Institution denuncia as diferentes formas de opressão em clipe para “Frêmito”

Nas vésperas da quarentena o Institution lançou seu segundo álbum de estúdio, Ruptura do Visível via Hearts Bleed Blue. O marco dentro da trajetória do grupo paulistano de hardcore, que também flerta com o metal, foi o fato de ser o primeiro registro totalmente em português. Como conceito central a ideia era discutir o desenvolvimento de uma consciência crítica e o rompimento das práticas sociais opressoras.

“Apenas quando somos capazes de compreender a nossa classe social é que entendemos o que se passa ao nosso redor para, então, buscarmos práticas para amenizar tais problemas. Uma pessoa que mora em uma área periférica não tem os mesmos privilégios que outra que mora em uma área central ou de alta renda.

E o que isso impacta na vida das pessoas? Por que o sistema educacional ou de saúde é diferente entre regiões? Por que não há práticas ou espaços culturais em áreas de baixa renda? São perguntas como estas que nos fazem compreender as vicissitudes diárias que vivemos”, explicou o vocalista Hélio Siqueira na época do lançamento

O disco foi mixado por Fernando Sanches (Estúdio El Rocha) e masterizado pelo norte-americano Brad Boatright que já trabalhou ao lado de nomes de peso do calibre de Nails, Poison Idea e Harm’s Way.


InstitutionFoto Por: Murilo Amancio

Institution “Frêmito”

“Frêmito” é a sexta faixa que compõe o álbum e aborda o ato de resistência em meio a um cenário hostil marcado pela repressão social que silencia, e exclui, quem foge ao padrão aceito pela sociedade.

“Frêmito nasceu de uma certa urgência; de uma vontade em falar sobre diferentes formas de opressão que são institucionalizadas e materializadas e que buscam grupos que não se encaixam no padrão vigente de poder (classe social, sexualidade, etnia etc)”, conta o vocalista do Institution

A canção ganhou um clipe gravado a distância pelos integrantes durante o período de isolamento. O vídeo ainda mostra trechos de artigos de matérias que denunciam a violência, discriminação e crimes de ódio.

“O clipe foi editado pelo nosso guitarrista Fernando e a ideia por trás dele é a de trazer pessoas que gostam do nosso trabalho, mostrando elas se expressando livremente, seja por meio da música ou da letra.”



Ouça Ruptura do Visível


This post was published on 26 de outubro de 2020 12:48 am

Rafael Chioccarello

Editor-Chefe e Fundador do Hits Perdidos.

Posts Recentes

Dupla 02 vai do Trap ao Rock, da MPB ao Reggaeton no singular “FÉMY”

O som da DUPLA 02 é diferente do que você está acostumado a acompanhar por…

27 de janeiro de 2022

Zero To Hero discorre sobre a emancipação em “for the first time in a long time”

Diretamente do Vale do Paraíba, a Zero To Hero começa a apresentar os próximos da…

26 de janeiro de 2022

Os Melhores Clipes Independentes | Dezembro (2021)

Confira os melhores clipes independentes lançados em Dezembro | 2021 em seleção especial feita pelo…

25 de janeiro de 2022

Turmallina flerta com o Shoegaze e o Dream Pop no EP “Aurora”

Para quem está com sede de banda nova a dica de hoje irá agradar quem…

24 de janeiro de 2022

Rosa Chá aposta no groove e no poder das conexões em “Nada Mudou”

Após no ano passado lançar seu EP de estreia, a Rosa Chá prepara uma série…

21 de janeiro de 2022

Pitty lança o documentário “Casulo Musical” com participações de Drik Barbosa, Jup do Bairro, Badsista, Pupillo e Monkey Jhayam & Rockers Control

Depois de lançar seu novo EP, Casulo, através do seu novo selo independente homônimo, Pitty apresenta…

19 de janeiro de 2022

This website uses cookies.