Notícias

O fim de uma trilogia com referências e muito “fan service” em Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa

Aproveitando que agora o Hits Perdidos também vai incluir o conteúdo de cultura nerd, vim aqui falar um pouco sobre o filme de maior sucesso desde Vingadores Guerra Infinita e Ultimato, estou falando do amigão da vizinhança – Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa, que estreou na ultima quinta-feira (16).

Muitos se questionavam como seria esse terceiro filme da trilogia do cabeça de teia interpretado por Tom Holland. Dois filmes, de certa forma, questionáveis em relação a roteiro – De Volta ao Lar e Longe de Casa apesar de serem sucessos são questionados pelos fãs até hoje, principalmente pela falta da “essência” do Spider com sua relação a Tony Stark, o Homem de Ferro. Depois de introduzir Peter Parker adolescente, se descobrindo o Homem-Aranha, fazendo parte dos vingadores, lutando até no espaço; como garantir o sucesso do terceiro filme? 

Acordo entre Marvel e Sony

Antes de começarmos a falar sobre o filme vou relembrar um pouco sobre o acordo, que quase teve fim, entre Sony e Marvel.

Explicando rapidamente, a Marvel vinha de uma crise financeira em 1999 e com isso licenciou alguns de seus personagens para alguns estúdios. Entre eles havia a Columbia Pictures que pertencia a Sony. O licenciamento garantia à Sony o direito de fazer filmes e séries de TV com o Homem-Aranha e ficar com todos os lucros de bilheteria. Já os lucros decorrentes de merchandising, como bonecos e itens promocionais dos filmes, seriam divididos em 50% com a Marvel. Com a falta de alguns personagens, a Marvel focou em Homem de Ferro e fez seu primeiro filme próprio.  

Em 2015, após algumas negociações, Marvel e Sony anunciaram o acordo em relação aos direitos do Homem-Aranha. Porém, depois de um tempo a Disney suspendeu o acordo pois queria 50% do lucro de bilheteria e produção e a Sony não queria abrir mão. Não se sabe o que as fez voltarem atrás, mas no fim tudo deu certo e ambas firmaram acordo e garantiram que não haverá mais esse tipo de risco. 

Como surgiu o Homem-Aranha?

Sendo um dos heróis mais populares do mundo, Homem-Aranha surgiu em 1962, na revista Amazing Fantasy. Foi criado por Stan Lee, Jack Kirby e Steve Dikto, porém Kirby só participou do desenvolvimento inicial.



Órfão, é criado por seus tios Ben e May. A premissa do personagem é de um adolescente comum e nerd, que não se encaixava no estereótipo de heróis musculosos, se interessando por assuntos científicos e tecnológicos, muito tímido e sofrendo bullying na escola. Picado por uma aranha radioativa, ele ganha super poderes se tornando o Homem-Aranha. 

Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa

Depois de 2 filmes solo mais 3 participações em filmes da Marvel, o terceiro filme solo do cabeça de teia vinha com grande expectativa mas ao mesmo tempo com muito receio entre os fãs. Muitos rumores, esperança de participações dos velhos aranhas – Tobey Maguire e Andrew Garfield – além da desconexão de Peter em relação a Tony Stark – o que pra muitos fãs, de certa forma, diminuía aquele Peter Parker humilde, que costurava seu próprio uniforme, que passava por vários apuros. Homem de Ferro foi um marco para Marvel, que começou a desenvolver seu universo no cinema, mas agora é hora de um novo caminho. 

Vazamentos, especulações, o silêncio – mas nem tanto (alô Jamie Foxx) – dos atores fez com que questionássemos o que aconteceria realmente no filme. Não sei para vocês, mas tenho certeza que esse é o melhor filme do Aranha (talvez até de super herói) dos últimos tempos e o melhor encerramento de uma trilogia – que inclusive não será a única. Amy Pascal (produtora da Sony) já anunciou que teremos mais 3 filmes solo do Aranha com Tom Holland, e Kevin Feige já anunciou que o quarto filme já está em desenvolvimento.



Sobre a história, ela começa exatamente de onde parou seu filme anterior – Longe de Casa, onde o vilão Mysterio expõe para todo o mundo a verdadeira identidade do Aranha. A partir dali a vida de Peter vira um reality show, onde quer que ele vá há uma câmera mostrando seus passos. A vida pessoal de Peter andava conforme a de qualquer adolescente, se inscrevendo para faculdade, elaborando seu futuro ao lado da namorada MJ e do melhor amigo Ned. Infelizmente as coisas não foram como Peter gostaria, e por ter sido exposto o mesmo começou a perder tudo aquilo que vinha planejando.  

O diretor Jon Watts soube abordar muitos lados do Aranha, até o lado sombrio. Também trouxe o alivio cômico e muitas referências, tudo o que um Fan Service pede. Vemos um Peter tentando fazer com que as coisas voltem a ser como antes, se atrapalhando no meio do caminho e tendo que correr atrás do prejuízo. Traz de volta personagens tão conhecidos e queridos pelo público que fica impossível não se empolgar ou se emocionar, as lutas são muito bem coreografadas, o CGI é quase perfeito.

O filme fala, principalmente sobre segundas chances – o que seria de nós se não as déssemos ou recebêssemos. O que seria de cada personagem no filme se não houvesse uma chance de sobreviver, de realizar aquilo que mais almeja.  

A performance dos conhecidos vilões de outras versões do aranha, assim como a atuação de Tom Holland, roubam as cenas. A interação dos atores é ótima e passa com muita transparência ao público. Será que voltaremos a ter participações de Dafoe, Molina e Foxx num futuro? Não sabemos, mas confesso que depois de assistir ao filme gostaria e muito.   

Vemos um Peter muito humano e complacente com o próximo, mas também vemos o mesmo Peter cheio de raiva, rancor, ódio, sede de vingança. Temos um Doutor Estranho se readequando após o blip, tentando ajudar o garoto que já sofreu tanto, o que não dá muito certo e foge do controle abrindo o multiverso que tanto esperamos ver retratado na telona. 

Zendaya e Jacob Batalon, que interpretam namorada e melhor amigo de Peter respectivamente, dividem também algumas das cenas mais engraçadas e emocionantes. Os vilões são maravilhosos, Dafoe me fez sentir novamente aquela tensão com sua risada de Duende Verde, Jamie Foxx com, finalmente, um uniforme a altura e um Molina espetacular e do qual sentíamos saudades como Dr Octopus. E não esquecendo o inconveniente J. Jonah Jameson, interpretado por J.K. Simmons, dono do Clarim Diário e que ama difamar o Homem-Aranha 



Sucesso de bilheteria

Além de aclamado pela crítica e pelos fãs, até agora, Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa quebrou muitos recordes, entre eles terceira maior abertura de bilheteria mundial da história, com faturamento de 587 milhões de dólares, ficando atrás apenas de Ultimato e Guerra Infinita. É a maior abertura de bilheteria da história no Brasil e a segunda melhor estreia estadunidense com US$121.5 milhões, ficando atrás apenas de Ultimato.  

A Trilha Sonora de Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa

Foi lançada na sexta-feira (17/12) a trilha oficial de Homem-Aranha: Sem Volta para Casa. As 23 faixas são de autoria do compositor americano Michael Giacchino, que já foi responsável pela trilha de De Volta ao Lar e Longe de Casa, também estrelados por Tom Holland, além de sucessos como Rogue One: Uma História Star Wars.

Sobre a trilha sonora, Michael Giacchino diz:

“Tem sido realmente especial fazer parte dessa viagem de três filmes com Peter Parker e nosso talentoso diretor Jon Watts. Ao longo dos filmes, Peter cresce de um adolescente típico com angústia e estranheza cotidiana que tantos de nós tínhamos naquela idade, para um jovem adulto mais confiante, que entende sua grande responsabilidade.

O bônus de poder viajar e brincar com o multiverso me trouxe de volta vários anos, lembrando a todos nós o porquê amamos esse personagem em primeiro lugar. Foi uma honra adicionar ao legado do Homem-Aranha”.

Não vou me prolongar muito pois não quero dar spoilers e como fã aconselho que vocês vivam a experiência no cinema. Há vários momentos do filme te fazem gritar, outros chorar – é como torcer para seu time do coração no estádio, numa final de campeonato – quase os mesmos sentimentos de euforia e tristeza que vivemos em Vingadores Ultimato.

Nós torcemos para que tudo dê certo no final, apesar dos pesares, e que ele consiga manter sua essência por mais que tudo contribuísse para que ele desistisse. Afinal, o “amigão da vizinhança” tem um grande futuro pela frente nas telonas, com mais vilões, mais histórias e lições de vida que servem também para nós reles mortais. Até porque, com grandes poderes vêm grandes responsabilidades. Vá ao cinema, e não esqueça – filmes da Marvel tem pós créditos e que o filme irá para a HBO MAX no primeiro semestre de 2022.



Leia Também: Cobertura da CCXP 2021

This post was published on 20 de dezembro de 2021 2:05 am

Mila Borges

Colaboradora no Hits Perdidos, nas horas vagas descobrindo o que há de bom na música Brasil a fora. Fora isso adoro futebol, churrasco. Não gosto de preconceito no geral (música então nem se fala).

Posts Recentes

FERALKAT olha para o abismo em “Existo”, single ganha clipe produzido inteiramente por mulheres

A vocalista, guitarrista e tecladista da banda curitibana The Shorts, Natasha Durski, apresenta mais um…

25 de novembro de 2022

illinoise estende o tapete vermelho para apresentar seu Emo Chic no single de estreia, “Bad Vibes Only”; leia entrevista exclusiva

illinoise debuta com o single "Bad Vibes Only" De vez em quando temos a oportunidade…

25 de novembro de 2022

Depois da Festa, Tuyo celebra as vitórias e mira um futuro possível

Depois da Festa coroa a nova fase do trio paranaense Tuyo Já tem alguns anos…

24 de novembro de 2022

Lançamentos Latino-Americanos da Semana: Alexandre Kumpinski, No Invierno, Gus Levy, Dylan Thomas, Flaüta e Groommit

Lançamentos Latino-Americanos: Alexandre Kumpinski, Gus Levy e muito mais! Com tanta música sendo lançada a…

23 de novembro de 2022

Rashid e Liniker celebram a volta à vida em videoclipe para “Ver Em Cores”

Rashid lança o videoclipe para "Ver Em Cores", parceria com a vencedora do Latin Grammy…

22 de novembro de 2022

Os Melhores Clipes Independentes | Outubro (2022)

Confira os melhores clipes independentes lançados em Outubro | 2022 em seleção especial feita pelo…

21 de novembro de 2022

This website uses cookies.