Toda sexta-feira saem inúmeros lançamentos e muito material acaba ficando de fora das nossas postagens por uma série de motivos. Mas a procura por Hits Perdidos não acaba apenas no envio de releases para imprensa; e pensando nisso resolvemos criar a coluna Release Radar.

Sim, homônima a playlist semanal do Spotify, para colocar vocês à par dos principais lançamentos sem a necessidade de que os artistas, selos ou suas respectivas assessorias de imprensa tenham enviado o material.

Feito um “encontro as escuras” resenharemos, singles, EP’s, discos, mixtapes e o que acharmos interessante que saiu após às 00h da sexta-feira nas principais plataformas digitais. Será nossa coluna de “pitacos” semanais da música pop.

Release Radar: 28/08


Boogarins Release Radar


Post de estreia do Release Radar, comentem se gostaram e se deve continuar!

Boogarins Manchaca Vol. 1

Os goianos do Boogarins resolveram presentear os fãs em dose dupla. Com o Manchaca Vol. 1, “uma compilação de memórias, sonhos, demos e sobres do Boogarins de Austin, Texas”.

Com 13 faixas, o registro que contém todo esse material avulso traz diferentes mixagens, faixas ao vivo e demos gravadas ao longo dos últimos 3 anos na cidade texana. Você encontrará canções presentes nos últimos dois álbuns do grupo, Sombrou Dúvida (2019) e Lá Vem Morte (2017), este último que eles revelam em entrevista para o Globo que inicialmente não seria um disco cheio. “Inocência”, também presente em Fefel, acabou entrando também na compilação.

O lançamento que sai pelo selo norte-americano OAR mostra duas facetas do Boogarins, da crueza à abertura para a experimentação. Um material bônus que poderia até mesmo virar um box especial para fãs.

Enquanto a segunda parte não é revelada, os fãs podem conferir o mini-documentário de 15 minutos, “Manchaca”, filmado em Austin durante o South By Southwest 2019.



WRY “Morreu a Esperança”

O WRY, de Sorocaba (SP), aparece com mais uma inédita – e com o lançamento do single em parceria com a Balaclava Records que lança oficialmente o projeto Radar Balaclava.

A faixa é espacial, e vem com riffs soltos para dar a tensão e a amargura que “Morreu a Esperança” carrega. O rock oitentista, do Dream Pop ao post-punk transparece com intensidade, raiva e o espírito rebelde. Uma canção que encantará a fãs de The Cure, The Drums, The Vaccines, The Clash, Cólera Plebe Rude.

Toots and the Maytals Got To Be Tough

Uma das mais tradicionais bandas de ska da Jamaica, o Toots and the Maytals coleciona verdadeiros hinos da música de resistência e hoje lança mais um álbum, Got To Be Tought com uma série de participações especiais e com direito a até mesmo uma versão para “Three Little Birds”, do Bob Marley, com participação do Ziggy Marley na voz e Ringo Starr na percussão. O material sai em parceria entre o selo Trojan Jamaica e a major BMG.

Com 10 faixas, o músico contou com a presença de Zak Starkey (co-fundador do selo Trojan Jamaica ao lado de Sharna “Sshh” Liguz e baterista do The Who), nas guitarras, Sly Dunbar (da dupla Sly & Robbie), na bateria, e a percussão de Cyril Neville. Vale o destaque que o lançamento não se restringe ao universo do ska e do reggae e se estende para outros estilos como o blues, o jazz, o funk e o soul. A mensagem é claro é positiva para um 2020 no mínimo difícil para todos.

Young Lights “It’s Over…Now”

Os mineiros da Young Lights lançam nesta sexta-feira o quinto single do disco Somewhere Between Here and Now e depois de faixas mais pautadas no rock alternativo volta a flertar com o pop e o folk que os consolidaram no álbum anterior.

Com gravação realizada por Bruno Giorgi e Gabriel Ventura no Estúdio Lab Sônica e Estúdio Quarto, o som é uma balada sensível e para se deixar envolver. Seu instrumental sabe crescer mas sem deixar de ser pop. A percussão e o trabalho das guitarras também se destaca entre os sing-a-longs e seus riffs distorcidos.

Vivian Kuczynski “N Entendi ND”

Após lançar Ictus, e parceria com o músico Gustavo Bertoni, da Scalene, Vivian Kuczynski continua intensa, introspectiva e sentimental no curtíssimo EP N Entendi ND que sai pela Balaclava Records. Mas agora revela um lado ainda mais experimental e imerso no universo da música eletrônica.

“PELE” no dia 14/08 abriu os caminhos mostrando como a eletrônica flerta pode sim flertar com o indie, através de beats envolventes, reflexões, extensão vocálica e explosão para expressão suas emoções.

“Amor” tem 38 segundos de abstração e você fica até um pouco tonto ao ouvir sua narrativa. Na mesma vibe, a faixa título também começa com o anticlímax e atmosfera dark para falar sobre amor, seus labirintos, frustrações e consequências. Já “ABSTENHO” é uma faixa em parceria com Francisco e também é acelerada, 46 segundos, praticamente um poema narrado com direito a glitches e beats reverberantes.

Kanagawa “Invader”

Kanagawa, é o projeto de Igor Pinto, e por aqui já destacamos. Agora ele abre caminho para um disco cheio, serão 8 faixas que passearão por synthpop e indie pop, o disco que terá 8 faixas já tem até nome revelado: love, laugh, lie or cry.

A primeira mostra é a canção, “Invader”, de 3 minutos e meio, com direito a uma atenção especial na mixagem que deixa ela reflexiva e bastante introspectiva. Entre sintetizadores e efeitos, existe um coração que bate forte.

“Desde o primeiro momento que comecei a trabalhar nessa música, existia uma visão muito forte de como queria trabalhá-la. A música em si era muito imagética. Ela tinha um norte muito bem definido na minha cabeça quanto a sua estética visual. E por conta dessa visão, e do contexto atual de isolamento, houve a possibilidade de colocar pra fora a arte da maneira que tinha enxergado desde o início.

Como fui sempre muito apaixonado pela cultura japonesa, quis misturar características oriundas desse universo, seja com paisagens, animes, com imagens filmadas em isolamento.”, conta Igor Pinto

André Ribeiro “MADRIDV2”

Quem muda um pouco de ares após canções mais experimentais e conceituais é André Ribeiro que volta com uma canção que flerta com o folk, o pop e o unppluged na sentimental e tão 2020, “MADRIDV2” que tem participação de Mariana Ávila (voz), Otavio Bonazzi (lap steel). A faixa é um lançamento Eu Te Amo Records.

Rodrigo Caê Baile Tenso

O carioca Rodrigo Caê aparece por aqui com o EP Baile Tenso que conta com participação até mesmo do rapper Marcão Baixada, parceiro de selo. Seu beats são modernos, cheios de experimentação. Já suas letras contam vivências, angústias, prazeres, narram os perigos da noite, carregam o minimalismo, vai e vem e tretas que acabam fazendo parte do universo do EP. Consegue agradar fãs de minimal, passando por eletrônica, hip hop e música brasileira.

Jonathan Tadeu “Éramos Jovens Emocionados”

Com planos de lançar o álbum Intermitências no dia 28 de Setembro via Geração Perdida de Minas Gerais, Jonathan Tadeu apresentou o single “Éramos Jovens Emocionados” e conta com referências lo-fi dos anos 90.

A faixa fala sobre amadurecer e ter saudade de ser jovem, das idas aos shows, passatempos ao encontro das responsabilidades da vida adulta e toda a sua carga que naturalmente a acompanha. A canção acompanha um clipe.



Cardamomo “Bertha”

Os gaúchos da Cardamomo lançam o single “Bertha” faixa que navega pelos universos do pós-punk e o pós-rock e compõe o primeiro disco da banda que será lançado ainda em 2020.

Com quase 5 minutos de duração ela tem uma energia que passa por referências que nos remetem a artistas como Television, Minutemen, Fugazi em uma faixa experimental, quebradiça, com diversidade ritmica e cheia de viradas de bateria.

Você Não Pode Deixar de Ouvir!

O novo álbum da Angel Olsen Whole New Mess.
O novo álbum do Bill Callahan Ry Cooder.
Novo álbum do niLL Good Smell, Vol. 2

Os Singles do Release Radar

Yo La Tengo “Wasn’t Born To Follow”
Julia Holter “Gold Dust Woman”
Badke “Tragam uma Trégua”
Neblina “Transborda”
ATR “Mundi”

Gostaram do Release Radar?