Em pleno carnaval Indigo Mood lança novo EP com clima de quarta-feira de cinzas

 Em pleno carnaval Indigo Mood lança novo EP com clima de quarta-feira de cinzas

Indigo Mood – Foto Por: Rua Zero

Um coração partido em mil pedaços, entre memórias, processos de cura, superação e esperança, seria uma ótima forma de traduzir a melancolia do novo EP, Obviously Still Yours, da banda cearense Indigo Mood.

Após uma série de singles e mirando o álbum de estreia – que será lançado em 2022 – o projeto liderado pelo cantor e compositor Leonardo Mendes lança hoje o EP flutuando pelas ondas psicodélicas e inspirado por nomes como Melody’s Echo ChamberHomeshakee e Connan Mockasin, ele ainda cita ter como influências Gal Costa e Erykah Badu. Até por isso o flerte da música eletrônica, bossa e camadas de guitarra parecem conviver em harmonia ao longo das 6 faixas do registro.

Quando perguntado sobre o porque do nome do EP, Mendes diz: “O nome do álbum já denota bem o que propõe: seguir uma melancolia romântica desiludida, triste como um entardecer de cerveja gelada após um coração partido na Praia de Iracema”


Indigo Mood - Foto Por Rua Zero
Indigo MoodFoto Por: Rua Zero

Indigo Mood Obviously Still Yours

Concebido em 2014 e materializado em 2017 o EP sucede Good Friend, Bad Lover (Fiasco Records, Mercúrio Música) e já mostra novos caminhos a serem percorridos passeando por estilos como Indie Pop, o Dream Pop e o Neo Soul.

Obviously Still Yours foi produzido e mixado por Felipe Couto e masterizado por Rodrigo Deltoro, com exceção da faixa-título, que foi mixada e masterizada por Theo Fonseca. Leonardo Mendes assina as composições, vocais; percussões; violão; baixo em todas as músicas, menos em “Never Was Enough“.

Em sua companhia ele conta com João Vitor Fidanza (guitarra; backing vocals), Theo Fonseca (teclados e synth em “Obviously Still Yours”), Felipe Couto (beats; teclados e synth em todas as músicas, menos em “Obviously Still Yours”), Levy Gallas (baixo em “Never Was Enough”), PH Barcellos (bateria em todas as músicas, menos em “Never Was Enough”) e PH von Sohsten (bateria em “Never Was Enough”).

O sentimento de ausência e presença é bastante trabalhado dentro do novo lançamento do Indigo Mood e isso transparece até mesmo na capa confeccionada por pelo designer Zé Victor Férrer e pelo fotógrafo Guilherme Freire.

“O conceito de trabalhar as sombras na fotografia e na intervenção veio a partir da nossa interpretação de que a sombra é ao mesmo tempo ausência (de luz) e presença (de algo/alguém)”, explica Zé Victor que já colaborou com o projeto anteriormente

O Carnaval que Parece Não Ter Fim

Desde seus primeiros acordes você é levado a adentrar o oceano profundo de um coração partido ao meio, “Insecure” destila em seus acordes lentos e espaçados a dor de se desconectar de um relacionamento que não cabe mais no peito. Com mais groove e colocando para dançar, o neo-soul vai de encontro com o dream pop na mais leve e alto astral “Places” que segundo o músico discorre sobre reconciliar.

“Never Was Enough” traz consigo o conflito de se ver estagnado no tempo não permitindo que outras histórias se construam, a famosa âncora de um barco de já partiu. Não é a toa que a canção é longa e se arrasta para mostrar o peso e a densidade do sentimento. Com diversas participações, os sintetizadores fazem dialogar com o rock alternativo radiofônico dos nossos tempos.

A bossa encontra o lado dreamy em “Time Bomb” em uma faixa que destoa das outras por fazer uma espécie de “Melody’s Echo Chamber tropical”. Um respiro em meio a tormenta, uma tentativa de escapismo flertando para tentar sair do labirinto….mas se deparando com a superficialidade dos relacionamentos líquidos. Diferentemente das outras a faixas: tem espaço até mesmo para um solo de guitarra.

“Weeding Dress” conta com uma história no mínimo diferente:

“Essa música tem como referência aquele fatídico episódio de Friends, em que o Ross diz o nome da Rachel quando ia se casar com a Emily. A inspiração veio também depois de um desses reencontros com ela, essa mesma pessoa que aparece em quase todas as músicas do EP, que me contou uma história de um taxista que havia conhecido.

O rapaz contou que o grande amor da vida dele ia se casar e mandou uma carta para avisar, dizendo que se ele fosse ao casamento, ela abandonaria o noivo. Mais Reginaldo Rossi, impossível”, brinca Leonardo

Com um banquinho e um violão o EP do Indigo Mood se encerra com a faixa título. A tentativa de deixar todas as dores para trás ganha o cenário de uma cidade do interior do estado, boas melodias que flertam de novo com a bossa nova com direito a percussão, sintetizadores e um vocal sussurrado.

“Já a faixa-título fala muito sobre o que é o EP. Essa coisa empacada, de não conseguir tirar da cabeça alguém que já te quis e que tão obviamente não te quer mais quanto você ainda é dela”, conta o compositor cearense


Rafael Chioccarello

Editor-Chefe e Fundador do Hits Perdidos.

Related post

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *