Os 30 melhores álbuns nacionais de 2019 | Lista da Mila

Chegamos ao final de 2019 e começamos a relembrar de muitas coisas, principalmente aquelas que vivemos e aprendemos, tudo aquilo que ouvimos.

Sendo a primeira vez que montei uma lista, fica um tanto complicado deixar alguém de fora. E isso não quer dizer que não tenha gostado de vários outros, apenas fiz uma espécie de funil.

Coloquei todos aqueles que de certa forma julguei importantes e que impactaram e somaram de alguma forma nesse ano um tanto difícil que foi 2019.  

Foi uma escolha bem pessoal mas mesmo assim espero que vocês entendam a dinâmica das posições, e que também venham a conhecer muitas bandas que tem muito a contribuir com nosso cenário musical atual.  

Sei que muitos de vocês podem ficar chateados por não verem seus artistas favoritos na lista, ou achar que artista x deveria estar na frente do artista y. Usem listas como forma de pesquisa e descoberta. A música brasileira é muito rica e ela não é única e exclusivamente do mainstream.

Os 30 melhores álbuns nacionais de 2019 | Lista da Mila


Os Melhores Álbuns Nacionais de 2019 Lista da Mila


30) Dona Cislene TempoRei



Terceiro álbum de estúdio da brasiliense Dona Cislene, TempoRei traz uma evolução musical bem visível comparado aos seus trabalhos anteriores. Um álbum bem dinâmico, que coloca a energia pra cima.

29) Walfredo em Busca da Simbiose
Maiúsculas Cósmicas



Projeto solo do compositor e guitarrista Lou Alves, Maiúsculas Cósmicas traz um pouco de melancolia, questionamentos, vagando entre o folk e o rock. 

28) Gumes Adorei Você 



Formado por Lucas Tamashiro, Thales Castanheira e os irmãos Otto e Yann Dardenne, a Gumes surgiu na cena paulistana em 2016 e este ano lançou o Adorei Você. Baseado em dramas cotidianos, o álbum sai na curva e reflete em confissões e diálogos da vida adulta.

27) Luísa e os Alquimistas
Jaguatirica Print 



Terceiro álbum da cantora norte-rio-grandense Luísa Nascim, Jaguatirica Print é criativo, dançante e provocativo. Suas batidas nos levam do pop ao brega, suas letras vão do sentimental a crítica.

26) Tássia Reis Próspera



Em meio ao caos que vivemos Tássia Reis fala em Próspera sobre racismo, a conquista das minorias, a força da mulher negra. Além das próprias vitórias e vivencias pessoais. 

25) Francisco, El Hombre
RASGACABEZA



Com um dos melhores shows de 2019, o RASGACABEZA é uma catarse de emoções que te tiram do chão e buscam o movimento. Político, abrasador, pulsante, elétrico e importante nos dias de hoje. 

24) Clarice Falcão Tem Conserto



Álbum intenso relacionado a depressão, ansiedade, dilemas pessoais. A ambientação musical se mantém pop em variações com o eletrônico. Não se trata de romantizar a tristeza mas sim criar um alerta, que mesmo que não pareça tem conserto. 

23) Yma Par de Olhos



Um labirinto de sentimentos, angustias, amor. Sensível, Par de Olhos seduz o ouvinte no amplo universo de Yma. Leve e derradeiro, te coloca entre passado e presente em diversos cenários.  

22) Céu APKÁ!



Céu retrata sua vida de mãe, amor, sobre a função feminina. Inclusive o nome do disco tem muito a ver com a família, a palavra Apká foi a primeira balbuciada pelo filho da cantora. Com batidas eletrônicas e algumas participações de grande nome, compartilhando seu universo, o que ele significa e o que quer. 

21) Moons Dreaming Fully Awake 



A mineira Moons lança seu terceiro álbum intitulado Dreaming Fully Awake. Confessional, ele guia o ouvinte pelas melodias e versos minimalistas. Puramente criativo e de entrega, nos leva a mergulhar na atmosfera da banda. 

Os 30 melhores álbuns nacionais de 2019 | Lista da Mila

20) Rosa Neon Rosa Neon 



A Rosinha – apelido carinhoso – lançou em setembro o álbum de estreia batizado com o próprio nome da banda. Do brega ao pop, Rosa Neon – o álbum – é para ser apreciado sem pressa, onde dialoga com o ouvinte de forma confessional e sentimental. 

19) Apeles Crux 



Rico de detalhes, Crux revela todo um cuidado, viaja entre o sensível e a poesia que se espalha pelo labirinto de emoções aplicado no álbum. 

18) Papisa Fenda 



Trazendo o misticismo, Rita Olivia nos apresenta Papisa da forma mais profunda e emocional. A cantora e compositora paulistana traz sua essência em fragmentos experimentais, em sua alma feminina espalhando memórias em cada verso ouvido.

17) As Bahias e a Cozinha Mineira
Tarântula  



Com o som que vai do pop ao MPB, Tarântula traz canções reflexivas sobre sociedade, afeto, a divergência política do nosso país. Aliás, o nome do álbum se refere a “caça” à travestis nos anos 70 e 80 em SP com a desculpa de conter a propagação do vírus HIV. 

16) Fresno Sua Alegria foi Cancelada 



O álbum que me fez voltar a ouvir Fresno. Oitavo álbum de estúdio, Sua Alegria foi Cancelada tem uma sonoridade ímpar referente aos álbuns anteriores. Traz suas canções de forma sincera, transmitindo a tristeza e o emocional de forma intensa e direta.

Os 30 melhores álbuns nacionais de 2019 | Lista da Mila

15) MC Tha  Rito de Passá



Rito de Passá é intimista e criativo, inserindo aos poucos o contexto da religiosidade, ousadia e sensibilidade. MC Tha mostra sentimentalismo, uma certa melancolia, mas não deixando de ser mutável.  

14) Teago Oliveira Boa Sorte



Boa Sorte é um convite para se aprofundar as experiências, amores, conflitos e memórias do cantor e compositor Teago Oliveira, também conhecido como vocalista da banda Maglore. 

13) Labaq Lux



Instrumentista, cantora, produtora e compositora, Labaq evoca a luz que ainda existe em nós. Lux traz em suas canções o grito, a chama que precisamos manter em tempos tão difíceis. Uma imersão a ser feita em tempos tão nebulosos como os que enfrentamos. 

12) Cigana Todos os Nós



Álbum de estreia da banda paulista Cigana. Todos os Nós traz em seu rock alternativo uma infinidade de emoções e sensibilidade nos tempos atuais. 

11) Supervão Faz Party



A psicodelia e o indie rock predominam o som da Supervão. Faz Parte é o primeiro álbum do trio que apresenta canções que conversam de forma expressiva, mas ainda assim íntima. Um estranho universo a ser explorado. 

10) Scalene Respiro 



Uma das coisas que faz um artista ou banda interessantes é a forma como podem ser mutáveis. Scalene trouxe o Respiro aos dias de hoje onde somos abordados com diversas informações, onde um simples detalhe é despercebido devido a rotina, ao cansaço mental e principalmente emocional. Você vai encontrar um álbum diferente dos anteriores, mas que mesmo assim ainda soa como Scalene. 

9) Larissa Luz Trovão



Um álbum necessário! Trovão é dominado por versos e batidas fortes, uma ligação entre passado e futuro. Uma abordagem mais atual às religiões africanas, mais espiritual. 

8) Ana Frango Elétrico
Little Electric Chicken Heart



Criativo e transformador, Little Electric Chicken Heart faz o ouvinte mergulhar de cabeça entre o sentimento e a melodia.

7) El Toro Fuerte
Nossos Amigos e os Lugares que Visitamos



A banda mineira lançou um disco cheio de reflexões, como uma parte de um quebra cabeça que traz à tona parte de um passado ainda um tanto recente e também cheio de memórias. Mostrando lições adquiridas no meio do caminho, fortalecendo laços e seguindo em frente. 

6) Rakta Falha Comum



Som que causa uma certa inquietude a quem ainda não conhece o trio, mas que ao mesmo tempo instiga o ouvinte a ouvir o experimental que a banda apresenta.

Falha Comum é uma imersão a um mundo de camadas finas, ambientadas de ruídos que seguem na ampliação do resumo da obra. Com certeza um dos melhores álbuns experimentais/instrumentais que já ouvi nos últimos tempos. 

Os 30 melhores álbuns nacionais de 2019 | Lista da Mila

5) SASKIA Pq



O deboche, a troca de narrativa e personagem. PQ é político, com conflitos existenciais, é cultural. Fragmentos de elementos e instantes o álbum é apresentado de forma criativa e embaralhada, mas que no fim faz todo sentido.  

4) Raça Saúde



Guitarras, sintetizadores, uma grande carga emocional, conflitos existenciais e uma forte conexão com o ouvinte. Saúde traz vivencias, experiências, desabafos, vocabulário simples, buscando a superação de forma direta e mesmo conflituosa. 

3) Boogarins Sombrou Dúvida



Gravado em um estúdio em Austin, Texas, ouso dizer que Sombrou Dúvida é um dos melhores álbuns do quarteto goiano. Traz toda uma carga dos álbuns anteriores, porém também de uma forma totalmente diferente nunca apresentada.

Os versos mais compreensíveis, além da própria melodia prender o ouvinte faz com que o álbum seja “saboreado” aos poucos, resultando na compreensão e apreciação do mesmo. 

2) Vivian Kuczynski Ictus



Uma das maiores revelações do ano, a cantora e compositora lança seu primeiro álbum de estúdio – Ictus – com todo um cuidado em arranjos e vozes. Letras intensas e marcantes, críticas e pessoais, faz com que o ouvinte se identifique do início ao fim.  

1) Terno Rei Violeta



Um dos álbuns que mais ouvi durante esse estranho 2019. Canções de conflito, amor, muitas vezes sorridente e outras vezes melancólico. Uma experiência crescente, madura e com a carga emocional necessária.  

Confira Também: