O rapper Djonga lançou neste sexta-feira (13/11) o videoclipe para “Procuro Alguém”. O mineiro em sua conta no Twitter inclusive disse que era o vídeo mais bonito até o momento.



“Procuro Alguém” é uma homenagem a sua filha, a faixa está presente em seu disco Histórias da Minha Área lançado em março. No refrão da música Djonga repete “Iôiô”e o choro de um bebê aparece no final da música.

A filha do rapper nasceu prematura, e apesar disso, é uma criança saudável. Na época ele disse: “As crianças dão mais melodia para a vida da gente”. Hoje Iolanda tem um ano de idade.

O roteiro e a direção de cena são assinado por Djonga e Túlio Cipo, o último também assina a direção de fotografia. A produção é assinada por Babilonya Film Music.



Djonga Histórias da Minha Área (2020)

“Quando eu conto a história da minha área, acho que conto a história de todas as áreas do Brasil que se parecem com de onde eu vim…vocês sabem do que eu to falando, pelo menos quem veio de lá sabe do que eu to falando, quem não cresceu preso dentro de casa vai entender o que eu to falando, só não é garantia que vão gostar do que eu to falando.”, relembra Djonga sobre a temática do disco

“Por mais que seja a minha perspectiva ali nas músicas, quem vem do lugar de onde eu vim vive as mesmas coisas, sejam elas boas ou ruins”, completa Djonga.

“Djonga me ligou falando que queria mostrar todos de pé, de bem com a vida, e vendo como poderiam estar se as coisas tivessem ido por outro caminho, ou seja, mortos no chão”, revela Alvaro Benevente Júnior, o Alvinho, autor da arte da capa

Participações Especiais de Histórias da Minha Área

O novo álbum conta com 10 faixas e diversas participações especiais. Entre elas de Bia Nogueira, NGC Borges, FBC, Don Juan e Cristal. O registro conta novamente com a produção musical assinada por Coyote Beatz.

O rapper declarou na época em sua conta no twitter:

“É hoje, nos outros álbuns eu sempre tive certeza que dei o meu melhor, nesse eu só tenho certeza que eu dei o mais verdadeiro de mim, foi o mais fácil e o mais difícil de fazer. Não tem mais volta, Fudeu!”