As Melhores Live Sessions | Agosto (2021)

 As Melhores Live Sessions | Agosto (2021)

Ale Sater se apresentou no projeto Amplifiquintas. – Foto: Reprodução/Twitter

As Melhores Live Sessions | Agosto (2021)

O Que São Live Sessions?

Live Sessions tem sido um recurso bastante utilizado pelas bandas e em Agosto não foi diferente. Muito por conta da necessidade de mostrar seu trabalho ao vivo para contratantes. Mas também é uma oportunidade de engajar seu público a comparecer em eventos futuros. Por isso desde 2018 reunimos as mais legais que tem surgido no país.

Confira a lista com as Melhores lançadas em Agosto (2021); e não esqueça de enviar sua live session lançada nos próximos meses, vai que ela aparece também por aqui!

Melhores Live Sessions | Agosto 2021


Live session do Ale Sater - Melhores Live Sessions | Agosto (2021)
Ale Sater se apresentou no projeto Amplifiquintas. – Foto: Reprodução/Youtube

1) Ale Sater @ Live no Teatro Paiol

Ale Sater, que também é vocalista no Terno Rei, apresentou no teatro Paulo Eiró, para o projeto Amplifiquintas, um set com participação especial de Matheus Fleming na Guitarra.

Por lá eles apresentaram um set com as faixas “Nós”, “Nunca Mais”, “Caminhão”, “Aniversário”, “Peu“, “Marola” e “Volte Pra Casa”.



2) 2DE1 “Confesso / Emersão” (Piano Session)

Os irmãos Fernando e Felipe Soares, que compõe o 2DE1, após o lançamento de “Emersão” e Confesso” prepararam uma excelente gravação acapella com direito a piano das faixas.

A versão intimista foi gravada e filmada no Teatro de Contêiner, localizado no centro da capital paulista, a direção é assinada pela Mavo Content.



3) Pluma Live @ Artsy Club

Após uma série de trechos sendo disponibilizados da Live Session no Artsy Club, os paulistanos da Pluma lançaram o material de forma integral em seu próprio canal. Com direito a faixas do EP de estreia, Mais do Que Eu Sei Falar, o material ainda conta com a participação do duo pop mineiro Clara x Sofia, e uma versão de “Esotérico” canção de Gilberto Gil. A direção é de Gabriel Rolim.

O set completo conta com as faixas “Leve”, “Seu Fim em Mim” ft. Clara x Sofia, “Mais do Que Eu Sei Falar” ft. Clara x Sofia, “Esotérico” (Gilberto Gil), “Something Bad” e “Esquinas“.



4) Giovanna Moraes “Toca Raul”

No fim de agosto faz 32 anos que Raul Seixas nos deixou. Para celebrar a obra de um dos maiores astros da música brasileira, Giovanna Moraes apresentou uma live session produzida por ela ao lado de Thommy Tannus.

Na live com ótima produção e detalhe no cenário, ela apresenta versões repaginada para clássicos como “Sociedade Alternativa”, “Maluco Beleza” e “Metamorfose Ambulante”. Para a concepção da releituras ela foi beber das fontes dos Beatles, do blues minimalista do The Black Keys e do produtor Paul Epworth (Florence and The Machine, Adele, Arlo Parks).

“Há algum tempo ando buscando minhas raízes na música brasileira, e minha identificação com o Raul foi inevitável – por suas referências na literatura e filosofia. As letras de Raul permanecem, tocam gerações anos após de sua morte – fazem sentido hoje, mesmo com o mundo totalmente mudado.

Quis fazer jus ao nosso maluco beleza ressuscitando clássicos de uma forma inusitada. Como Raul, não tenho medo da mudança, “prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”, conta Giovanna sobre a concepção do projeto.



5) Acidental @ Amplifiquintas

O Acidental também participou do projeto Amplifiquinas e por lá apresentou faixas do seu álbum de estreia, Objetos Arremessados Pela Janela (HBB).

A produção da teve a direção de imagem e luz assinadas por Cleverson Cassanelli, captação de imagens por Olivia Seiko Tarora e captação de som por Rodolfo Duarte e Pedro Hernandes.

O set conta com as faixas “E Agora Eu Preciso”, “Amarela”, “Pesadelo Na Cidade”, “Nada Demais” e “Pronto, Nada Aconteceu”.



6) Little B and the Mojo Brothers Live at Mojo House

A live session da Little B. and the Mojo Brothers tem um clima de estúdio caseiro que lembra a estética dos locais onde as referências do grupo se apresentavam em outras décadas.

Tudo isso com frescor, vontade de improvisar e aquele frio da barriga de querer viver dos seus sonhos. A apresentação do grupo paranaense conta com 4 faixas e 15 minutos de duração buscando trazer para si a sensação de estarmos à beira de um palco.


Rafael Chioccarello

Editor-Chefe e Fundador do Hits Perdidos.

Related post

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *