Com críticas a distopia brasileira, Planet Hemp lança single e clipe com Criolo

 Com críticas a distopia brasileira, Planet Hemp lança single e clipe com Criolo

Planet Hemp e Criolo nos bastidores do videoclipe para “Distopia” – Foto Por: Bel Gandolfo

Explosão, confusão, crítica social afiada e linha de frente. A volta do Planet Hemp não poderia carregar elementos que nos mostrem um pouco mais do DNA ativista, contra o sistema vigente e repudiando a onda de retrocesso político e social recorrentes nos últimos anos no país. No meio disso a “Distopia” em que vivemos é o que centralizará a narrativa do primeiro disco do supergrupo carioca que vai do rock’n’roll ao rap, do funk ao dub sem pedir passagem.

O momento é propício, afinal, estamos a apenas 12 dias do primeiro turno das eleições que irá definir os representantes dos principais cargos eletivos do país e o clima é justamente o defender a democracia. Esta que em diversas vezes foi posta a prova mediante a crises institucionais, morais e muitas vezes de caráter humano. Com o espírito de convocação ao poder popular de reação e mobilização, “Distopia” abre os caminhos para o primeiro disco de inéditas do Planet Hemp em 22 anos. O material sairá pela gravadora Som Livre.

“O Planet Hemp sempre foi um movimento de contestação. As nossas letras, que um dia já nos levaram pra prisão, são o reflexo do que a gente pensa sobre esse sistema, sobre o ideal coletivo e a nossa forma de expressar através da música o nosso manifesto. Vai muito além de um discurso político, é um discurso musical muito mais profundo sobre liberdade de pensamento”, diz o grupo sobre o cunho político da canção e sua identidade 


Planet Hemp “Distopia”
Planet Hemp e Criolo nos bastidores do videoclipe para “Distopia” – Foto Por: Bel Gandolfo

Planet Hemp feat. Criolo “Distopia”

“Distopia” é uma canção que traz guitarras altas e pujantes, rimas firmes de Marcelo D2 e Bnegão que se sentem bem a vontade em dividir o protagonismo, e a participação de Criolo acaba sendo bastante emblemática por si só. Visto que o rapper paulistano fez linha de frente contra o governo e as atitudes escracháveis durante seus lançamentos, seja através de um clipe sobre a distopia social e a vanguarda do atraso, como protestando ativamente em períodos sensíveis da pandemia.

Vale lembrar que ele perdeu a irmã vítima da COVID-19 e acabou imortalizando sua luta em “Cleane“; e em “Boca de Lobo” ele já havia criticado com veemência as atitudes do governo e suas políticas públicas.

O vídeo para “Distopia” tem inclusive direção assinada por Marcelo D2 e foi produzido pela sua produtora Pupila Dilatada. Nele o quinteto formado atualmente por Marcelo D2, BNegão, Formigão, Pedro Garcia e Nobru ao lado de Criolo, aparece em takes que alternam cenários urbanos de protestos e batidas policiais, além da natureza.

Claro que a “família tradicional brasileira” não ia passar impune em meio a um clima hostil. Pois mesmo com tamanhos absurdos, e escândalos de corrupção, a postura de defender o inominável lembra tempos nebulosos da história da política brasileira. Entre hipocrisia, balas e livros religiosos, a cena central na qual Bnegão aparece ao lado diz muito sobre o negacionismo e ostracismo que entrou nas casas dizimando lares – e afastando parentes. Se o clima é de guerra, o Planet Hemp não foge a luta.

“Gravado em quatro dias pelo Rio de Janeiro e dividido em doze cenas, o clipe de “Distopia” é um grande trailer do que vem por aí no audiovisual de todo o disco”, declara Marcelo D2. 


Rafael Chioccarello

Editor-Chefe e Fundador do Hits Perdidos.

Related post

error: O conteúdo está protegido!!