Com a instauração da pandemia do COVID-19, festivais e apresentações ao vivo foram canceladas ou adiadas – para quando, ninguém tem certeza – pelo mundo todo. Em poucos dias, as agendas de shows foram substituídas por uma enxurrada de lives, quase todas no Instagram, em que artistas se apresentaram para entreter e manter interações com seus públicos em tempos de distanciamento social. Mas como fazer lives durante a quarentena?

Por um momento pareceu que as interações pelas redes sociais poderiam ajudar a indústria musical a passar por esse momento complicado, mas rapidamente o mercado ficou saturado e os espectadores já se voltaram para outras atividades na busca por entretenimento em quarentena.

Aqui vão algumas colocações que podem te ajudar a se destacar entre o mar de lives.


Lives Durante a Quarentena


Como fazer Lives durante a Quarentena?

Escolha seu objetivo e planeje-se 

Seu objetivo pode simplesmente estar perto dos seus fãs neste momento ou até mesmo tentar se manter financeiramente, mas com o seu objetivo em mente você deve traçar um planejamento – idealmente semanal, até mesmo quinzenal – de comunicação.

Não vai adiantar falar na segunda-feira que você vai fazer uma live no fim do dia, porque outras pessoas já terão marcado várias lives no mesmo horário e que fizeram divulgações melhores.

Para cumprir o seu objetivo, você deve engajar com o seu público 

Você já deve ter ouvido falar sobre engajamento em redes sociais, bom, hoje em dia não basta mais postar algo em uma rede social porque os algoritmos estão contra a seu favor.

Então para que suas lives apareçam para o seu público em destaque, você deve garantir que o seu público está engajado com o seu conteúdo. Por isso é importante fazer um planejamento de comunicação que estruture a sua rede para te dar atenção quando você fizer sua live.

Faça um roteiro para a live

Como em um videoclipe, também é fundamental pensar nos momentos da sua live. Comece escolhendo uma duração, qualquer live com mais de 1 hora tende a perder seu objetivo, então o ideal é entre meia e uma hora. Esse tempo você pode dividir em momentos. Sim, momentos, porque ninguém vai assistir por 1 hora você tocar suas músicas quando podem assistir versões com melhor qualidade no YouTube.

Pense em momentos para fazer o espectador parte da live, deixe o público escolher a música que você tocará, convide um colega para se juntar a live – o Instagram disponibiliza essa funcionalidade. Ou até mesmo um jogo onde os seus seguidores escolhem o cômodo onde você tocará e música, como fez Tim Bernardes – em uma live que teve a “presença” de mais de 12k pessoas – ou um jogo de procurar objetos pela casa, como fez Rodrigo Alarcon. Seja criativo e entregue mais do que um ensaio com qualidade ok e travado pelo wi-fi.

O negócio é estar junto, se vender é um subproduto. 

Estamos passando por um dos momentos mais delicados deste século e é o momento perfeito para compartilhar momentos positivos e gerar empatia com os seus fãs.

Quando você alinha seu posicionamento, seja político (e hoje é muito!) ou simplesmente de de apoio ao distanciamento social, com o seu público, você chega a emular a relação que existe em uma apresentação ao vivo. Então seja franco, seja honesto e compartilhe a sua realidade com o seu fã; que não precisa ser perfeita, mas precisa transparecer a sua mensagem e a realidade de que estão todos juntos nessa.

Como monetizar o momento

Existem diversas plataformas de crowdfunding como o Padrim, que permite o apoio mensal a longo prazo, ou Catarse, que é muito utilizado para produção de álbuns, onde você pode pedir o apoio de seus fãs.

Plataformas de Streaming

Assim como existem plataformas de streaming, como Twitch onde o mercado de músicos não está tão saturado com o Instagram. E também existe a possibilidade videoconferências, via plataformas como Hangout do Google e Zoom; onde você pode “comercializar” a entrada na live – esta última deve ser usada com muito cuidado. Lives no Youtube também podem ser uma ótima saída pois através do Ad Sense você consegue monetizar pelo conteúdo.

Encontrar a melhor plataforma para a sua live também é essencial, por exemplo, já vimos que lives com muitas pessoas na tela não funcionam tão bem no Instagram e talvez o Youtube funcione melhor.

E é claro, continuem vendendo merch, talvez a entrega demore um pouco mais, mas você deve oferecer customizações e autógrafos neste período.

Se eu puder fazer uma última sugestão, sugiro o livro “Empreendedorismo para Subversivos” do Facundo Guerra; que ao ler achei menos sobre empreendedorismo e mais como se situar no mercado atual, especialmente no mercado da música.

Gostou das nossas dicas de como fazer lives durante a quarentena?

Conta para gente como vocês tem feito e os problemas que tem tido aqui nos comentários.

Confira também

33 Documentários que ajudam a contar a história da música brasileira

Como ajudar artistas e pessoas que trabalham com cultura durante a quarentena

Festivais a Distância Movimentam a Música Independente

Selos Independentes disponibilizam Playlists para a Quarentena