Toda sexta-feira saem inúmeros lançamentos e muito material acaba ficando de fora das nossas postagens por uma série de motivos. Mas a procura por Hits Perdidos não acaba apenas no envio de releases para imprensa; e pensando nisso resolvemos criar a coluna Release Radar.

Sim, homônima a playlist semanal do Spotify, para colocar vocês à par dos principais lançamentos sem a necessidade de que os artistas, selos ou suas respectivas assessorias de imprensa tenham enviado o material.

Feito um “encontro as escuras” resenharemos, singles, EP’s, discos, mixtapes e o que acharmos interessante que saiu após às 00h da sexta-feira nas principais plataformas digitais. Será nossa coluna de “pitacos” semanais da música pop.

Release Radar: 16/10


PENNY_NIGHT_ON_EARTH_1 por Rafael Spinola 3 Release Radar

Penny In SpaceFoto Por: Rafael Spinola


Oitavo Post do Release Radar, comentem se gostaram e se deve continuar!

BAGUM “Reverbo & Sonho”

Sem limites para as curvas do som. Seria uma ótima forma de definir a cozinha sonora que a BAGUM vem apresentando ao longo dos seus quatro anos de existência. De Salvador (BA), o trio composto por Pedro Leonelli, Gabriel Burgos e Pedro Tourinho experimenta a cada lançamento com personalidade. Tanto é que se você ouve um dos quatro registros lançados até aqui notará que o som deles não permite barreiras.

Leve, pulsante e expressivo, o som não se define completamente por rótulos e abraça de fato a música instrumental, o jazz, o funk, o soul e até mesmo o progressivo. Jazz Fusion talvez seja o termo mais próximo se tivéssemos que rotular. Fato é que se você gosta de Mahmed, Taco de Golfe e Sick provavelmente irá gostar da viagem sonora.

“Reverbo & Sonho” é o primeiro lançamento do trio através do selo californiano Empire e foi produzido por Marcos Sampaio. Eles até revelam que a bateria teve inspiração no dub dos soundsystems jamaicanos, algo que incrementa ainda mais a atmosfera sonora do som dos baianos.

O som vai crescendo aos poucos de forma cadenciada, matemática e misturando referências que passam por jazz e a psicodelia. As transições também incrementam e mostram a habilidade e entrosamento adquirido ao longo do tempo.

Rosa Neon “Parei”

Pop, jovem e envolvente esse é o espírito dos mineiros da Rosa Neon que apareceram em nossa lista de Melhores Álbuns de 2019. Mais uma love song para conta do grupo que concorre no Prêmio Multishow de Música Brasileira 2020 ao lado de nomes como Jup do Bairro e Ana Frango Elétrico.

O clima de azaração, suspense e flerte faz parte das frequências da canção que ganhou um lyric vídeo em 3D. Assim como “ombrim”, que ganhou até mesmo uma versão em parceria com o Heavy Baile, em Agosto, o clima de verão e experimentações com beats fazem parte da canção. A banda conta com Luiz Gabriel Lopes (confira entrevista) e recentemente entrevistou o Kdu dos Anjos com exclusividade para o Hits Perdidos (leia mais).



Teach Me Tiger “Wasted”

Quem também aparece por aqui é o duo Teach Me Tiger, de Belo Horizonte (MG), composto por Chris Tigra e Yannick Falisse que apresenta o videoclipe para “Wasted”.

A faixa que foi gravada no estúdio Frango no Bafo conta com a colaboração do Ciro Trevisan  na bateria acústica e estará presente no álbum COPY OF MYSELF que passará por temas como a vida, a morte, a natureza, a terra e o fogo com pitadas de surrealismo – este que já aparece no vídeo.



The Bombers “Ardendo em Chamas”

Prestes a completar 25 anos de história como parte das comemorações o The Bombers lançará no dia 23/10 o EP Bumerangue através do selo Craic Dealer Records.

“Essa coisa de criar uma composição, sem nos encontrarmos, foi uma coisa nova para nós. Então eu quis aproveitar essa oportunidade, para compartilhar com as pessoas na forma de música, nossos truques para lidar com toda essa loucura que vem sendo 2020”, conta Matheus Krempel, vocalista e guitarrista do Bombers

O single e o clipe

O single “Ardendo em Chamas” vem em seguida da versão “Clarity of Mind”, da banda Spy vs Spy que originalmente foi lançada como single no ano de 1988, e também estará presente no EP.

Após uma série de mudanças no line up o single, composto em junho à distância, também é o primeiro som autoral com a nova formação e conta com riffs de guitarra chicletudos que lembram até mesmo trilhas sonoras de filmes da sessão da tarde. Flertando com o Punk Rock e o Powerpop de forma bastante energética. Então cineastas, e programadores de televisão, fiquem atentos a esse hit perdido!

O clipe da música foi gravado na cidade de Cubatão (SP), pelo diretor Rodiney Assunção, que entre outros trabalhos, dirigiu o documentário ‘Califórnia Brasileira – O Hardcore Punk em Santos 1991 – 1999’ (em parceria com Wladimyr Cruz do site Zonapunk).

Com espírito livre e passando a vida a limpo, “Ardendo em Chamas” ganhou um clipe no melhor estilo “a rua é nossa” com imagens da banda tocando em cima de uma ponte com direito a imagens dos preparativos. Um desabafo para nossos tempos.



A Transe Bad Vibes de Casal 

Os conflitos de casais na quarentena inspiraram o EP Bad Vibes de Casal do duo capixaba A Transe. Para entrar no clima do EP foi criado o videoarte Visual-Soundscape. A produção e a edição são assinadas por Tati Rabelo (Mirabólica). Design gráfico de Henrique Cesar. Imagens são de Tati Rabelo e Rodrigo Linhales e imagens subaquáticas de Thaís Vasconcelos. O apoio é da produtora audiovisual Mirabólica (André Prando, Lua e Coruja BC1).

O duo que é um casal na vida real, Francesca Pera e Fernando Zorzal, retrata as adversidades, conflitos, inseguranças e até mesmo os desafios do convívio excessivo durante este período tão ímpar da humanidade.

“Se no primeiro lançamento tínhamos ido até o útero para criar nossas elaborações de nascimento e morte, Bad Vibes se instaurou em outra nave, em nossa casa, em nossa convivência”, argumenta o casal

“Esse supletivo de convivência e o mundo apocalíptico que vivemos trouxeram à tona egoísmos, comportamentos tóxicos, verdades e mentiras. As músicas surgiram em um momento onde vimos que nossa parceria afetiva poderia acabar – o EP veio como uma maneira de materializar toda essa bad das relações e descarregar ela nas músicas”, complementam

Feito yin yang as canções mostram diferentes perspectivas sobre o convívio, “Pra Te Ver” fala sobre as bads e escancara trocas de farpas de forma sutil, confessional e até mesmo poética. Ao mesmo tempo que busca pelo equilíbrio, e por manter a sanidade, é envolta a beats e frequências que variam entre o clima de tensão e conforto. Já “Domingo” discorre abertamente sobre as perspectivas do amor, entre aceitar os erros, aprender a ouvir o par e brindar os bons momentos.



Carabobina “Pra Variar”

Projeto estreante no Release Radar! O primeiro single do projeto Carabobina (Fefel (Boogarins) + Alejandra Luciani), “Pra Variar”, um lançamento do selo norte-americano Overseas Artistics Recordings (OAR), que tem todo o espírito de mantra.

O single é a primeira mostra do projeto que em breve terá um disco cheio e viaja por frequências eletrônicas e que brinca com a sonoridade das palavras como elemento para o desenvolvimento da sua narrativa. A mixagem é o grande destaque e permite com que o ouvinte entre nas frequências e dá a sensação de desconforto em razão da inércia. Bem a energia de 2020, não é mesmo?

Marrakesh “Trippin'”

Prestes a lançar o EP Knots (tmwrk records), o Marrakesh apresenta nesta sexta-feira o primeiro single “Trippin'” que acompanha um vídeo dirigido por Iago Mauad, com imagens analógicas da década de 80, retiradas do acervo pessoal e familiar da artista Uiara Bartira. Entre as referências sonoras eles citam nomes como e 070 Shake, Kanye West a Post Malone e Brockhampton.

“A composição nasceu de um paralelo entre 3 reflexões (minha, do Dani e a do Lucas) sobre um romantismo específico que existe ao se apaixonar e envelhecer ao lado de uma pessoa”, comenta Bruno Tubino, vocalista e guitarrista do projeto paranaense



Theuzitz “Dormir Machuca”

Com direito a participação especial do Valciãn Calixto, Theuzitz lançou a intensa “Dormir Machuca”. O primeiro lançamento do seu novo trabalho reflete sobre uma fase de sua vida onde esteve sonâmbulo, tendo dificuldades de superar e entender o que estava acontecendo. Os simbolismos estão em todos os detalhes, desde as memórias, passando pelos sonhos, reflexos e até mesmo frustrações.

O fragmento da narrativa também conta com o espírito de misturar referências, ele traz colagens de samples de Leonard Cohen e dos mineiros da El Toro Fuerte para criar algo novo e com a sua assinatura. Já no campo poético a mensagem para o ouvinte pode também soar como o despertar para o que busca, podendo servir como inspiração para quem também está correndo atrás dos sonhos.O clipe teve direção do Theuzitz, fotografia do Gabriel Hayashi e edição do Capitão Ahab.



Penny In Space “Night On Earth”

Por aqui vocês puderam conhecer “Heaven On Earth”, single de estreia da Penny In Space. Agora após trabalhar por cerca de 10 meses na produção, ela lança “Night on Earth”. A faixa teve a companhia de Maiara Rodrigues (Projeto Maru), no baixo e a mixagem de Gabriel Wiltemburg (Justine Never Knew the Rules, Strawberry Licor e Casa de Saltrio) e Penny In Space e a masterização realizada no The Exchange Mastering London.

A atmosfera oitentista continua no DNA do projeto com direito a flertes com a New Wave e o universo dos sonhos de grupos como New Order, Depeche Mode e Cocteau Twins.

Julico e Sandyalê “São Cristovão via Niger”

Quem prepara para lançar seu primeiro disco solo é Julico, do The Baggios, que aparece por aqui com um feat para lá de sergipano ao lado da incrível Sandyalê. Misturando baião, blues do deserto e referências da música do norte da África, a canção mostra a força do encontro e a atmosfera do interior do Brasil. Conectando a rica cultura dos nossos antepassados.

Chuck Hipolitho “3:20”

Dando continuidade aos singles que antecedem o disco de estreia solo, Chuck Hipolitho, apresentou o single 3:20 no melhor estilo Big Audio Dynamite / The Clash de ser e soando como uma reflexão sobre nossos dias de isolamento. Entre pensamentos confusos e expectativas sobre um futuro incerto.

Tripa Seca “Pessoas Loucas”

O Tripa Seca, banda que conta com Melvin Ribeiro, André Paixão (Nervoso), Renato Martins e Marcelo Callado. Segundo Ribeiro que também integra o Carbona, e o Melvin & Os Inoxidáveis, a faixa tem um “Q” de Ministry, algo diferente mas que faz sentido dentro do vasto leque de referências do grupo carioca. Aliás fica a dica o ótimo novo álbum do Callado, Saída, que saiu recentemente.

Leela “Devolva-me”

Recentemente perdemos o grande cantor, guitarrista e compositor Renato Barros (Renato e Seus Blue Caps) e os cariocas do Leela optaram por regravar uma versão para um dos seus maiores sucessos, “Devolva-me” (1966) [Escrita em parceria com Lilian Knapp]. A faixa foi inclusive regravada no ano de 2000 pela Adriana Calcanhotto e acredito que a maioria conheceu a composição através da versão.

O Leela foi convidado por Bacalhau (ex-baterista do Planet Hemp) que, junto com as filhas de Renato Barros, desenvolveu um projeto de regravações das obras do compositor para uma homenagem ao músico que faleceu dia 28 de julho.

A faixa ganhou uma versão com referências do synthpop oitentista e uma atmosfera introspectiva quase robótica.



Miguel EV LAR! 

Dica para quem curte pop e soul é o EP LAR! do gaúcho Miguel EV que conta com 4 faixas, na nossa lista de melhores clipes de setembro “Não Dá” acabou entrando, uma música que fala sobre a luta contra a depressão.

Como conceito do seu segundo EP autoral ele comenta “Nele eu divido meus sentimentos e fases da vida em cores, fazendo com que cada música soe como uma cor diferente”. Entre as referências Miguel cita os contemporâneos Lauv, Jeremy Zucker, Shawn Mendes e Charlie Puth.



Você Não Pode Deixar de Ouvir!

O disco do The Struts Strange Days
O disco do Osees Metamorphose
Disco da Annie Dark Hearts
O disco do Tagua Tagua Inteiro Metade

O novo álbum do Tommy Lee Andro
Álbum do Pessoas Estranhas Pessoas Estranhas
O novo EP do James Blake Before
Álbum do Matt Berninger Serpentine Prison
O novo álbum do Dormente Parestesia
Álbum da Luedji Luna Bom Mesmo É Estar Debaixo D’Água
O novo álbum da beabaddoobee Fake It Flowers
Álbum do The Vamps Cherry Blossom
Álbum do A Place To Bury Strangers Rare Meat
O novo álbum do Slotface The Slumber Tapes
Álbum do Bemti Piano e Viola Caipira (Acústico Ao Vivo)
O disco da CEFA CAØS

Os Singles do Release Radar

Sturle Dagsland “Kusanagi”
Psychedelic Porn Crumpets “Tally-Ho”
Los Straitjackets “Bus Stop”
Jup do Bairro e Linn da Quebrada “Bixa Preta Pt. 2”
Gilberto Gil e Chico Buarque “Sob Pressão”
Pearl Jam “Get It Back”
Pixies “Mambo Sun / Hear Me Out”
Wilco “Candyfloss (Demo)”
The Bats “Gone To Ground”
Julia Holter “So Humble The Afternoon”
Baboon Ha
“Caramel”
Maximo Park “Baby, Sleep”
Gorillaz “The Machine Is On!! A Song Machine Mix by Noodle”
Sharon Van Etten “Let Go”
Cloud Nothings “Am I Something”
Pink Siifu e Fly Anakin “Mind Right”
Guided By Voices “Mr. Child”
Portugal. The Man feat. Weird Al Yankovic “Who’s Gonna Stop Me”
Bad Religion “What Are We Standing For”
Viagra Boys “Ain’t Nice”
Benny Sings feat. Mac Demarco “Rolled Up”
Dirty Projectors “Lose Your Love” (Chromeo Remix)
Clap Your Hands Say Yeah “Hesitating Nation” e “Thousand Oaks”
Remobília “Jogo”
Stevie Wonder “Can’t Put In The Hands Of Fate” e “Where Is Our Love Song”
Lana Del Rey “Let Me Love You Like a Woman”
Céu e Liniker “Via Láctea”
Drake “Young Bleau”
Lau e Eu, Compositor Fantasma e Edgar Scandurra “Banjos e Demônios”