Já tem um tempo que estava pensando como retomar o Release Radar sem perder a profundidade do DNA do Hits Perdidos e o Achados e Perdidos vem de encontro a um desejo de trazer um pouco mais do gosto pessoal deste editor para uma coluna dentro do site.

Aqui estarão destaques da semana, do mais quente e a dicas do que você deveria estar ouvindo. Uma coluna tão pessoal que os artistas e as bandas só descobrirão no dia que fazem parte da seleção especial. Já adianto que a coluna não vai ter dia para sair e sem a insanidade de trazer todos os lançamentos do Radar.

Um espaço onde o fresco, o novo, o achado, o perdido e o gosto pessoal vão de encontro. Um Radar de Destaques. Do nacional ao internacional a ideia é ser um resumo das dicas para vocês explorarem. E claro, vai ter playlist rotativa e oficial do Hits Perdidos para deixar a brincadeira ainda mais legal.

Veja Também: Achados e Perdidos #1

Achados e Perdidos - Juliana Linhares, St Vincent, Bobby Gillespie Jehnny Beth, Garbage

Garbage “The Men Who Rule The World”



Os veteranos do Garbage se preparam para lançar seu sétimo disco de estúdio e na semana passada apresentaram o primeiro single do primeiro trabalho do grupo em cinco anos, No Gods No Masters.

“Esse é o nosso sétimo disco e esse número e seus múltiplos significados afetaram o DNA do conteúdo do trabalho. As sete virtudes, as sete dores da religião, os sete pecados capitais. Foi nosso modo de tentar achar algum sentido nessa loucura que é o mundo e esse caos sem limites que nos metemos”, reflete a vocalista Shirley Manson.

“The Man Who Rule The World” é uma crítica ao capitalismo sem visão e suas consequências: uma sociedade racista, sexista e misógina. Uma interessante crítica a líderes mundiais como Trump, Erdrogran, Putin, Bolsonaro e tantos outros déspotas. Em sua estética o grupo traz as referências de rock alternativo, grunge e do rock industrial.

Dry Cleaning “Unsmart Lady”



Desde que apresentamos o Dry Cleaning por aqui pela primeira vez a recepção foi excelente e a aposta da 4AD vem se consolidando como certeira. A banda inglesa de post-punk agora aparece com o single e clipe para “Unsmart Lady” que está presente em New Long Leg, álbum de estreia lançado hoje (2/4).

Representando demais a coluna Achados e Perdidos mas tá mais para achado mesmo!

O single ironiza o modus operandi como a sociedade quer que as mulheres e meninas se comportem de maneira inteligente e com uma estética que agradará de fãs de post-punk ao grunge do Mudhoney.

Angel Olsen “It’s Every Season (Whole New Mess)”



Angel Olsen anunciou um box chamado Song Of The Lark And Other Far Memories com direito a um LP bônus com materiais de 2019, entre remixes de All The Mirror, takes alternativos, livro e até mesmo um cover de “More Than This” do Roxy Music.

Para aquecer a divulgação ela disponibilizou “It’s Every Season (Whole New Mess)” que foi gravada durante as sessões do disco lançado naquele ano com direito a um arranjo ainda mais longo. Um lindo presente para os fãs.

Wavves “Sinking Feeling”



Depois de três anos sem lançar nenhum single, o Wavves volta com “Sinking Feeling”, faixa que estará presente em seu quarto álbum de estúdio. A estética para começar já é diferente de tudo que eles produziram nos últimos anos e isso se dá pelo selo deles, a Fat Possum, fechar um acordo para o Dave Sitek (TV On The Radio) para a produção do disco.

Com uma temática tensa, a faixa relata sobre as ondas da depressão que insistem em voltar, o drama é um relato bastante pessoal do vocalista Nathan Williams que mesmo fazendo de tudo não conseguia superar a doença. Até por isso, o roteiro do clipe mostra a luta contra as crises.

Juliana Linhares “Meu Amor Afinal de Contas” (feat. Zeca Baleiro)



A vocalista da banda carioca Pietá lançou o excelente álbum solo Nordeste Ficção que conta com produção musical de Marcus Preto. Com ótimas canções a parceria com o maranhense Zeca Baleiro “Meu Amor Afinal de Contas” é um dos grandes destaques do trabalho com direito a sentimento, dramaticidade e poesia.

Recomendo ouvir o disco e prestar atenção em canções como “Lambada da Lambida”, parceria com Chico César, “Aburguesar”, parceria com Letrux e a faixa título.

Érika Martins feat. Luiz Lopez “Grilos”



Érika Martins (Penélope, Autoramas) se juntou ao guitarrista Luiz Lopez para uma bela versão para “Grilos” do Erasmo Carlos.

“Sabe quando as coisas se encaixam no momento perfeito?

Quase 1 ano de pandemia, entro na live do Luiz Lopez e ele toca “Grilos” do Erasmo. Vrummmm tudo se encaixa.  Entro no instagram e dou de cara com uma das fotos mais lindas que vi nos últimos tempos….vrummmm tudo se encaixa na minha cabeça.
Conheci o Luiz Lopez – me corrija se eu estiver errada! – quando fui cantar com o Erasmo em um dos últimos VMBs. Já no ensaio, eu emocionada por estar dividindo o mic com o maior, ouvi do seu guitarrista que me acompanhava há tantos anos e sabia tocar todas as minhas músicas!

Me emocionei  pensando em como os ciclos se fecham…eu ali admirando e agradecendo a quem passou antes de mim, me formou como artista…e respondendo pelo mesmo pra uma geração mais nova. Ê vida legal. Nos papos de bastidores e ensaios para o show da MTV, ficamos combinados de um dia fazermos o “Mi Casa Su Casa” da Penélope na íntegra…11 anos depois, aqui estamos, tudo se encaixando.

Quantas vezes falei pro “Erasmão” o quanto “Grilos” era minha música preferida e que iria gravá-la e, como tudo se encaixa tão perfeitamente, nenhum momento significa mais do que este para a frase: “sei que o mundo pesa muitos quilos, não me leve a mal se eu lhe pedir para cortar os grilos, cortar os grilos…” (ah, já contei que os grilos foram gravados lá na varanda de mi casa na Chapada Diamantina?). E por fim, sou fã do Luiz como artista, como multiinstrumentista e como gente.”, conta Érika Martins sobre a parceria e homenagem

Working Men’s Club “X”



Depois da estreia avassaladora com o debut, o Working Men’s Club, de Yorkshire, começa a ser notado fora do UK. O rock industrial é a praia dos ingleses e eles parecem se divertir com um som muito bem produzido e cheio de referências que vão da música ao universo do audiovisual.

Current Joys “American Honey”



Current Joys é o projeto de Nick Rattigan (Surf Curse) irá lançar seu próximo álbum no dia 14/05 via Secretly Canadian e adiantou seu novo single (e videoclipe) para “American Honey”. Inclusive ele mesmo dirige o clipe que foi produzido simultaneamente a canção.

Ao invés do tradicional lo-fi o músico foi para o Stinson Beach Studios onde gravou o registro. A canção é melancólica – e existencialista – mas sem perder o punch rock’n’roll e acredito que irá agradar a fãs de Jesus & Mary Chain.

Bobby Gillespie, Jehnny Beth “Remember We Were Lovers”



Daqueles encontros que todo fã de rock fica ansioso para ouvir o disco cheio. Bobby Gillespie (Primal Scream) faz dobradinha com Jehnny Beth (Savages) em Utopian Ashes que sairá em Julho via Third Man Records. A banda base, inclusive, ainda conta com o baixista Johnny Hostile e três outros membros do Primal Scream (Andrew Innes (guitarra), Martin Duffy (piano) e Darrin Mooney na bateria).

Com espírito de marching band, a balada romântica é bastante delicada e o dueto de vozes deixa tudo ainda mais colorido.

Hierofante Púrpura “Tbm Sou Hipster”



O novo álbum cheio da Hierofante Púrpura, Impermanências lo-fi Vol.2, uma série de registros sonoros da banda gravadas na fitinha cassete será lançado via Balaclava Records e é o primeiro lançamento do grupo paulista desde Disco Demência (2016).

“No ano passado, já dentro deste período pandêmico, começamos a gravar muita coisa na 4track cassete, o que era um ótimo estudo e principalmente passatempo. Aí fomos juntando esses registros e eles começaram a clamar por vida própria. O primeiro experimento do ‘Impermanências Lo-Fi’ transformamos em um EP, no ano passado. Agora vem o ‘Vol. 2’, em forma de álbum cheio. E a ideia é fazer uma trilogia.”, disse o casal em entrevista para o Popload

Rápida e visceral, a psicodelia rural misturada com samples – no melhor estilo hip hop –  é divertida e cheia de swing. A faixa fica na cabeça com direito a letra cheia e rimas, trocadilhos e ironias. Se permita viajar!

Mdou Moctar “Afrique Victime?”



O guitarrista Tuareg está prestes de lançar seu novo álbum Afrique Victime, e o primeiro pela Matador, em Abril. O nigeriano lançou a música que dá nome ao disco com direito a virtuosismo e denunciando o neo-colonianismo do continente. Mensagem de protesto extremamente necessária.

St. Vincent “The Melting Of The Sun”



A St. Vincent lançou o segundo single do seu novo álbum, Daddy’s Home, “The Melting Of The Sun” com ares dos anos 70.

“Fui inspirada pelos discos clássicos dos anos 70. Stevie, Sly, Stones, Steely Dan, Chords, Groove. Os dias em que a harmonia e o ritmo sofisticados não soavam inebriantes – apenas soavam e eram bons. Muita guitarra. Mas sons quentes, não distorção e caos. Esperançosamente, uma mudança que ninguém verá chegando”, disse a cantora.

A vibe é bastante intimista e ela mais uma vez consegue entrar na nossa mente criando imagens, a canção ainda conta com uma atmosfera folk com direito a backin vocals açucarados. Gosta de Big Star em 3rd (1978)? Ouça!

Linda Martini “Horário de Verão”



A ótima banda portuguesa de post-rock/noise rock, Linda Martini, tem planos de lançar seu sexto disco de estúdio e aos poucos vai disponibilizando novos singles. Nesta semana eles lançaram “Horário de Verão”, uma canção inspirada em um poema de Martin Niemoller, uma curta reflexão e alerta sobre a ascenção do nazismo na Alemanha dos anos 1930. Para muitos brasileiros que lerem o texto e ouvirem a playlist Achados e Perdidos, a dica será uma grata novidade.

La Femme “Paradigme”



O La Femme lançou um novo disco nessa semana, Paradigmes, e sempre surpreende psych-punk-disco bastante inventivo – e dançante. “Paradigmes” foi divulgada tem já alguns meses mas é um dos pontos altos do novo lançamento com direito a sopros, percussão e boas melodias…o clipe, então, é excelente.

Gostaram da Achados e Perdidos? Em breve voltaremos com mais uma edição!

Achados e Perdidos: A Playlist

Como comentado teremos uma playlist fixa mas rotativa ao mesmo tempo com as novidades que vamos apontando por aqui, chegando a 50, começaremos a substituir faixas, então fique ligado para ouvir ela em sua rotina. Siga a Achados e Perdidos no Spotify!

Para outras playlists exclusivas:
siga o Hits Perdidos no Spotify!