Nacional

Ella from the sea tenta alcançar o impossível em “I Reach You”

Após dois anos do lançamento do seu EP The Moon, Ella from the sea apresenta nesta sexta-feira (15/07) seu mais novo single, “I Reach You”. Na época deste último lançamento a paulistana contou que teve oportunidade de viver em cidades como Berlim e Londres, frequentar shows e participar de alguns projetos onde bandas experimentais acabaram a inspirando direta e indiretamente a encontrar a sua sonoridade em casas como Notting Hill Arts Club, The Victoria e Cafe OTO.

Quando o assunto são referências estéticas ela cita Cocteau Twins, PJ Harvey, Björk, Bat for Lashes, Massive Attack, Portishead, Radiohead acabam se juntando a outras influências citadas pela artista. Como, por exemplo, Joy Division, Sígur rós, Olóf Arnals, Grouper que estão entre suas principais referências mas seu background também contribui muito para o resultado que podemos ouvir.


Ella from the sea apresenta seu novo single “I Reach You” – Foto Por: Milena Rosado

Ella from the sea “I Reach You”

A artista que ainda não tem um álbum de estúdio gravado mas que conta com singles no Spotify apresenta a sua nova fase com “I Reach You”, faixa produzida pela produtora musical paranaense Vivian Kuczynski. O som continua a explorar referências do indie e do dream pop mas segundo a artista agora com uma batida mais rápida.

“I Reach U é um mix de sentimentos em quase 3 min, ela começa rapidinha e feliz e depois ela vai crescendo e ficando mais profunda”, diz Ella from the sea.
Agora com bateria dentro da produção ela brinca “que agora soa até mais feliz” em uma canção que discorre sobre “alcançar o impossível”.
Ao longo dos quase 3 minutos de canção, a faixa faz o mix entre o violão de cordas e vocais melódicos que se fundem ao piano de forma confortável para o ouvinte. A balada sentimental que cita até mesmo medicamentos como valium (indicado para alívio sintomático da ansiedade), não é bem leve assim e fala sobre o rompimento brusco de uma relação.

A segunda parte da canção é mais melancólica e dá mais propulsão para os sintetizadores e lembra até mesmo a sonoridade de grupos como Cocteau Twins e Mazzy Star.


This post was published on 15 de julho de 2022 10:00 am

Rafael Chioccarello

Editor-Chefe e Fundador do Hits Perdidos.

Posts Recentes

Festival Rock na Praça celebra seus 20 anos neste domingo (04/12)

O indivíduo não é nada sem sua cultura, sem o entretenimento. Cultura é patrimônio e…

1 de dezembro de 2022

Referências a músicas brasileiras em Cyberpunk 2077 abrangem mais de 50 faixas

Quando lançou Cyberpunk 2077 dois anos atrás, a CD Projekt RED recebeu inúmeras críticas por…

1 de dezembro de 2022

Balaclava Fest revela o line up completo da edição de 10 anos; Pluma, Bruno Berle e Jennifer Souza são confirmados

O selo musical, produtora cultural, editora fonográfica e revista, Balaclava, apresenta hoje, o line up…

30 de novembro de 2022

Rita Zart eleva a potência feminina em videoclipe para “O Que Range”

A gaúcha Rita Zart, fundadora e que integra até hoje o Coletivo Gogó, é cantora,…

29 de novembro de 2022

“Sêr Estrela”, Jennifer Souza homenageia Vander Lee em canção interestelar

Assim de mansinho em plena segunda-feira de Copa do Mundo Jennifer Souza, conhecida por seu…

28 de novembro de 2022

FERALKAT olha para o abismo em “Existo”, single ganha clipe produzido inteiramente por mulheres

A vocalista, guitarrista e tecladista da banda curitibana The Shorts, Natasha Durski, apresenta mais um…

25 de novembro de 2022

This website uses cookies.