Notícias

Show Guilherme Arantes In Concert ressalta a relevância do artista na música brasileira

Recentemente, em entrevista a Clemente Magalhães, Guilherme Arantes declarou que sua geração de artistas brasileiros já foi classificada como desimportante. Além dele, estariam nesse grupo Djavan, Alceu Valença, Geraldo Azevedo e outros. No show Guilherme Arantes In Concert, que aconteceu no dia 23 de setembro em Porto Alegre, havia na plateia muita gente que viveu nessa época e testemunhou esse fato, mas no espetáculo o artista mostrou que sua obra atravessa vários tempos e vários nichos, apresentando alguns hits perdidos – outros nem tanto -, e provando sua relevância na música brasileira.

Com uma pontualidade atípica, Guilherme entrou em cena com um teclado e uma mini-orquestra o acompanhando, e sem nenhuma cerimônia, iniciou o show contando a história da música que viria a seguir, “Amanhã”. De cara, o cantor, compositor e instrumentista paulista mostrou que aquele seria um show-conversa – ou melhor, se tratando do artista, que é um profundo conhecedor e estudioso de música, uma aula-espetáculo. 

Com uma garrafa de café ao lado, entre um gole e outro, Guilherme contou causos e curiosidades intercalando com as músicas. Elogiou Maria Bethânia, que interpretou sua canção “Brincar de Viver”, sendo essa a versão definitiva; comentou sobre a culinária da Espanha, onde viveu durante a pandemia – “O pão de lá é criminoso de tão bom”, opina, bem humorado – e contou a interessante história de “Fã Número Um”, uma música construída a partir de trechos de cartas enviadas por seus fãs.

Na vez de “Pedacinhos (Bye Bye So Long)”, Guilherme contou que fez para Vanusa gravar, o que acabou não acontecendo. No palco, a iluminação dinâmica se destacou e na plateia a pouca presença de câmeras de celulares também; todos imersos e atentos no que o artista tem a dizer e a cantar.


Show Guilherme Arantes In Concert em Porto Alegre (RS) aconteceu no sábado (23/09). – Foto Por: Ananda Zambi

Em um momento só voz e piano, Arantes tocou “Nossa Imensidão a Dois” – uma balada que ganhou ainda mais brilho e beleza ao vivo -, presente no seu mais recente disco, A desordem dos templários, contou que foi convidado para compor uma canção para o disco mais recente de Alaíde Costa, uma das damas da MPB, que resultou em “Berceuse”. Ele ainda interpretou lindamente um clássico da cantora, “Onde Está Você”. Para finalizar as novidades, falou que foi chamado para concluir uma música inédita que Taiguara, um de seus ídolos, deixou inacabada. Depois desse momento, a orquestra entrou em ação novamente e Guilherme fez uma dobradinha de sucessos bombástica: “Meu Mundo e Nada Mais” e “Um Dia, Um Adeus”.

Então, o artista nos relembra sua versatilidade ao apresentar alguns de seus hits com uma pegada mais pop, como “O Melhor Vai Começar”, “Coisas do Brasil”, “Cheia de Charme” – momento em que contou que escreveu quando morava no Rio de Janeiro, uma homenagem à mulher carioca – e “Deixa Chover”, um dos momentos em que o público ficou mais animado.

No fim, Guilherme manifestou sua insatisfação com a situação no Brasil no momento, apesar de não ter querido se aprofundar no assunto. Cantou o grande sucesso “Planeta Água” – O artista comentou que ela é a única música no mundo que fala sobre o ciclo da água – e finalizou com “Lindo Balão Azul”, nos trazendo um momentâneo conforto lúdico e nostalgia, repetindo “Cheia de Charme” no bis. E foi assim, apresentando músicas que se tornaram hits na sua voz e nas vozes de outras pessoas e canções que merecem ser mais conhecidas que Guilherme Arantes mostrou nessa noite que, além de sempre ter sido relevante na música brasileira, merece ser conhecido e reverenciado também por gerações mais recentes.

Leia entrevista com Guilherme Arantes durante o lançamento do álbum
A Desordem dos Templários

This post was published on 27 de setembro de 2022 11:00 am

Ananda Zambi

Mestranda em Comunicação, apresentadora do Ananda Entrevista, assessora de imprensa e cantautora. Também colabora com o site Scream & Yell.

Posts Recentes

Festival Rock na Praça celebra seus 20 anos neste domingo (04/12)

O indivíduo não é nada sem sua cultura, sem o entretenimento. Cultura é patrimônio e…

1 de dezembro de 2022

Referências a músicas brasileiras em Cyberpunk 2077 abrangem mais de 50 faixas

Quando lançou Cyberpunk 2077 dois anos atrás, a CD Projekt RED recebeu inúmeras críticas por…

1 de dezembro de 2022

Balaclava Fest revela o line up completo da edição de 10 anos; Pluma, Bruno Berle e Jennifer Souza são confirmados

O selo musical, produtora cultural, editora fonográfica e revista, Balaclava, apresenta hoje, o line up…

30 de novembro de 2022

Rita Zart eleva a potência feminina em videoclipe para “O Que Range”

A gaúcha Rita Zart, fundadora e que integra até hoje o Coletivo Gogó, é cantora,…

29 de novembro de 2022

“Sêr Estrela”, Jennifer Souza homenageia Vander Lee em canção interestelar

Assim de mansinho em plena segunda-feira de Copa do Mundo Jennifer Souza, conhecida por seu…

28 de novembro de 2022

FERALKAT olha para o abismo em “Existo”, single ganha clipe produzido inteiramente por mulheres

A vocalista, guitarrista e tecladista da banda curitibana The Shorts, Natasha Durski, apresenta mais um…

25 de novembro de 2022

This website uses cookies.