Alternative Nation: Playlist reúne + de 150 bandas do Rock Alternativo BR

Apesar do termo Alternative Rock ter ganho corpo – e popularidade – na década de 90, sua construção vem de muito antes. A bem verdade é que ele é um filho bastardo do punk rock em seu espírito D.I.Y., porém sua sonoridade destoa.

Tanto é que o termo passou a ser usado como refúgio a todo rock que fugia do mainstream do rock na época. Pensando em anos 90 o rock alternativo estava muito mais ligado ao College Rock, noise pop, shoegaze e Grunge do que o (popular e comercial) hard rock. Apenas para exemplificar.

O primeiro a usar o termo foi o Terry Tolkin (Vice President da A&R na Elektra Records – entre 92-96 – e posteriormente fundador do selo No. 6 Records). Ele mencionou o termo “Alternative Music” ainda em 1979, para tentar rotular as bandas que estava ouvindo. Ele que mais tarde trabalharia com bandas como Stereolab, Afghan Whigs, Nada Surf, Tindersticks e Butthole Surfers.


PIXIES
O Pixies é um dos grandes representantes do Alternative Rock.

O cara era realmente antenado com o que estava acontecendo antes de “virar”. Chegou inclusive a ser DJ do lendário CBGB por anos. Em 1988 por exemplo ele resolveu organizar um tributo beneficente ao Neil Young chamado The Bridge. Este que reunia artistas como Pixies, Dinosaur Jr., The Flaming Lips, Soul Asylum, Nick Cave e Psychic TV. Muitos deles vocês sabem…pouquíssimo tempo depois estouraram.

Mas voltando a saga a origem do termo. No mesmo ano a rádio norte-americana KZEW criou um programa nesta linha que foi chamado de “Rock and Roll Alternative”. Seguindo a linha do tempo pouco tempo depois o que seria chamado de College Rock, devido as rádios universitárias, viraria febre entre os jovens.

Muitas gravadoras surgiram de maneira D.I.Y. e o termo “Alternative Charts” (Parada Alternativa) começou a ser destacado nas revistas de cultura pop. Muitas gravadoras inclusive se baseavam neste “termômetro” para escolher os novos artistas de seu casting.

Todos sabem que indie é um estágio de uma banda e não um gênero musical. Porém poucos sabem que esta confusão começou em 1985, quando “indie” passou a ser associado como gênero e grupo de subgêneros. Não mais apenas como um status de distribuição.

Em 91 essa indústria totalmente paralela a do rap, trash, metal e industrial aos olhos dos produtores passou a ser vista como alternativa mas com bastante demanda. Tanto é que o Perry Farell do Jane’s Addiction sentiu isso e criou o Lollapalooza.

Para garantir o sucesso do evento ele chamou um time de peso para “garantir” sua aposta, entre eles o evento também contou com Henry Rollins, Butthole Surfers, Ice-T, Nine Inch Nails e Siouxsie and the Banshees. Nos anos seguintes a aposta no alternative rock foi se consolidando como podemos ver no line-up de 1994.


Lollapalooza 94 - Philly, PA


Como toda a contracultura, o alternativo foi cooptado e o próprio Farrel no mesmo ano instituiu o termo “Alternative Nation”. Mas o rótulo continuou a se transformar na mão dos críticos, em 1997 por exemplo o crítico Neil Strauss do New York Times definiu o gênero como:

“hard-edged rock distinguished by brittle, ’70s-inspired guitar riffing and singers agonizing over their problems until they take on epic proportions”.

Uma boa descrição para o Nirvana, não é mesmo? Com a chegada dos 00’s então, daí que o termo passou a ser uma tag potente de mercado para denominar uma banda ou conjunto de bandas como moderno ou hot topic. Não é a toa que tem até uma rede popular de “produtos para o público alternativo” com este nome nos EUA.

Subgêneros:

  • Britpop
  • Christian alternative rock
  • college rock
  • dream pop
  • emo
  • geek rock
  • grunge
  • indie rock
  • math rock
  • neo-psychedelia
  • noise pop
  • nu gaze
  • post-Britpop
  • post-grunge
  • post-punk revival
  • riot grrrl
  • shoegazing

No Brasil

O estilo chegou forte no brasil nos anos 90/00 e desde então tem apresentado uma série de bandas. Pato Fu e Cansei de Ser Sexy são bons exemplos de artistas que conseguiram flertar com o mainstream. Porem onde ele tem casa, e sempre ferveu, é justamente no underground. Geralmente bem longe das rádios convencionais.

Por isso hoje levo a vocês mais de 140 bandas para que acompanhem o trabalho de perto. Ouça as bandas, compre os merchs e vá aos shows!

PLAYLIST NO SPOTIFY


Playlist Alternative Rock


No Brasil o rock alternativo tem muitos adeptos e muita gente talentosa batalhando para mostrar seu trabalho país afora. Muitas que em seu som flertam com diversos estilos mas sempre se mantem barulhento e com muita distorção. Sendo assim, reuni 154 bandas e artistas do gênero. A seleção Especial pode ser encontrada no Spotify do Hits Perdidos (siga o Hits no Spotify!).

A playlist conta com sons das bandas: The Pessimists, Inner Kings, Mudhill, Kill Moves, Ludovic, Acruz Sesper, Bratislava, Single Parents, Twinpine(S), Filipe Alvim, Gorduratrans, The Shorts, Brvnks, FingerFingerrr, John Filme, Urbanites, Quarto Negro, Talude, Old Books Room, Milocovik, Quarto do L, Indigo Mood, Supervão, Twin Pumpkin, Mahmed, goldenloki, Toca-fita de Corcel, Miêta, Fábio Cardelli, Color For Shane, Deb & The Mentals, Corona Kings, Far From Alaska, Soft Maria, Poltergat, BTRX, Two Wolves, Amphères, Ventre, Miami Tiger, Estranhos Românticos, Thrills & The Chase, WRY, Alarmes, Tom Gangue, Congo Blue, Amarelo Manga, Elízia, Céus de Abril, Lupa, Pin Ups, Akeem Music, Grupo Porco de Grindcore Interpretativo, Rocca Vegas, Lava Divers, Dona Cislene, Travelling Wave, Alpargatos, Between Summer, Versalle, Caike Falcão, Versus 3, LAVOLTA, Sound Bullet, Muito Antes de Laura, Stereophant, Alaska, Fleeting Circus, Whipallas, Two Places at Once, Inocoops, Hover, Pollares, Nafandus, MDNGHT MDNGHT, Lista de Lily, S.E.T.I., Subburbia, Nadahype, Bufalo, WAR (We Are Revolution), Sonora Coisa, Xóõ, Trampa, ETNO, Humbra, Aborígenes Viajantes, Ponto Nulo no Céu, Maglore, Dingo Bells, Cartolas, Qairo, Components, Lutre, Devise, The Ed Sons, Two Step Flow, Rubra, Alderia, Canto Cego, Nove Zero Nove, Frankenchrist, Mannequin Trees, Terno Rei, Audac, Ombu, Katze, Codinome Winchester, Maquiladora, FireFriend, Sky Down, Roboto, DSTN, Magnólia, Lobos de Calla, Teach Me Tiger, M O O N S, Baleia, Não,Não-Eu, Walkstones, Bilhão, Cadillac Dinossauros, Lloyd, Capitão Eu e os Piratas Vingativos, Entre Ilhas, Chico de Barro, Lupe de Lupe, Jonathan Tadeu, Fernando Motta, El Toro Fuerte, Clo and the Sounds, Legrand, Riviera, Sara Não Tem Nome, Yma, Undrones, Versus Mare, Chordatta, Vinikov, Def, Drenna, Luan Bates, Mad Monkees, This Lonely Crowd, Os Bandoleiros e a Cigana, Skiva, Gentrificators, Frogslake, Missing Takes, O Retrô Ativo, Venus Café, Loyal Gun, Januário a Sete Palmos, Studio Zero.   

Faltou alguma? Indica para a gente que adicionamos!


Advertisements

8 thoughts on “Alternative Nation: Playlist reúne + de 150 bandas do Rock Alternativo BR

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s