceito para lá de filosófico.

A produção audiovisual conversa com o conceito da existência no vazio e do que há entre os intervalos, seja um riff, uma pintura, um projeto arquitetônico ou mesmo uma reza. Há infinitas possibilidades de existência e preenchimento no vácuo.

Da reza, brotam delicadezas capazes de colocar abaixo todo e qualquer horror. Da mães, a vida plena em carinho reconfortante. Na reza de mãe vive o amor mais genuíno que tanto precisamos nos dias que correm.

O vídeo que faz o contraste do escuro com luzes avermelhadas e eterniza a intensidade dos paulistas durante suas apresentações foi filmado no no Estúdio Violeta com câmeras, fotografia e edição feitas por Victor Daguano. Ainda na equipe técnica eles tiverem a contribuição da cenografia e iluminação por parte do Estúdio Laborg.



O peso, a leveza e a espiritualidade se chocam em MA e o vídeo chega para imortalizar esse sentimento aguçado. Plástico, minimalista e feito um grito que ecoa pelo estúdio, o som reverbera no espaço com uma linguagem delicada e potente. Se tornando poesia no meio do caos. Se reconstruindo e reverberando entre as explosões de luzes e seus cortes. Poético do começo ao fim.

Ficha Técnica:

Câmeras: Victor Daguano
Edição e Finalização: Victor Daguano – Fashion Film Network
Iluminação: Estúdio Laborg
Locação: Violeta Estúdios

Ouça Huey “MA” (2018)

Leia a Resenha no Hits Perdidos (Aqui)