A ATR é uma banda instrumental formada em São Carlos, interior de São Paulo, que comemora treze anos de carreira nesse ano de 2021 e diante da paralisação dos shows segue apresentando obras musicas mesmo com as dificuldades do distanciamento.

Seus 6 já lançados álbuns autorais ao longo dos anos são a mostra da versatilidade musical do trio, que tem em seu histórico a circulação de quase 400 shows pelo Brasil, América Latina e Europa e a incansável busca por investigar linguagens, sons e projetos multiplataforma. 

A banda, que tem em seus integrantes a formação em audiovisual e criou o projeto Aparelho Diegético, com o intuito de sonorizar filmes e vídeos executando uma trilha sonora inédita com grande espaço reservado ao improviso. Com esse projeto, a ATR realizou o Regen Remix, feito em parceria com Vj Ocari e Jovem Palerosi, e Laguna Sampler, construída sobre colagens e recortes experimentais da Vj Ya B.Dealer.

Banda ATR foto por Luz Vermelha

ATRFoto Por: Luz Vermelha

ATR compõe a trilha sonora de Encouraçado Potemkin

O projeto ATR sonoriza o filme Encouraçado Potemkin, oferece uma experiência contemplativa e híbrida entre cinema e música, com a realização da sincronização da trilha sonora inédita e na íntegra de um dos maiores clássicos do cinema russo e mundial. Esse projeto resultou nesse criação que o grupo construiu abrindo possibilidades e novos significados sonoros diante de um marco histórico que aconteceu em 1905, na Rússia Czarista, em que o levante iniciado pelo navio de guerra Potemkin pressagiou a Revolução de 1917.

O filme, obra lançada em 1925 e dirigido por Sergei Eisenstein, pertence ao domínio público e já foi apresentado pela banda com a trilha sonora executada ao vivo no Sesc Jundiaí (São Paulo), MIS (Florianópolis/SC), Sesc Araraquara (São Paulo), Vila Container (Belém/PA), Sesc Santo Amaro (São Paulo) e Camaleão Cultural (Curitiba/PR).

O Álbum

Permeada pela música eletrônica, a obra apresenta elementos da synthwave, samplers e camadas que trazem à tona a tensão da revolta popular diante da repressão na Revolução Russa, na qual Sergei Eisenstein mostra com a luta por justiça social perpassando a história da nossa civilização, trazendo a tona um tema ainda tão atual e eminente. 

O álbum já está disponível nas principais plataformas digitais com o título Battleship Potemkin – Alternative Motion Picture Soundtrack em 14 faixas.

Lançado junto a sincronização da trilha sonora inédita no canal do Youtube, o projeto propõe a criação de novas paisagens sonoras para imagens narrativas inspiradas pelo filme.

ENTREVISTA: ATR

A música instrumental tem seu universo imagético muito livre normalmente. Como foi criar coletivamente para imagens que já existem?

ATR: “É bem interessante ter um ponto de partida definido para iniciar a criação, as imagens nos trouxeram sensações que naturalmente foram sendo traduzidas pra parte musical. É um modo de composição que geralmente não usamos na banda, então é um desafio, mas ao mesmo tempo muito enriquecedor experimentar esses processos diferentes.

Nós já tivemos a experiência anteriormente em fazer trilhas para materiais audiovisuais, mas “O Encouraçado Potemkin” foi o filme mais narrativo e longo que fizemos, e em uma nova fase da banda, mais eletrônica.”

Como tem sido produzir música durante a pandemia? Contem pra nós o processo. Houve algo que surpreendeu nesses processos de criação remota?

ATR: “Ao mesmo tempo que a pandemia afastou ela também aproximou no sentido das parcerias e das gravações a distância. Nosso último disco, Mundi, foi todo produzido assim e conta com participações da República Dominicana, Haiti, EUA e Argentina. E também com a parada dos shows acreditamos que a maioria dos artistas tem produzido mais, pensando novos projetos e novas parcerias.”

Qual instrumento e métodos vocês tem usado para se comunicar com seu público?

ATR: “Temos usado as redes sociais ainda. Sentimos bastante falta do contato presencial com o público, o boca-a-boca sempre foi um meio bem efetivo de divulgar nosso trabalho e conquistar novos fãs quando circulávamos para fazer shows. 

Nas redes sentimos uma dificuldade maior em alcançar o nosso público, que é mais restrito pelo nosso histórico com música instrumental e experimental principalmente, e pelo nosso trabalho independente.”

Se vocês pudessem falar algo diretamente com o diretor do filme, o que diriam?

ATR: “Que quase 100 anos depois e do outro lado do mundo a obra dele segue muito atual e inspiradora. E que temos muita satisfação em criar uma nova camada de leitura para o filme a partir da nossa música.”

Quais perspectivas de vocês para os shows pós pandemia? Se pudessem prever como seria?

ATR: “Infelizmente as casas de shows e produtores estão passando por um momento muito difícil e muitos precisaram encerrar suas atividades, por isso sabemos que o retorno aos shows terá grandes desafios.

Esperamos ter suporte do poder público e das marcas que se relacionam com o mercado da música nesse retorno para que possamos voltar a circular e formar público com total segurança.

Vai ser emocionante esse reencontro, quando ele for possível!”

Assista o filme e escute o álbum:

Ficha técnica 

Trilha sonora sincronizada Composição: Eduardo Porto, Juliano Parreira e Gustavo Koshikumo Produção musical, mixagem e masterização: Deep Leaks