Nacional

gorduratrans olha no retrovisor em “nem sempre foi assim”

Após lançar “Enterro dos Ossos” em abril, o duo gorduratrans, formado por Felipe Aguiar e Luiz Marinho, apresenta a sua segunda faixa que fará parte do novo disco, “nem sempre foi assim”. Após a ótima repercussão do disco Repertório Infindável de Dolorosas Piadas (2015), recheado de referências do emo, lo-fi e de grupos icônicos como o Ludovic, os cariocas lançaram Paroxismos pelo selo Balaclava Records ,em 2017.

A pré-produção do terceiro disco de estúdio dos fluminenses foi realizada no Estúdio Sítio Romã, em Araçoiaba da Serra (SP), por Lucas Theodoro (E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante).

O novo álbum foi gravado em setembro de 2021 no Estúdio El Rocha (SP) por Fernando Sanches que também assina a masterização. A faixa começou a ser composta em janeiro de 2020, assim como o restante do álbum que tem co-produção de Roberto Kramer e Fernando Dotta, com mixagem de Kramer. O disco sairá ainda neste mês via Balaclava Records.


gorduratrans lança seu terceiro disco em junho pelo selo paulistano Balaclava Records.Foto Por: Thaysa Paulo

gorduratrans “nem sempre foi assim”

De natureza melancólica e com os dois pés no emo noventista, “nem sempre foi assim”, assim como as fitas VHS, rebobina as memórias com o olhar reflexivo de quem olha para o retrovisor. A nostalgia dos dias da juventude aparecem nos mínimos detalhes da composição que traz na cadência das guitarras lentas a narrativa quase fúnebre sobre o poder de transformação e mudança que o tempo tem sob nós.

O videoclipe foi realizado em parceria com o videomaker Flávio Cabral, amigo de longa data da banda, com cenas captadas no bairro de Magalhães Bastos, zona oeste da capital carioca e local de origem de Felipe, algo que dá ainda mais verdade para a história contada através das lentes. Os integrantes da turnê do disco, Pedro Simião (guitarra) e Gabriel Otero (baixo) também simbolicamente aparecem no vídeo.

A produção é rica em detalhes. Do futebol recreativo, passando pela poesia dos carros filmados no contrafluxo e pelo simbolismo imaterial do sol se pondo. Assim como a vida em fluxo sendo representada no comércio e nos pequenos gritos por liberdade presentes nos grafites; além das histórias vivas do bairro acabam entrando como personagens importantes que nos dão ainda mais aspectos do background dos músicos.



Ficha Técnica

Direção: Flávio Cabral
Direção de Fotografia: Flávio Cabral + gorduratrans
Direção de Arte: gorduratrans
Roteiro: Flávio Cabral + gorduratrans
Edição: Flávio Cabral
Assistente de Produção: Lucas Machado + Pedro Simião
Produção Executiva: gorduratrans

This post was published on 2 de junho de 2022 10:01 am

Rafael Chioccarello

Editor-Chefe e Fundador do Hits Perdidos.

Posts Recentes

Mukeka Di Rato quer a cabeça do homem de bem em “Boiada Suicida”

Após 8 anos de hiato, os capixabas do Mukeka di Rato estão lançando neste dia…

5 de agosto de 2022

Parceria entre Quiriku e Thales Castanheira, “Par de Meias”, vai do Homeshake ao neo-soul

Vizinhos de infância e amigos de longa data, Pedro Ferreira, que iniciou sua carreira artística…

5 de agosto de 2022

Noporn completa 20 anos e lança o single “Nome Sujo + Estranha e Louca”

Formado em 2002, na cidade de São Paulo, o Noporn denomina seu som como Spoken-word…

4 de agosto de 2022

As Melhores Live Sessions | Julho (2022)

As Melhores Live Sessions | Julho (2022) O Que São Live Sessions? Live Sessions tem sido um…

3 de agosto de 2022

Adorável Clichê explora a melancolia dos fins em “Alarmes e Relógios”

A dúvida entre ficar e não dar o melhor de si ou deixar aquela pessoa…

2 de agosto de 2022

5 jogos brasileiros de julho, mês que registrou marco histórico de estúdios nacionais

No começo deste mês, a primeira edição da Pesquisa Nacional da Indústria de Games revelou…

1 de agosto de 2022

This website uses cookies.