Com 20 anos de serviços (não) prestados ao Punk Rock, Os Pedrero lança “Deu um Treco no Teco-Teco”

A irreverência, a sagacidade e o turbilhão de loucura sempre foram o combustível para o grupo capixaba Os Pedrero. Sempre cravando hits perdidos para almas rebeldes movidas a álcool.

Destilando emoções, atazanando hipsters do centro e tirando onda com a cultura pop. Esse é o espírito do novo álbum que chegou as plataformas de streaming em plena sexta-feira de carnaval (09/02), pode isso bicho?

Mas regras e boas maneiras nunca foram o cartão de visitas da banda de Vila Velha (ES) e em Deu Um Treco no Teco-Teco não seria diferente. Deu TILT, mas continuam a todo vapor com “sacadas” espertas e rezando o bubblegum de cada dia.


Os Pedrero
Os Pedrero lançam o primeiro disco sem Tonny Powzer. – Foto: Divulgação

O registro é o oitavo do grupo que neste ano completa 20 anos, é bicho o tempo não para: ele voa. Ele está sendo lançado através dos selos Hearts Bleed BlueLäjä Records e Forever Vacation.

Para a (zona) festa ficar completa o trabalho conta com uma série de participações especiais: Rodrigo (Dead Fish), Phil (CPM22), Zuzu (Guitarria), Lolô (Whatever Happened to Baby Jane) e Alexandre Capilé (Water Rats / Sugar Kane), que também assina a produção, mixagem e masterização do álbum.

São 12 faixas e apenas 23 minutos de duração, ou seja, é petardo atrás de petardo (e salve-se quem puder). A arte da capa foi produzida pelo designer e baterista Giuliano Di Martino (Deb and The Mentals / Ex-Veronica Kills).

“A produção está muito boa, o disco é simples, e os vocais melhoraram muito. É o primeiro disco sem o Tonny Powzer [ex-integrante d’Os Pedrero], ele faz falta, mas a gente conseguiu se virar bem, acho que é um disco uniforme, alguns dos outros discos nossos eram mais confusos, as músicas ‘tudo misturada’, parecia uma colcha de retalhos”, comenta o vocalista e baixista Mr. Rotten Wine

Para ele a faixa preferida é definitivamente “Suas Fotos de Perfil no Facebook”:

“Eu gosto muito de “Suas Fotos No Perfil Do Facebook”. Quem fez o vocal dessa faixa foi o Phil do CPM22 e ele fez uma voz parecida com a que o Tonny Powzer fazia, e a execução ficou legal. Eu gosto muito também da “Assinando o Seu Divórcio”, que ficou um mix de Amado Batista com Social Distortion”, finaliza o músico.

Os Pedrero Deu Um Treco No Teco​-​Teco (09/02/2018)



O disco já começa desobediente com “Ninguém Manda em Mim”, punk rock reto e direto que mostra que a festa está só começando. Na sequência vem “Deu um Treco no Teco-Teco” que conta a história de um avião que cai em plena selva. Essa que me lembrou a história de um certo político aí que curte a arte de mandar para dentro. Não é difícil ficar com o refrão na cabeça feito um (maldito) chiclete.

“Assinando Seu Divórcio” é uma música que tem seu papel social em denunciar a violência contra a mulher. Quem diria que eles teriam um momento de sobriedade no disco, muito bem!

No melhor estilo motoqueiro doido “Smelly Boy” chega descontrolada e em apenas 52 segundos faz um som com aquela levada que a gente tanto aprecia de grupos como OFF!. “Galera de Vila Velha” faz literalmente uma homenagem ramoniaca aos grandes amigos de sua cidade de natal. Com direito até a paródia a “The KKK Took My Baby Away” em um riff.

Chegamos então em “Suas Fotos do Perfil do Facebook”, uma música que o The Queers faria tranquilamente. Com aquela dose de ironia, bom humor e dor de cotovelo ela tira onda com a superficialidade dos relacionamentos nas rede sociais.

Se desprendendo de qualquer máscara social “Pessoa Chata” aponta o dedo no rosto para quem tenta controlar a rebeldia do espaço pessoal. Aquela música ideal para salvar e mandar no grupo de zap da família.

Com um espírito alá Social Distortion em seus riffs e tirando onda com o country punk em sua melodia, “Os Hipsters do Centro” solta o verbo contra o mundo das aparências. Mais uma vez o facebook – e instagram – pautando um som do álbum. Tão muito conectados esses meninos!

A influência de Los Crudos e o grindcore ganham terreno em “Cagar na Rua” durante seus viscerais 1:10 de bagaceira rock’n’roll. Em seguida vem “Barbie Lixeira” que tem doses de bom humor e o espírito do disco Cavera Y Macaco. Sobra até para a Carla Perez pagar o pato.

Depois de dar a descarga em “Cagar na Rua”, vem a também escatológica “Vomitando Muito”. É sobre a bebedeira, desespero, alcoolismo e falta de controle. Com aquela energia desordeira e desesperada que consolidou a carreira do trio.

O hit perdido – e açucarado – do álbum fica logo na faixa que encerra o registro,  “Vou Colocar o Seu Filho na Droga”. Aquela canção que nenhuma mãe quer ouvir – ou saber do que se passa. A tal da droga é o rock’n’roll e uma vida regada a Ramones, Motorhead, tatuagens, perversão, sujeira e balbúrdia. Me lembrou até outra grande composição dos capixabas “Sou Feio Mas Tenho Banda”, fechando o disco com sua marca registrada.


CAPA


É muito gratificante ver que Os Pedrero após 20 anos de estrada – e muita confusão – ainda continuam produzindo discos. E o melhor: em alto nível. Isso sem perder o espírito bagaceiro e suas doses periódicas de sarcasmo e balbúrdia. Irá agradar fãs de The Queers, Teenage Bottlerocket, The Lillingtons e Screeching Weasel com seu bubblegum de responsa. Destaque para as faixas “Deu Treco no Teco-Teco”, “Suas Fotos do Perfil do Facebook”, “Os Hipsters do Centro” e a matadora “Vou Colocar o Seu Filho na Droga”.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s