Ale Sater (Terno Rei) revisita fantasmas em novo EP

O artista carioca Ale Sater, residente de São Paulo, lançou seu primeiro trabalho em 2016 chamado Japão, fora os demais três álbuns lançados pela banda Terno Rei. Recentemente aqui no Hits Perdidos você pode conferir uma canção em parceria com Nuven, “Par de Ondas”.

Após os singles “Nós” e “Peu”, que inclusive ganhou videoclipe, Ale Sater em Premiere no Hits Perdidos lança seu novo EP Fantasmas via Balaclava Records.


O músico Ale Sater em foto por Thais Jacoponi para o EP Fantasmas

Ale Sater Foto Por: Thais Jacoponi


Ale Satar Fantasmas

“Peu”, que abre o EP, “fala sobre uma relação fictícia entre pai e filho, caminhando juntos na vida e uma relação de troca, então tentei transmitir esse sentimento recíproco e traçando um paralelo à proximidade e ao convívio entre nós dois.”, como descreveu o diretor do videoclipe Gabriel Rolim durante o lançamento.

Com arranjos delicados no violão, a faixa poderia até mesmo estar em trilhas de séries como This Is Us – que tem como enredo a história de uma família. Dos aprendizados a paciência para lidar com os eventuais problemas que certamente surgirão ao longo da sua própria jornada.



O clipe foi rodado em um sítio localizado na cidade de Piranguçu (MG), mesmo local onde foram registradas as fotos de capa desse trabalho, já o vídeo é assinado por Rolim com produção de Karla Salvoni.

“Nunca Mais” segue com a mesma estética da anterior em seu instrumental e discorre sobre uma saudade que parece não caber no peito. A dicotomia entre a dureza da realidade e a leveza do plano dos sonhos. A distorção em sua parte final mostra como as feridas ainda estão expostas.

Ao som de teclados, “Caminhão” carrega consigo um espírito wanderlust. Ao mesmo tempo que a vontade de pegar a estrada, ver gente e voltar a desfrutar os pequenos prazeres que a vida nos permite, o interlocutor se vê em um quarto observando estrelas, o movimento dos carros, e, consequentemente, se vê frustrado. Dores típicas do nosso atual momento de isolamento social. As cordas, além das cores, dão um tom ainda mais dramático a jornada.

“O single “Nós” surge como uma canção rica em detalhes. Calma, lenta e com uma sonoridade que já esteve presente nos trabalhos do cantor, com formação acústica lo-fi, violões e vozes acompanhados por teclas e sintetizadores; frutos da produção de Gustavo Schirmer.

“Nós”

Apesar do título “Nós”, alguns trechos da música como “correrei pelas cidades, eu conheço meu lugar” e “te chamo porque não vens, eu estou sozinho” dá a sensação de que é uma música sobre solidão. Porém, ao chegar no primeiro refrão — com versos como  “escrevo cartas no trem a todos os velhos amigos” e “espanto fantasmas que eu vejo” —, de forma inesperada, a faixa proporciona conforto.”, descreveu Fernanda Decaris no lançamento do single aqui no Hits Perdidos

“Fiz essa música depois de ir a um restaurante e observar por um tempo o garçom que atendia. Fiquei imaginando quem seria ele, o que ele faria depois, se seríamos amigos se a gente se conhecesse etc.”, revela Ale Sater.

“O que mais me inspira é a beleza singela. Algo que é muito bonito, mas não faz questão de ser, saca? Isso vem se desdobrado em vários temas que repito nas minhas letras — cidade, amor, nostalgia, juventude e sonhos”, completa o artista.