Em 2016, após 23 anos de atividades e muita história no punk rock brasileiro, o Blind Pigs encerrou suas atividades.

O quinteto paulista presenteou os fãs na última sexta-feira (26/02) com um álbum póstumo com direito a versões, B-Sides e 3 canções inéditas, estas últimas registradas na sessão do EP Linha de Frente, ainda com Fabiano na guitarra.

Apelidado como “O último testamento dos Porcos Cegos”, o material foi produzido por Átila Ardanuy e gravado entre 2013 e 2015. Atualmente Henrike, Galindo, Mauro e Arnaldo, ao lado de Ricardo Galano, integram a Armada. Já o Gordo além de integrar O Preço ainda comanda o selo Detona Records.

“Emocionante e gratificante, ver essas músicas saindo em vinil e CD depois de mais de cinco anos prontas, traz de volta à memória toda a energia que a banda estava na época”, conta o guitarrista Gordo.

O álbum foi lançado em conjunto pelas gravadoras Hearts Bleed Blue (HBB), Neves Records e Detona Records.


Banda de punk rock Blind Pigs

Blind PigsFoto Por: Tinho Sousa


Blind Pigs Lights Out

Uma grande surpresa em relação ao registro é justamente o fato de que todas as canções presentes no disco são em inglês. Desde 2008 o Blind Pigs, que chegou a utilizar o nome Porcos Cegos, optou por lançar canções apenas em português. O que fez com que fãs de clássicos da banda como São Paulo Chaos (1997) e The Punks Are Alright (2000) se animassem para ouvir material de despedida.

Se The Punks Are Alright, logo em seu título já reverenciava uma das suas bandas favoritas, o Forgotten Rebels (Canadá), e ao longo da carreira discos e bandas clássicas sempre foram revisitadas e relembradas em entrevistas; o fato do novo disco contar com 5 versões de clássicos é também uma homenagem a todas as bandas que inspiraram os músicos ao longo da jornada. Um brinde aos seus heróis jamais esquecidos.

“As músicas do lado B foram gravadas para serem um EP tributo ao hardcore americano anos 80. Todas as bandas que gravamos (The Replacements, Zero Boys, The Freeze e Angry Samoans) foram bandas cruciais para nossa formação musical. Era o que a gente escutava quando montamos o Blind Pigs.

‘Real Enemy’ da banda Oi! inglesa The Business foi gravada para um tributo que um selo europeu iria lançar, mas que nunca saiu do papel”, revela Henrike.

As versões que compõe o disco são: “Real Enemy” (The Business), “Misguided Memories” (The Freeze), “New Generation” (Zero Boys), “God Damn Job” (The Replacements) e a faixa título “Lights Out” (Angry Samoans).

A Tríade de Despedida

Restless Resistance”, “Steel Toe Judges” e “Not Dead Yet” são as últimas faixas autorais inéditas a serem reveladas em Lights Out. A tríade inclusive abre o registro feito um tiro e em menos de 5 minutos de duração – se somadas – se esvaem no horizonte. Esta é por sua vez uma marca presente em seus álbuns que muitas vezes reuniam mais de 20 canções – e traziam o espírito aguerrido e de linha de frente afiado dos shows em palcos como o Hangar 110.

“Restless Resistence” de certa forma homenageia o legado e o espírito rebelde dos Blind Pigs que sempre trouxe para suas canções canções que abraçavam elementos do pub rock e Oi! com direito a sing-a-longs. Referências de grupos como Stiff Little Fingers e Cock Sparrer e o baixo “clashiano” aparecem com mais vigor em “Not Dead Yet”, que deixa aberta a possibilidade de uma reunião do grupo embora que atualmente isto esteja fora dos planos do quinteto.

“Hoje eu digo que não. Eu, o Mauro, o Galindo e o Arnaldo estamos felizes com a Armada. Sei que o Gordo está feliz também com O Preço, mas é aquela coisa, ‘nunca diga nunca’”, conta Henrike

“Steel Toe Judges” com direito a power chords, velocidade e fúria. A própria letra evoca o espírito aguerrido, a fúria e a contestação presentes ao longo da discografia do Blind Pigs. Se você gosta do espírito de grupos de hardcore de Boston como Gang Green e Slapshot, provavelmente terá esta como uma das sua favoritas do registro.

Os Covers do Blind Pigs

Já na parte dos covers “The Real Enemy” ganha clima de tensão, e aspereza, mas sem perder os sing-a-longs da orginal. “Misguided Memories” na versão dos Blind Pigs deixa de ser um hardcore e ganha características de um punk rock intenso com flertes das guitarras do pub rock de grupos como Eddie and the Hot Rods

Talvez a que mais se aproxime da original seja “New Generation” (Zero Boys) mas mesmo assim ela ganha ainda mais velocidade – e um solo de guitarra do Gordo.

God Damn Job” do The Replacements originalmente presente no EP Stink (1982) ganhou uma versão repaginada mas sem perder o espírito adolescente da trupe de Peter Westerberg que ao lado do R.E.M. se tornaria anos mais tarde uma das bandas mais importantes do rock alternativo americano. 

Quem tem o papel de fechar o disco é justamente “Lights Out”, versão de uma das bandas mais cultuadas entre os punk rockers, Angry Samoans. Com o espírito do punk rock californiano de grupos como X, T.S.O.L., Redd Kross, e The Adolescents, a homenagem além de justa ainda mostra como o Blind Pigs mesmo no apagar das luzes ainda tem muito a oferecer.