[Premiere] Tertúlia na Lua critica o niilismo de nossos tempos em seu segundo EP

A sinergia dos astros as vezes parece ganhar movimento através das camadas sonoras e de nossa fértil imaginação. Muitas vezes ao ouvir o som de uma banda conseguimos enxergar cores, imagens, imaginar ecos, cenários e captar sensações. Esse fenômeno é também conhecido como sinestesia. Esta bastante explorada durante o período mais fértil da música psicodélica […]

Read more "[Premiere] Tertúlia na Lua critica o niilismo de nossos tempos em seu segundo EP"

Neste feriado Las Quintas leva “noite psicodélica” para o palco do La Esquina

O projeto Las Quintas é uma iniciativa que pretende mudar o panorama da cena carioca. Cansados de sofrer com shows para poucos as produtoras Abraxas, Collapse Agency, Flecha Discos e Speed Rock tem juntado as forças desde setembro para armar “gigs” que movimentem o cenário de música alternativa que estão inseridos. Os eventos tem sido organizados […]

Read more "Neste feriado Las Quintas leva “noite psicodélica” para o palco do La Esquina"

[Premiere] Com peso e distorção, Swan Vestas atravessa eras do Rock em “Howl”

O rock pode ser “dark”, obscuro, violento, impiedoso, raivoso e externar vários tipos de emoções. Alguns artistas que entenderam isso muito bem foram ícones como Soundgarden, Black Sabbath, Nick Cave, Television, L7, Stone Temple Pilots, Nirvana, Alice In Chains e Helmet. Mas nem para isso a banda precisa definir seu estilo ou ser escrava de […]

Read more "[Premiere] Com peso e distorção, Swan Vestas atravessa eras do Rock em “Howl”"

[Premiere] Feito uma bomba relógio, Sheila Cretina perde o controle em “Vol. II”

Gostaria de começar esta resenha citando uma resposta do The Clash a um jornalista que ousou dizer após um show deles que eles deveriam voltar para a Garageland. O crítico em questão era Charles Shaar Murray, da NME. “The kind of garage band who should be returned to the garage immediately, preferably with the engine running, which would […]

Read more "[Premiere] Feito uma bomba relógio, Sheila Cretina perde o controle em “Vol. II”"