Roque Chapado: Playlist reúne + de 120 bandas do Stoner Rock brasileiro

Embora muitos associem o termo Stoner Rock ao Black Sabbath, o termo surgiu muito tempo depois. Foi em 1997 quando o selo Roadrunner Records lançou a coletânea Burn One Up! Music for Stoners que ele se popularizou.

Esta que reunia nomes como Queens Of The Stone Age, Karma To Burn, Cathedral, Fu Manchu, Sleep, Blind Dog e Acrimony. Muitos consideram ela como um marco inicial no renascimento do estilo após o fim do lendário Kyuss.



Já o Desert Rock, outro termo associado ao gênero musical, foi usado pela primeira vez por um estagiário da MeteorCity Records em 1998 para o lançamento da coletânea Welcome to MeteorCity.

O que é chamado de Stoner Rock é uma fusão do rock que mistura elementos do heavy metal e/ou doom metal com rock psicodélico e acid rock. Por conta das semelhanças entre o Stoner e o Sludge muitas vezes acontece uma mistura no som das bandas. Algumas até incorporam elementos de Doom Metal.

Grupos como Weedeater, High on Fire e Electric Wizard combinam Stoner, Doom e elementos de psicodelia sessentista, assim fazendo um estilo híbrido ideal para viajar para outras galáxias. Lembrando que o termo stoner vem claro do consumo de cannabis, tanto é que o Sleep incorporou isso em seus álbuns.

O single “Dopesmoker” é sempre lembrado por seus “lombrantes” 60 minutos de duração, o que causou controvérsias e muitas discussão. Em shows no exterior é comum vermos membros de bandas apreciando a erva durante suas apresentações.

Geralmente suas características principais são o tempo lento combinado com distorções pesadas, baixo “groovado”, vocais melódicos e uma produção retrô. Muito por conta disso muitos artistas optam por gravar seus registros de maneira analógica e em fita.

Mas falar do stoner noventista sem falar dos antecedentes é comentar sobre um estilo pela metade. A banda sessentista Blue Cheer que em seu som misturava rock psicodélico, blues heavy metal e acid rock é considerada uma das percursoras do gênero musical. Revistas especializadas como a Rolling Stone dizem que bandas como Kyuss e Monster Magnet foram beber mesmo é da fonte do Led Zeppelin e do Black Sabbath.


Blue Cheer
O Blue Cheer foi fundado em 1966. – Foto: Acervo Pessoal do Michael Ochs

Outras referências citadas são bandas como Cream, Deep Purple, Hawkwind e até mesmo Blue Öyster Cult. Já as referências do Sludge, que as bandas pós-90 começaram adicionar elementos, se devem ao Black Flag que mesmo tendo começado como uma banda de hardcore / punk nos 80, passou por diversas fases e experimentou de uma imensidão de estilos como o  sludge e o jazz.

Para os mais leigos, o sludge por sua vez é um sub-gênero do heavy metal mistura elementos do doom metal, do hardcore e as vezes southern rock. Melvins, Down, Black Flag, Crowbar, Corrosion of Conformity e Eyehategod são referências dentro do estilo.

Já dentro do stoner / sludge metal alguns grupos que merecem ser lembrados são o Bongzilla, Electric Wizard, Kylesa, Torche, Mico de Noche entre outros.

A história do stoner ainda continua a ser escrita visto que seu hibridismo ainda gera a cada dia que passa mais sub-gêneros e desdobramentos. Algumas bandas que valem a pena ser citadas que ao longo do texto ainda não falamos:

Acid King, The Atomic Bitchwax, Black Moth, Black Mountain, Bongripper, Boris, Brant Bjork and the Bros, Dead Meadow, Dozer, Earthless, Elder, Goatsnake, Holy Mountain, Indian Handcrafts, Los Natas, Lowrider, Mastodon, Masters of Reality, Nebula,  Neurosis, Orange Goblin, Red Fang, Saint Vitus, Sixty Watt Shaman, Sons of Otis, The Sword, Trouble, True Widow e Wolfmother.

Outras bandas relevantes do Sludge Metal estrangeiro: Buzzoven, Harvey Milk, Iron Monkey e Superjoint Ritual. E ainda um terceiro grupo de bandas que fundem elementos do gênero mas não se limita ao sludge metal: Alice In Chains, Baroness, Black Label Society, Black Tusk, Cancer Bats, Circle Takes the Square, Cult of Luna, Dumb Numbers, Dystopia, Fudge Tunnerl, Helms Alee, Isis, Ken Mode, Kingdom of Sorrow, Lair of the Minotaur, Mistrees, Part Chimp, Sofa King Killer, Soilent Green, The Ocean, Totimoshi, Will Haven e Whores.

No Brasil

No país a Evil Motor é considerada a primeira banda de stoner rock, tendo a demo tape Mr. Insane (1995) o primeiro registro do stoner rock no país.

Mas o Brasil já tem uma bonita história dentro do segmento com bandas do calibre do lendário MQN, Hellbenders, Black Drawing Chalks, Fuzzly, Far From Alaska e Red Mess. Além de grupos como Stone House On Fire, Grindhouse Hotel, Cattarse, Monster Coyote, Into The Dust, Cocaine Cobras, Spiritual Void, Pombagira, Pathos e Miss Hell.

Um dos selos que mais se destaca dentro do segmento é a Abraxas que começou como produtora e desde o ano passado atua como selo independente lançado materiais de grandes expoentes do cenário brasileiro. Inclusive já entrevistamos por aqui o Felipe Toscano que é um dos fundadores do selo. No facebook um dos grupos onde mais tem debates interessantes sobre o gênero é o Stoner Brasa sem Reaça.

Por isso hoje levo a vocês mais de 120 bandas para que acompanhem o trabalho de perto. Ouça as bandas, compre os merchs e vá aos shows!

PLAYLIST NO SPOTIFY

Playlist Stoner


No Brasil o cenário de stoner rock tem crescido nos últimos anos, com muitos shows internacionais e festivais tendo interesse pelo gênero. Tem muita gente talentosa batalhando para mostrar seu trabalho país afora.

Muitas bandas em seu som flertam com diversos estilos, mas sempre se mantem barulhentas e com muita distorção. Sendo assim, reuni 126 bandas e artistas do gênero. A seleção Especial pode ser encontrada no Spotify do Hits Perdidos (siga o Hits no Spotify!).

A playlist conta com sons das bandas: Cattarse, MQN, Stone House On Fire, Bears Witness, Ruínas de Sade, Red Mess, Tropical Doom, Necro, Muñoz, Hammerhead Blues, Hellbenders, Black Drawing Chalks, Quarto Ácido, Stolen Byrds, Overfuzz, Sheena Ye, The Arataca Stoned Farmers, Augustine Azul, Galactic Gulag, Fuzzly, Saturndust, Son of a Witch, Pantanum, Carbo, Búfalos Vermelhos E a Orquestra de Elefantes, Erasy, Novelta, Grindhouse Hotel, Água Pesada, Monster Coyote, Projeto Trator, Macumbazilla, Void Tripper, Evil Motor, Mad Monkees, Swan Vestas, Into The Dust, Rios Voadores, Rough Beauty, Blackslug, Mushroom Storm, Cherry Devil, Dogman, Dry, Girlie Hell, The Galo Power, SixKicks, The Experience Nebula Room, Blind Horse, Rollbando, Gods & Punks, Disaster Cities, Trivoltz, Sulfürica Billy, Buffalo Trio, Freak Company, Dum Brothers, Duna, Brisa e Chama, KKFOS, Fodastic Brenfers, Governator Insane, Green Morton, Lively Water, Pesta, McGee & The Lost Hope, Molho Negro, Blind For Giant, Vinyl Laranja, Blocked Bones, Zonbizarro, Muff Burn Grace, Ralo, Cassandra, Disaster Boots, Black Noia, Loladéli, Demoniah, Mondo Bizarro, Letters From, Diablo Motor, Piloto Automático, Stone Breeze, Dead Level, Witching Altar, Beker, Vulgo Garbus, Barizon, Electric Goat Combo, Morromantra Helga, Magzilla, Mind Reverse, Ronco, Psilocibina, Netuno Doom, Damage Division, Far From Alaska, Godhound, Cosmo Grão, John Filme, Mad Grinder, Horned Owl Valley, Naked Drivers, Vênus Negra, Estive Raivoso, Gardenia Rust, ISSO, Maquinários, Monte Resina, A 25ª Experiência, Abske Fides, Black Laguna, Dirty Grave, Fallen Idol, Huey, I Am The Sun, Marrero, Mocho Diablo, Monstro Amigo, Monofuzz, Spiral Guru, Superchiadeira, Thymus Boogie, Spiritual Void, Pombagira, Pathos.   

Faltou alguma? Indica para a gente que adicionamos!


Advertisements

11 thoughts on “Roque Chapado: Playlist reúne + de 120 bandas do Stoner Rock brasileiro

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s