Punk rock, hard rock e rock’n’roll flertam entre si por diversas vezes. Basta ver bandas como New York Dolls, D Generation e Hanoi Rocks que usam e abusam de Glitter, maquiagem, roupas apertadas, distorções e canções feitas para dançar.

É meio que essa a proposta da Sick Dogs In Trouble, quarteto que após um ano do lançamento de seu single de estreia, nesta última sexta-feira (26) do mês disponibiliza em Premiere no Hits Perdidos seu primeiro trabalho.


Sick Dogs In Trouble

Sick Dogs In Trouble Foto: Gabriel Coalah


Em sua formação o quarteto conta com Raul Signorini (Sickness), Felip Skid, Lucas Magalhães e Daniel Vicari. O projeto nasceu como um sonho de Raul em vir de Belo Horizonte para São Paulo para ter uma banda de rock.

Isso aconteceu em 2017 e aos poucos foi achando as peças que faltavam em seu quebra-cabeça. Encontrou o trio que vem dos “rolês” de rock da Augusta, se você chegou a frequentar o (finado) Inferno na última década vai entender o espírito e reverência ao glam rock dos anos 80.

Com a ajuda do amigo, e produtor, Matheus Krempel (The Bombers), Gustavo Trivela, Raul Zanardo e Anis Skunx, o disco foi gravado e produzido no estúdio Porto Produções Musicais.

Glitter In The Gutter

O EP Glitter In The Gutter, homônimo ao do Jesse Malin (D Generation), chega hoje as principais plataformas digitais e traz a síntese dos primeiros dias de banda. O registro é mais um lançamento do catálogo da Craic Dealer Records e traz consigo 5 faixas e um pouco mais de 18 minutos de duração.



Alta voltagem, guitarras abelhudas, riffs açucarados e acabamento áspero. É esse o espírito de “Slow Suicide” que traz consigo o lado cru, rápido e dançante do estilo. Entre solos de guitarras típicos do hard rock, e uma carga pesada em sua letra…de estar com a vida literalmente por um fio.

Já “Suburban Girl” puxa para o hard rock e é mais cadenciada, se aproximando de uma balada de amor.

“Do It For Yourself” parece narrar a história de deixar as coisas para trás e ir em busca de seus próprios sonhos. Assumindo as consequências mas deixando parte de si em outro lugar.

A faixa ainda faz citações ao Stooges, mais precisamente ao disco Raw Power (1973) e a clássica canção “Search And Destroy”. Definitivamente influências da banda.

O EP continua com “Old Enough to Know (Too Young To Cara)” que traz o espírito rebelde e a tensão do street punk e punk’n’roll. Se você gosta de Dead Boys, Rolling Stones e da combustão do Hellacopters, pode ser que simpatize com a faixa.

Mas quem fecha é justamente “Piece Of Shit” que conta com aquele ar do Hanoi Rocks / New York Dolls. Purpurina, Glitter, guitarras açucaradas, glamour e balada na certa. Algo como se fosse a “Rock’n’Roll Radio” deles. É o fim da linha!