Um novo projeto montado por uma casualidade por amigos de infância é essa a história da Casually que se divide entre Fortaleza e São Paulo. Em sua formação eles contam com Vivi, Gabi e Cef. Nesta sexta-feira eles apresentam seu primeiro EP com 5 canções sendo dois singles anteriormente apresentados ao público.
O resultado é bastante agradável passando por referências que vão do bedroom pop, passando pela psicodelia e desembocando até mesmo na Bossa Nova. Leve, divertido e easy listening, é interessante ver logo no primeiro EP os caminhos que o grupo pode percorrer em um futuro projeto.
“A ideia de montar a Casually começou com o Cláudio, produtor musical no pseudônimo Flipwav, e o Gabriel, conhecidos da adolescência nesse universo da música fortalezense onde todo mundo que toca se conhece.
Fortemente influenciados por bandas como Crumb e Melody’s Echo Chamber, eles procuravam uma voz feminina bem etérea característica do dream pop. Daí, eles contactaram a Vivi, também de Fortaleza, porém morando em São Paulo e originalmente baixista, para um projeto descompromissado nas férias e a partir de então passamos a nos reunirmos na casa do Cláudio para compor, produzir e gravar. O “projeto descompromissado de férias” acabou por virar a Casually.”

Casually Banda Fortaleza

CasuallyFoto: Divulgação


A Proposta musical

Casually: “Na Casually a gente procura integrar as influências dos três integrantes, desde Bedroom Pop, Rock Psicodélico até Bossa Nova, mas dando uma cara nossa, com a leveza e as letras que remetem a nossa boa relação e dinâmica de funcionamento à distância. A gente busca criar músicas que abracem essa atmosfera de algo casual, leve e tranquilo”

Porque do distanciamento entre os singles e a dinâmica toda diferente de funcionamento?

Casually: “”Feels Like Home foi o nosso “dedinho na água pra ver a temperatura”, nossa primeira composição e trabalho juntos. Gostamos muito do resultado e começamos a preparar outras músicas. O trabalho deu uma esfriada por um ano devido a questão da distância ter sido agravada pela pandemia. O isolamento não permitia que nos encontrássemos, o que dificultou o processo de criação. Além disso, o Cláudio é médico e tem atuado na linha de frente da pandemia.
No fim de 2020, a Vivi veio para Fortaleza e voltamos a trabalhar nas músicas, primeiro com “Little Yellow” e depois com o restante das músicas do EP Take Care. Até então, nosso processo de criação foi totalmente express por só nos encontrarmos em breves períodos de férias e feriados. Mas agora em 2021 estamos preparados para gravar à distância e essa dinâmica nova tem funcionado muito bem para a gente! Estamos ansiosos para lançar mais trabalhos em 2021!”

Faixa a faixa EP: Casually Take Care (29/01/2021)

“Cici”

“Cici é a faixa de abertura do EP Take Care e é indiscutivelmente uma das músicas mais cativantes da banda. Assim como nossas outras músicas, Cici possui uma voz suave e riffs de guitarra viciantes, mas se destaca pelos seus grooves dançantes e seu alto astral.”

“Little Yellow”

“Little Yellow é sobre se livrar do FOMO e da ideia de que tudo está sob controle. É uma faixa sobre abraçar o caos e a bagunça da vida e aproveitar o caminho. Little Yellow é uma das nossas músicas mais felizes e um abraço quentinho em quem escuta.”

“the name of this song is give me back my cat”

“Com um título bem longo e apelidada carinhosamente por nós como “a música do gato”, essa faixa é uma das mais melancólicas e etéreas do EP. Ela tem um ritmo mais lento e influências de bossa nova. É o resultado de uma parceria com o saxofonista Calel Arrais.”

“Feels Like Home”

“Nossa primeira música e nossa queridinha, “Feels Like Home” possui synths expressivos e uma quebra de tempo que deixa o refrão grudento e faz você cantar o dia todo. Ela também possui um solinho de guitarra bem emocionado.”

“Red Gust”

“Red Gust” é uma música que deixou a gente bem receoso inicialmente por ter uma pegada bem diferente do que nós criamos antes, mas aos poucos a gente se apaixonou por ela. Com influências de prog-rock e rock psicodélico, “Red Gust “é uma música sensual sobre mormaço e calor numa cidade litorânea.”