Você Precisa Ouvir o sensacional álbum de estreia da Basement Tracks

Se você gosta de dream pop / neo-psicodelia / shoegaze / Krautrock / rock alternativo e todo este universo viajante, pare tudo que estiver fazendo e dê o play no álbum de estréia da Basement Tracks.

Lançado há exatamente um ano, o registro não teve a divulgação que merecia mas nem por isso deve passar despercebido!

Formado em 2012, o conjunto formado por Victor Fonseca (guitarra e voz), Ruan Lustosa (guitarra), Rodrigo Baumgratz (baixo), Lucas Duarte (bateria) e Ruy Alhadas (teclado) surgiu em Juiz de Fora (MG).

Como influências eles citam grupos como Stone RosesMGMT, Air, The War on Drugs, Jagwar Ma e Brian Eno. Mostrando bastante da pluralidade do som da banda que capricha bastante na produção e experiência sonora. 

Até então eles contam com um compacto (“Ocean’s Son” e “Mindset” / 2014), um EP (Songs From The Orange / 2015), além claro do álbum de estréia, Rave On (2018). 

Braulio Almeida (Estúdio Veneno NooAfoi o responsável pela produção, mixagem e masterização do registro que assim como os EP’s foi gravado no Estúdio Maquinaria.

“Penso que desde o início a gente queria trabalhar com muito carinho na mixagem do disco, porque as músicas eram muito melhores que as do nosso primeiro EP. Mas tanto carinho acabou se arrastando por 2 anos e foi uma luta terminar as gravações.

O processo de mixagem até que foi legal. Eu e Victor assumimos essa responsabilidade e nos juntamos ao nosso produtor, Bráulio Almeida, para trabalhar junto. Apesar do parto das gravações, no final das contas ainda estávamos bem animados com o resultado final.

Acabou que o conceito do Rave On é uma continuação, bem melhorada, do nosso primeiro EP. Queremos sempre expandir mais a nossa sonoridade sem ficar preso a nenhum estilo definido.

Consigo ver flertes com rock alternativo americano, Madchester e lofi contemporâneo em Rave On. Mas nada muito pensado, aconteceu.”, relembra Ruan


Screen Shot 2019-05-28 at 21.16.37

Basement Tracks de Juiz de Fora (MG) se apresenta pela primeira vez em São Paulo na festa do Hits Perdidos. A noite ainda conta com a apresentação do Antiprisma. – Foto: Divulgação


A Estréia em SP

A estréia em São Paulo acontece no sábado (08/06) na Casa do Mancha dentro da série de shows Hits Perdidos Apresenta que em Abril teve sua primeira edição recebendo as bandas Alaska e Cigana (que inclusive lançou na ocasião seu álbum de estréia).

Desta vez a festa receberá além dos mineiros da Basement Tracks, o grupo folk/psicodélico Antiprisma que está repaginado e a cada dia mais próximo da sonoridade do Sonic Youth.

Os paulistas se apresentarão no formato quarteto, deixando de lado a veia folk e soltando o braço na distorção, neo-psicodelia e noise rock. Vale lembrar que em breve eles lançarão seu segundo álbum Hemisférios (Previsto para Julho).

Sim, será uma noite marcada pelos chiados, distorções e buena onda para quem curtir pedais, timbres e experimentação sonora. O evento ainda contará com discotecagem do Rafa 77 do Hits Perdidos!

“Não é de hoje que a Basement tenta tocar em SP, quando lançamos nosso EP, em 2015, batemos na trave algumas vezes e acabou não se concretizando.
Com o lançamento de Rave On, SP voltou pro nosso radar.

Ano passado toquei aí com minha outra banda, a Alles Club, o que iniciou uma ponte pra esse show. Esse ano toquei novamente com a Alles, o que me ajudou a ter uma noção de onde seria o melhor lugar pra esse primeiro show. Acho que esse show vai tirar um peso das nossas costas (risos).”, finaliza Ruan


Screen Shot 2019-05-28 at 22.09.30


Serviço

Hits Perdidos Apresenta: Antiprisma e Basement Tracks
Data: 08/06/2019 (sábado)
Horário: 21h
Local: Casa do Mancha
Endereço: Rua Felipe de Alcaçova, nº 89 – Pinheiros – São Paulo/SP
Ingressos: R$20
Classificação etária: 18 anos

Confirme Presença no Evento

Basement Tracks
Rave On (Maio / 2018)

Lançado em maio de 2018, como dito anteriormente, o disco traz uma gama de influências bastante abrangente que vão da psicodelia dos anos 60 e 70, passando pela criativa década de 80 (e seu post punk) e abraçando as distorções, e utopias, dos anos 90 (Ah, que saudade dos tempos de Creation Records!)

Uma inspiração complementando a outra e criando uma linguagem não apenas sensorial mas como também estética. Despertando de bate pronto uma curiosidade iminente para assistir a uma apresentação ao vivo. Sound & Vision.



São 9 músicas, e cerca de 42 minutos de duração, transmitindo várias sensações através de nuâncias e camadas que juntas criam uma identidade própria.

Feito uma viagem no tempo e espaço…nos levando diretamente para o UK .

Feito o rebobinar de uma fitinha K7 “Sunkissed” é um grande exemplo de canção de instiga e desperta curiosidade. Impressionando por sua minuciosa produção e com potencial para acessarmos memórias perdidas.

Aquela mesma sensação que ouvir RIDE, Yo La TengoSlowdive ou My Blood Valentine proporciona. Experiência sensorial e revigorante para quem cresceu ouvindo a estes pequenos clássicos perdidos.

“Daydreaming'” te convida para uma volta, como o nome já adianta, pelo campo dos sonhos e dos devaneios. Sussurrada, ela feito uma nave te leva à bordo para uma viagem e flerta com a New Wave. Despertando sensações e levando o ouvinte para bem longe.

Já “Going Back” vai direto no coração dos apaixonados por Stone Roses e diria que até mesmo fisga, sem muita dificuldade, os fãs de Primal Scream. Madchester na veia e com lisergia que ao mesmo tempo dialoga também com Roky Erickson e seus The 13th Floor Elevators.

As texturas e camadas de “Blooming Inside” estabelecem um flerte entre o post-punk, do The Cure, e o neo-hippie psicodélico do MGMT. Combinação que ao mesmo tempo que é dark, ainda carrega uma verve dançante. Dark melancolia.

A viagem pelo espectro ciber espacial retoma feito um filme de ficção científica em “There Are Interactions Between Galaxies”. Se você gosta de Spiritualized, esta canção é definitivamente para você.

Com uma levada mais lenta, ela cresce aos poucos e cria uma atmosfera bastante peculiar. O destaque fica para sua requintada construção que mais uma vez permite sensações.

Mesmo não sendo um álbum de acid rock, por muitas vezes essa barreira é rompida. O destaque fica para os teclados que ao mesmo tempo que criam toda uma conexão extra sensorial, estabelecendo assim um elo com a espiritualidade. Fico até imaginando a sensação de ouvir esse som sob efeitos de sintéticos.

O shoegaze com doses psicodélicas aparece com mais força mesmo em “Triangles” e agradará ao mesmo tempo a fãs de War On Drugs, Tame Impala, The Jesus and Mary Chain e Stone Roses. Fugaz, ela é explosiva e mesmo tendo este ar de nostalgia, ainda é conectada com nossos tempos. Aparecendo e desaparecendo nas cinzas feito poeira espacial.

“Melody” me lembrou até um pouco o grupo francês Melody’s Echo Chamber justamente por este flerte com Space Rock e Dream Pop. Então se gosta de som alucinante e texturas, vai conseguir viajar para bem longe. E permita-se levar, faz parte da experiência.

Claro que o disco teria uma baladinha para dançar juntinho e é esse o papel de “The Glow”, um hit perdido sussurrado e que aos poucos vai seduzindo o ouvinte. A canção pode até ter sido gravada, e lançada, em 2018 mas ela te leva diretamente para o cenário do filme 24 Party People.

Merecia até mesmo um clipe recheado de camadas e animações 3D.

Mas quem fecha o disco é justamente “The Cycle” que funciona feito o fechamento dos créditos de um filme. Os créditos descem mas a sensação é a mesma de ver o pôr do sol de um dia frio de inverno.

Poderia ter sido gravado na fria Manchester mas para nossa felicidade a banda mora a apenas cerca de 500 km de São Paulo e no dia 08/06 pela primeira vez tem encontro marcado conosco!

Não Ouse Perder este Show!


Basement Tracks - Rave On


O álbum de estréia dos mineiros da Basement Tracks é uma viagem sensorial através das ondas da neo-psicodelia, shoegaze, rock alternativo, Dream Pop, psicodelia, kraut rock e experimentação.

Conseguindo nos levar direto para Madchester mas de maneira digna, com produção impecável e texturas que proporcionam uma experiência tão forte feito uma viagem no tempo e espaço. Entre à bordo de Rave On e permita-se levar para bem longe!

A oportunidade de assistir o grupo de Juiz de Fora (MG) se apresentar pela primeira vez em São Paulo acontece no dia 08/06 na Casa do Mancha dentro da Festa Hits Perdidos Apresenta que também contará com show do Antiprisma. Coloca na agenda!