Bel_Medula e o Silêncio.

Acredito que todo esse momento que estamos vivendo deveria ser utilizado para melhorar nossas relações humanas, perspectivas e reavaliar os nossos planos e expectativas com a vida. Encontrar a paz interior, em meio a quarentena, é um exercício que exige prática e aperfeiçoamento. Saber a hora de abstrair e procurar ajuda também á uma etapa importante.

Existe momento para chorar, para contemplar o silêncio, para emudecer, para refletir, para reagir e para buscar por respostas. Muitas delas não são simples. Rever conceitos, atitudes e conflitos pode ser um exercício bastante doloroso. Por sua vez, a criatividade e nossa capacidade interna de ouvir as vozes do silêncio para se reinventar também se fazem presentes.

É desses silêncios que a compositora, cantora, multiinstrumentista, produtora musical e musicóloga gaúcha, Isabela Nogueira; que assina seus projetos sob o codinome Bel_Medula, transmite na faixa “Silêncio Lugar”. Embora a composição tenha surgido antes deste período pandêmico, a faixa se ressignifica e abraça o momento atual.

“Lançar este clipe é lançar um estímulo a que se busque no autoconhecimento a paz que é necessária para que possamos direcionar nossa força para os objetivos concretos e urgentes que temos pela frente. Ouça seu lugar, sinta sua emoção, perceba seu corpo, conheça seu mundo, entenda para onde se quer ir”, aponta Bel_Medula


Bel_Medula

Bel_MedulaFoto: Reprodução Youtube


Bel_Medula “Silêncio Lugar”

“Silêncio Lugar” é a quinta faixa do seu álbum de esteia Pele/Osso (2019) dividido em duas partes.
O registro traz canções de Isabel Nogueira e Luciano Zanatta com arranjos construídos e interpretados pela banda, da qual fazem parte também Bruno Vargas e João Pedro Ce. O disco Osso traz uma combinação de beats, sintetizadores e spoken words, compostos e interpretados por Isabel Nogueira, trazendo poesias de Daniela Delias e Hilda Hilst.

“Percebo o silêncio de um lugar quase como um registro da passagem do tempo, sendo o tempo o único movimento enquanto tudo mais está parado. Daí ser possível contemplar os silêncios que os diferentes lugares oferecem, notando como cada lugar tem o seu aquietar característico”, reflete Luciano.

O Videoclipe

A produção audiovisual tem direção geral de Bel_Medula; e direção, captação e edição por Luciano Zanatta. No roteiro a rua e a casa se confundem através de colagens visuais que simulam uma realidade paralela.

Uma distopia que estamos podendo experimentar no momento coletivamente. Feito um fantasma do choque de realidade, a metáfora acaba adentrando a casa do espectador. Passando desta maneira uma mensagem de reflexão. O som faz colagens com experimentações eletrônicas, poesia e MPB.

“Reflexos desta rua entram como glitch na imagem da Bel cantando, intuindo os ecos do mundo lá fora que vem e vão dentro de cada um de nós, seja o mundo anteriormente experimentado, seja a preocupação com o que se passa além das nossas paredes”, comenta Luciano.

“Da mesma forma, os ecos da performance ao vivo, em cima do palco, que agora se encontra tão distante, entram como glitch fantasma, afirmando o quanto a interação com a banda ressoa dentro deste silêncio forçosamente construído pelo confinamento.

A cafeteira aparece em um movimento de transformação, ecoando a necessidade de materialização de uma nova rotina e ao mesmo tempo convertendo-se devagar em flor biônica-ciborgue, que expõe a necessidade de novas formas de vida”, finaliza o compositor que assina a direção, captação e edição do vídeo



Bel_Medula Pele/Osso (2019)