[Premiere] Em ritmo de Copa do Mundo, Guantas faz releitura latina para clássico do Green Day

América Latina Libre! Não tem outra forma de começar um texto sobre a banda Guantas sem tocar neste assunto. Não adianta ainda é algo que precisa culturalmente ser reforçado. Apesar de diversas iniciativas e festivais que promovem o intercâmbio de artistas de países sul americanos, ainda vemos a música latina em geral, seja ela em espanhol, francês, italiano…encontrando barreiras dentro da indústria fonográfica nacional.

É bem verdade que de vez em quando “aparece” um hit ou outro pop e acaba se destacando nas paradas globais mas é raro. Infelizmente fomos educados a consumir uma cultura “enlatada” americana e muitos meios de comunicação compraram isso.

A tristeza é que realmente acaba sendo difícil com que este material chegue ao consumidor potencial final. Sim, estou falando como produto, um produto cultural tão importante quanto um hit da Madonna ou um single dos Rolling Stones.

No Brasil mesmo, quantos programas de TV são focados na cultura hispânica? Quantos blogs e portais você consegue se atualizar sobre música latina? Qual foi o último artista novo que você conheceu de países latino americanos? Porque você chegou neles?

São Perguntas que devíamos nos questionar e refletir a cada dia mais e por aqui artistas de todas as nacionalidades e referências artísticas sempre serão bem vindos. No fim sinto que é um misto de tudo. De a informação não chegar a o público, do preconceito com a língua, de espaço e de reconhecimento.

Música boa tem em todo lugar e cativa. Muitas vezes você pode não entender sequer uma palavra do que uma banda alemã cantarola mas você quer dançar, se sente agoniado ou quer esbravejar. Porque no fim música é isso: esse sentimento amplificado.


guantas01
Guantas de São Paulo agrega ritmos latinos – e da música global – em seu animado som. – Foto: Divulgação.

Pude conhecer a Guantas da maneira mais faça você mesmo possível. Procurando espaço por divulgação o vocalista, Nacho Martin, que também toca Ukulele, enviou seu material. Foi em um momento propício pois estava montando a playlist de Ska / Skacore / Ska Punk do Hits Perdidos.

De pronto me contou que era argentino e que estudava sobre ritmos latinos, que conhecia uma quantidade impressionante de ska e seus adjacentes. Algum tempo depois soube que eles fariam uma série de shows gratuitos no Mirante 9 de Julho.

Chegando lá vi um set divertido e animado desde a atitude – e descontração – da banda, até mesmo a escolha das canções. Estas que mesclavam músicas de seu primeiro EP autoral e versões de canções como “Livin’ La Vida Loca”, eternizada por Ricky Martin, a radiofônica “Despacito”…entre outros clássicos da música pop latina.

Alguns mais animados começaram a dançar e era fácil ver anônimos chegando – e logo se animando pelo clima leve. O set que eles prepararam para aquele dia era de fato longo mas ao mesmo tempo dialogava com pessoas que provavelmente nunca tinham tido contato com aqueles ritmos envolventes.

O fato é que os elementos explorados pela banda paulista envolvem várias épocas e estilos. O Ska, o Dub, o Reggae, o Jazz, o Rocksteady, o Rock, o Punk, a Cumbia entre outros são abraçados e só nos mostram como a música é global e consegue cativar até os mais fechados para o novo.

Premiere “Basket Case” (Green Day)

Nesta terça-feira (26/06) a poucas horas do confronto entre Argentina e Nigéria pela última rodada da primeira fase da Copa do Mundo, a Guantas lança em Premiere pelo Hits Perdidos o videoclipe para “Basket Case”.

Sim, você conhece essa música e provavelmente cansou de cantarolar – e furar – o Dookie (1994). A canção do Green Day é uma das mais conhecidas do grupo norte-americano. A princípio a versão idealizada pela banda não era uma cumbia em si mas sim um Ska Cover.

Porém como ela não funcionou muito bem neste formato, eles acabaram abraçando a cúmbia colombiana. Para quem não conhece ainda, o gênero musical é um dos ritmos mais populares também na Argentina.

De fato até o Carlitos Tévez, craque do Boca Juniors, tem uma banda do gênero. Então a níveis de Brasil, seria algo como a ousadia & alegria do pagode.

Em plena época de Copa do Mundo o vídeo ficou pronto e nada como lançá-lo em um dia tão futebolisticamente importante. O duelo em campo também será de ritmos e de ótimas dancinhas. Pode ter certeza que quando saírem os gols da Nigéria ou da Argentina, os passinhos serão perfeccionistas, irreverentes e bastantes ensaiados.

Agora a dúvida é se no final do jogo ouviremos o drama de um tango argentino ou se tudo irá virar uma churrasco com cúmbia de fundo. Fato é que para aquecer para o jogo de logo menos, vamos de cumbia com a banda Guantas.



O clipe foi gravado durante as apresentações no Mirante 9 de Julho, em São Paulo, em abril deste ano. Assina a produção a Monte Castelo. Já a gravação que foi realizada no Estúdio Costella, conta com a mixagem e masterização de Paulo Senoni.

Entrevista

[Hits Perdidos] Primeiro gostaria que contassem sobre como surgiu a banda e a proposta de “latinizar” a cultura pop?

Nacho Martin: “A banda surgiu quando percebi que minha voz combinava com o ukulele e conheci o Diogo que tocava mil e um instrumentos! (risos). A partir disso tentamos seguir nossas influências latino americanas, uma vez que eu sou argentino e o Diogo já viajou bastante pela latino américa! Com nosso som tentamos mostrar que há diversidade cultural fora do Brasil! A latinidade tá na moda, bicho!”

[Hits Perdidos] Embora os países sejam vizinhos, o brasileiro parece em geral “ignorar a existência da música cantada em espanhol”. O que acredita que faz com que essa barreira exista?

Diogo Rampaso: “Porque o brasileiro é americanizado, se influencia por tendências e culturas norte-americanas, buscando referências de países de primeiro mundo e midiáticos.”

[Hits Perdidos] No som de vocês tem uma panela interessante passando por Cumbia, Dub, Ska, Jazz… como é o processo que elaboraram para funcionar quando gravaram o EP?

Diogo Rampaso: “A proposta básica é colocar elementos da cultura musical global, trazer uma linguagem diversificada e que “brinque” com diversos estilos. Sem perder também a intenção de quebrar barreiras e preconceitos, trazendo diversão.

Tendo isso estabelecido, deixamos pro talento de todos do grupo, aí vamos montando os arranjos e ordenando as ideias..”

[Hits Perdidos] Os shows tem também bastantes versões que acabam “aproximando” um público que não os conhece, como tem sido o feedback pós show que mescla autoral e cover….quando chega no papo do autoral?

Diogo Rampaso: “Engraçado que nossas versões tem sempre uma apresentação divertida e o mesmo acontece com nossas autorais, muitas vezes o público dança e curte igual, mesmo não sabendo de quem é a musica!!”


guantas02
Eles estão preparando um novo EP que contará com outras versões. – Foto: Divulgação

[Hits Perdidos] Vocês tem planos de trabalhar em breve em um disco ou novo EP? E o que ainda acham que seria legal brincar de versão?

Nacho Martin: “Sim, sim! Já lançamos no ano passado nosso primeiro cd com 9 faixas autorais chamado Guantas que está disponível em todas as plataformas digitais e começamos a trabalhar em um novo cd de próprias!

Antes disso, estamos por lançar um EP de três versões inusitadas com o título: (Di)Versão! Uma delas é esta versão cúmbia do clássico “Basket Case do Green Day”! Eu estou tentando convencer o pessoal a fazermos uma versão ska de algum samba ou pagode! (risos).

[Hits Perdidos] Sobre a escolha de “Basket Case”. De onde veio a ideia e qual o envolvimento emocional com a banda? A partir de que ponto falaram: a cúmbia seria o arranjo mais legal?

Nacho Martin: “Pô, eu cresci ouvindo rock nacional argentino, onde os artistas misturam diversos estilos diferentes nas composições… Também tive bandas de punk rock na adolescência, onde fazíamos cover de Green Day, Blink, NOFX…

A ideia foi trazer nossa latinidade pra esse tipo de som e ver no que daria.. Mas só conseguimos fechar um estilo quando nos fechamos no estúdio mesmo… Pra você ter uma ideia, a basket ia ser ska, mas ficou ruim e acabamos levando ela pra cúmbia..”

[Hits Perdidos] Para fechar, Nacho você como argentino como está vendo a copa? Aflito com a campanha? Acha que hoje vai dar cumbia? E esse lance do Sampaoli não mandar mais nada e a AFA não ter muito controle a anos do comando do futebol argentino… Como vê esse momento que ainda dá para reverter mas tudo parece estar por um triz?

Nacho Martin: “Putz cara, tá uma copa muito equilibrada e cheia de zebras.. Com certeza a cúmbia tá solta! (risos) Todas as seleções tomando sufoco.. Na verdade, como torcedor acho isso incrível, mas gostaria de ver a Argentina como na copa passada, a AFA e o comando parecem estar sobre domínio da máfia, os patrocínios falam mais alto e isso acaba influenciando o jogo.. Parece estar por um triz mas eu sigo torcendo! VAMOS ARGENTINA!!”

[Hits Perdidos] Palpite, como acha que vai ser o jogo contra a Nigéria e no fim qual placar apostaria para esta partida?

Nacho Martin: “Vai ser sofrido, disputado até o final! Aposto 2×0 pra Argentina! Mas se num der continuamos em frente, afinal a cúmbia não pára!”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s