Na última sexta-feira, 19, a cantora Giovanna Moraes lançou seu terceiro disco intitulado III. A estreia da cantora foi em 2018 com o álbum chamado Àchromatics, todo cantado em inglês, seguido pelo Direto da Gringa, agora em português, lançado no ano passado – que ganhou destaque na nossa lista de Melhores Álbuns Nacionais de 2020. Em III, Giovanna traz seis músicas que falam sobre sentimentos de forma sincera, e a capa do álbum já é capaz de demonstrar isso.

A imagem é um abraço a si mesma e, ao ocultar seu rosto, é visto um sinal de introspecção gerando curiosidade, tornando-se de alguma forma convidativo. A artista fala de sentimentos íntimos e não tem medo de se expressar. De forma sublime, ela acredita na identificação do ouvinte.

“Os sentimentos por trás das músicas do III não pertencem somente a mim, mas a todos aqueles que vivem a mesma situação, a todos aqueles que estão sobrevivendo aos traumas de um momento histórico pandêmico”, revela Giovanna.

Giovanna Moraes Capa III

Giovanna Moraes III

A cantora possui coragem em trazer sentimentos um pouco sombrios e íntimos em suas letras, muitas vezes difíceis de lidar. Em “Gente Grande”, Giovanna joga luz à assuntos como solidão e amadurecimento, abordando questões da vida adulta um tanto quanto delicadas, visto nos trechos “Virei finalmente gente grande tanto quis me fiz distante, a criança esconde em mim, me acostumei”

“A letra (Gente Grande) surgiu de uma conversa que tive com uma amiga sobre as expectativas versus realidades sobre a vida adulta. Trocamos ideia sobre como é fácil achar, quando jovem, que ser adulto é uma linha de chegada do seu desenvolvimento como pessoa”, expõe a artista.

“Enxergamos os adultos como figuras de autoridade, em entendimento e controle de cada situação. Quando crescemos vemos a bobagem por trás disso. Nós nunca paramos de crescer”, conclui.

Mesmo tratando de assuntos tão delicados, a identificação com tais situações descritas em suas letras é inevitável, visto que todos passarão por momentos de solidão em algum momento da vida. Isso faz de III um álbum reconfortante e, também, capaz de trazer esperança.

Ao ouvir a canção “Rosalia” e analisar os versos, alívio e consolação são os sentimentos predominantes. De forma positiva, Giovanna apresenta um mundo de possibilidades, com trechos como “Então siga Cíclo da vida, Vamos se Recompor” e “Acredita que a vida não lhe faltará sabor.”

“Eu andei muito, viajei bastante, vivi em outros lugares fora o Brasil. Por conta disso, tive contato com realidades muito diferentes, pessoas, pontos de vista, valores, culturas etc.
Existe muita variedade, muitas escolhas”, acrescenta Giovanna Moraes.

Giovanna Moraes III

Fica evidente que a cantora não tem medo de expor suas fragilidades e muito menos de apresentar o processo de renovação, tão forte em suas letras. Assim, III não é só feito de músicas tristes ou felizes, e sim uma mistura de sentimentos que trata de intimidade e tudo que envolve o amadurecimento. Com uma sonoridade prazerosa, o disco combina com momentos de solidão, seja ela positiva ou negativa.

O trabalho é uma reflexão de Giovanna sobre sua sensibilidade artistica e pessoal, o qual também reflete no desenvolvimento da obra como um todo.

“Presto atenção nos climas já criados pela música. Penso em quem está falando e procuro palavras relacionadas às sensações trazidas pela música. Aos poucos vou montando melodia e letra como um quebra cabeça, sílaba por sílaba”, conta a musicista.

Assim, Giovanna Moraes traz uma obra cheia de contraste entre sentimentos distintos e, ao mesmo tempo, harmonia para lidar com diferenças enormes, como expectativas e realidades da vida.

O álbum III possui uma série de lyrics vídeos no YouTube, pensados, elaborados e editados pela própria e está disponível nas plataformas digitais.