Luísa e os Alquimistas depois do lançamento do Jaguatirica Print (Confira) vem colhendo bons frutos. E olha que não estamos falando do single “Frutacor”, mas sim uma expansão a nível nacional. Não é por acaso que o álbum ficou bom colocado na nossa lista de 50 Melhores Álbuns Nacionais (2019).

Na época do lançamento definimos como:

“Caldeirão selvagem, experimental e energético da Luísa e os Alquimistas. Com potência, misturas, collabs, recorte e malemolência, o bregawave chegou para te pegar pela cintura e te levar direto para a pista de dança.

Uma enxurrada de sentimentos, mudanças, clímax, beats, experimentações e ritmos dão a tônica do terceiro álbum do grupo que hoje se divide entre Natal e São Paulo. O brega, o reggaeton, o francês, o dub, a paixão e até mesmo o horóscopo acabam ganhando o céu estrelado do registro.

A transição de vida marca o trabalho. Luísa veio para São Paulo e mesmo antes de ter seu disco aprovado em 2018, no Natura Musical, já deu início aos trabalhos. Se dividindo entre o bairro da Lapa e a capital Potiguar.

Para o disco Luísa Nascim (e os Alquimistas) reuniu um time de minas de responsa para colaborar. Entre elas a MC e repentista, Jessica Caitano (PE), Catarina Dee Jah (PE), Doralyce (PE), Sinta A Liga Crew (PB) e Jamila (PB), Luê (PA) e Izy Mistura (TOGO), na qual já gravou e compôs com Luísa em 2018 durante o projeto Pulso da Red Bull Music. O registro foi lançado via Natura Musical e Rizomarte.”

Luísa e os Alquimistas “Aquela Saudade (feat. Lerry)


Luísa e os Alquimistas _Mole Enterprise

Luísa e os AlquimistasFoto Por: Mole Enterprise


Depois de diversos videoclipes e alguns remixes ela nesta sexta-feira (29/05) nos apresenta o single “Aquela Saudade”, parceria com o produtor e DJ baiano Lerry. O pop, o alternativo, o batidão e o brega ainda permanecem vivos dentro do som da Luísa e os Alquimistas em uma balada feita para dançar.

A composição de autoria de Lerry foi apresentada a Luísa ainda em 2018 quando foi definido que seria lançada como single mas de certa forma inevitavelmente se ressignifica para o ouvinte durante este período de isolamento. A produção da faixa acabou se encerrando durante este período de reclusão visto a impossibilidade dos shows presenciais.

O resultado acabou somatizando na sonoridade o arrocha baiano com uma dose extra de graves no melhor estilo dubwise, guitarra suingada, como os próprios músicos comentam. Fato é que o tom pulsante e envolvente, características vitais do som do grupo, permanecem a todo vapor.

O fio condutor durante este momento é um tempero especial tanto para quem não está podendo ver a pessoa amada como para quem está vivendo loucamente webnamoros, como brinca a artista em entrevista exclusiva para o Hits Perdidos.

Ouça em Sua Plataforma Favorita



Entrevista: Luísa e os Alquimistas

Conversamos com a Luísa para saber mais sobre o lançamento, período da quarentena e o clima de flerte e azaração do novo single.

A abstinência dos encontros acabou motivando a composição e o momento do lançamento?

Luísa: “Essa música é uma antiga composição do próprio Lerry, e a gente ja tinha iniciado o processo de produção e gravação antes da pandemia. Quando a quarentena começou a gente se viu com muitos planos e shows adiados, mas a finalização de “Aquela Saudade” pôde ocorrer, mesmo a distância.

Apesar da letra da música ter trechos que podem ser interpretados de maneira diferente devido ao momento da pandemia, a gente sentiu que estava na hora de soltar. Eu mesma ando ouvindo muitas musicas nessa pegada “carentena” ultimamente.

Quais as dicas daria para quem está vivendo um web namoro?

Luísa: ” Quanto mais você webnamora, mais você sente vontade do encontro presencial. É difícil não criar expectativas. Mas tudo bem também né…Agora durante o isolamento social, tem sido a única alternativa pra manter o contato com xs crush, pra muita gente. Assim como é uma oportunidade massa de conhecer pessoas novas também.”

Quais os próximos passos da carreira neste momento onde não é possível realizar shows presenciais?

Luísa: “Ainda estamos tentando entender isso e se o próprio mercado da musica vai nos trazer novas possibilidade de trabalho. Temos uma equipe grande e nossa maior receita vinha dos shows. Estamos negociando algumas lives pagas, parcerias com marcas, enviando projeto pra editais, criando coisa nova, ensaiando versões novas…mas principalmente tratando de manter a mente sã.”

Como enxerga o saldo do Jaguatirica Print agora que o ciclo do disco se encerrou? Quais foram os maiores aprendizados?

Luísa: “Não entendo que o ciclo Jaguatirica Print se encerra com o lançamento do single novo. Ainda temos muitas coisas pra trabalhar desse álbum, principalmente em relação ao lançamento de videoclipes e do formato do show em si.

É um disco muito importante pra gente em vários sentidos. Os lançamentos anteriores ao Jaguatirica Print também foram fundamentais pra gente chegar nessa maturidade e entrosamento quanto coletivo artístico / projeto musical.”