O Dia do Rock é uma ótima oportunidade de colocar o gênero em evidência ainda mais em tempos como os nossos onde existe pouco espaço nas rádios tradicionais e onde o espaço para o novo é tão limitado. Por outro lado, um dos programas que vai na contramão de tudo isso é o Programa de Indie da rádio Eldorado FM de São Paulo.

Inclusive nossa seleção com 10 discos do novo Rock poderia tranquilamente estar nas sintonias da rádio. Para homenagear a data sem ter que reviver nomes clássicos e preservando a identidade do Hits Perdidos de apresentar o novo e efervescente selecionei 10 discos que a este ponto do ano você já deveria ter ouvido. Confira a seleção especial!


Black Country New Road Dia do Rock Hits Perdidos 10 artistas


1) Wolf Alice Blue Weekend

Um dos lançamentos mais esperados de 2021 com toda a certeza foi o terceiro álbum de estúdio dos ingleses do Wolf Alice. Lançado em junho via Dirty Hit, o disco Blue Weekend contou com 4 singles revelados anteriormente ao lançamento, “The Last Man on Earth”, “Smile”, “No Hard Feelings” e “How Can I Make It OK?.



2) Squid Green Field

Novata de tudo, a jovem banda britânica Squid lançou seu debut, Bright Green Field, no começo de Maio. Trazendo consigo uma das marcas da sua geração: a mistura entre gêneros como punk, jazz, dub, krautrock, o funk e a ira anticapitalista.



3) Dry Cleaning New Long Leg

Com a chancela da 4AD, a banda de Pós-Punk Inglesa Dry Cleaning chamou a nossa atenção por aqui antes mesmo de lançar seu debut. Inclusive eles possuem no facebook o melhor nome de fã clube. A comunidade “Dry Cleanners” muitas vezes é confundida com empreendimentos do ramo de limpeza.

Lançado em abril, o disco foi abraçado pela crítica e traz consigo um rock soturno que traz elementos de spoken-word e narrativas surrealistas deliciosas.



4) Black Country, New Road For the First Time

Em fevereiro, e roubando toda a atenção instantaneamente, a super banda britânica Black Country, New Road lançou via Ninja Tune seu debut For the First Time. Formada em 2018, a banda de Londres em sua formação conta com 7 integrantes e já foi comparada a icônica Slint – um dos ícones dos anos 90.

O rock experimental, o post-rock, o noise e o adendo dos metais compõe as referências do grupo que é parceiro de cena do black midi.



5) Palberta Palberta5000

Inspirados pelo pop comercial, a Palberta é um trio de rock experimental com riffs concisos e refrãos cativantes de Nova Iorque. Palberta5000 é o quinto álbum de estúdio da banda que está em atividade desde 2013 e foi lançado em janeiro via Wharf Cat.



6) black midi Cavalcade

No dia 26 de maio o black midi apresentou seu segundo álbum de estúdio Cavalcade via Rough Trade Records.

Dois anos após Schlagenheim, o álbum é ainda mais experimental e incorpora o espírito das live sessions. O jazz fusion, o math rock, o avant-prog, o rock experimental e o progressivo acabam entrando dentro do rico material apresentado ao longo dos seus pouco mais de 42 minutos de duração.



7) Viagra Boys Welfare Jazz

Ríspido e criticando até os que os colocam na mesma prateleira dos IDLES – banda que seu vocalista rechaça e não é muito fã do grupo, o Viagra Boys além de polêmico, tem um lado criativo bastante aguçado e anárquico por natureza. O segundo álbum da banda sueca de pós-punk foi lançado no dia 8 de janeiro via YEAR0001.

Apesar do nome, as referências são pautadas em backgrounds muito além da música, como os trabalhos do dia a dia do músico que já trabalhou com a manutenção de máquinas (calculadoras e tudo mais que inclusive são citadas ao longo da obra).

Sua estranheza, justamente, que faz dele um disco fora da curva. A produção é assinada por Matt Sweeney (Iggy Pop, Queens of the Stone Age), Justin Raisen (Yves Tumor, Charli XCX), Pelle Gunnerfeldt e Daniel Fagerström.



8) Shame Drunk Tank Pink

O Shame lançou em janeiro seu tão aguardado segundo disco Drunk Tank Pink via Dead Oceans. Um registro que mostra a evolução da banda em estúdio e um punk que busca ainda mais referências do post-punk cabeçudo dos anos 80; entre camadas  de guitarras que surgem e se esvaem ao longo das faixas para criar uma atmosfera de anticlímax e crítica social.



9) Sleaford Mods Spare Ribs

Também representando a ótima safra de bandas inglesas presentes na lista temos a banda de post-punk Sleaford Mods que ainda em janeiro lançou seu décimo primeiro álbum de estúdio, Spare Ribs via Rough Trade.

Jason Williamson experimenta e alia ao som do duo elementos do electro-punk, mininalismo, spoken word e busca referências no hip hop e do industrial para manifestar em seus versos de ira, crítica social e representar o sentimento latente da classe trabalhadora inglesa. Recentemente viralizou na internet um vídeo da cacatua do Iggy Pop dançando enquanto o músico ouvia o disco, assista.



10) Julien Baker Little Obvious

A estadounidense Julien Baker lançou em fevereiro seu terceiro álbum de estúdio com direito até mesmo a baladas no piano. O álbum ainda conta com a aparição das parceiras do Boygenious, Lucy Dacus e Phoebe Bridgers.

Entre os gêneros que o disco passeia estão o rock alternativo, o emo, o soft rock, a música eletrônica, o pop punk, o post-rock, o country, o shoegaze e o slowcore fazendo com que a artista saísse da zona de conforto.



Já conhecia os discos da lista feita especialmente para o Dia do Rock?
Quais álbuns lançados até agora neste ano você sentiu falta na lista?