JP deixa a cuíca chorar em “arroz de polvo”; pagode indie conta com a participação da Holger

 JP deixa a cuíca chorar em “arroz de polvo”; pagode indie conta com a participação da Holger

JP lança “arroz de polvo” feat. com Holger – Foto Por: @fefevillaca

Se em Minas Gerais não tem praia, nada como ir até ela para lembrar daqueles amores que não subiram a serra, ou até mesmo subiram mas (já) se foram. É aliando isso a o espírito de um roqueiro indie se despir da pose e abraçar o pagode, feito um guilty pleasure, que JP entra a na onda tropical com o single “arroz de polvo”.

De bônus a canção ainda conta com a participação dos paulistas da Holgar que contribuem tanto nos backin vocals, como também azeitando o prato e cedendo o sample do hit “Jurema”. Neste universo tudo é permitido, misturar pagode com rock, “sofrência” com sol da praia, Raça Negra e Pavement, morrer de amor e saber que no fim tudo vale a pena.

“Verão, suor, céu azul. Esquerda festiva e tropical cantando em coro e dançando de leve. A música para aquele momento de volta da praia no final da tarde, com sorrisos abertos e coração apaixonado. Para os indies raiz que sabem cantar Raça Negra e não têm medo do guilty pleasure”, conta JP.


jp, arroz de polvo, guitalele web por @fefevillaca
JP lança “arroz de polvo” feat. com HolgerFoto Por: @fefevillaca

JP “arroz de polvo”

É com essa malemolência torta de indie caindo nas graças do pagode que JP pega o seu cavaco e coloca a cuíca para chorar. Se no último single ele “chorou dendê”, desta vez a praia da Bahia continua sendo o cenário que deu origem a composição só que o tempero foi um pouco diferente, o de dois amigos revelando quais foram os grandes amores da sua vida (até aquele momento). Se o gosto da conversa soa um pouco agridoce, feito comida chinesa, o “arroz de polvo” em Copacabana ao menos deixa o cenário um pouco mais esperançoso para poder viver intensamente a próxima história.

“‘arroz de polvo’ foi feita no verão da Bahia, enquanto eu e um grande amigo esperávamos, de fato, por um prato de arroz de polvo jogando conversa fora sobre os maiores amores das nossas vidas – pelo menos, até ali. Esse é um disco todo de música brasileira emocionado pra fazer todo mundo sentir junto, cantar junto, dançar junto”, finaliza JP

“arroz de polvo” tem a energia do carnaval de rua e promete embalar em ritmo de marchinha, entre um coração partido e um novo amor de temporada. Com swing, a faixa não abre mão das guitarras mas não perde o compasso de um bom pagodinho. Entre um close e um flash, novas e velhas memórias são reveladas feito um filme de Polaroid.

O single foi mixado por Alejandra Luciani (Carabobina) e masterizado por Anderson Guerra no estúdio Bunker Analog, em Belo Horizonte (MG), e vem na sequência de “essa mulher vai acabar com a minha vida”, “eu quero perder você” e “chorei dendê”. Como conceito o álbum sucessor de Submarine Dreams (2016) nos levará à bordo de “uma aventura tropical baseada no rock, mas que passa por diversos gêneros de música brasileira”, conforme revela o mineiro. 

A canção vai ganhar um clipe gravado no Pavão Azul, tradicional bar do RJ, e será lançado no próximo mês. Já o 2º álbum de JP que será lançado em janeiro de 2023 pelo selo MangoLab contará ao todo com 10 faixas.


LINK

Rafael Chioccarello

Editor-Chefe e Fundador do Hits Perdidos.

Related post

error: O conteúdo está protegido!!