Retrospectiva 2019: 100 Hits Perdidos do Indie Nacional @Spotify

Na semana passada listamos por aqui os 50 Melhores Álbuns Nacionais de 2019 (Saiba Mais). Uma lista de recomendações para correr atrás do que melhor aconteceu na música brasileira nos últimos 12 meses. Na terça-feira listamos também 25 Melhores EPs Nacionais de 2019 (Saiba Mais).

Agora chegamos com a já clássica Playlist de 100 Hits Perdidos. É a quarta vez que fazemos a lista de sons por aqui e a cada ano que passa conseguimos mostrar ainda mais hits que para muitos podem ter ficado “perdidos”.

Sem compromisso de ter sido lançado como álbum, EP, split ou apenas como single, a lista que faz uma Retrospectiva 2019 tem o papel de trazer novidades e fazer você conhecer o maior número possível de novos artistas. A safra é boa e a música agradece.

Confira também as Retrospectivas Anteriores:

Lista: 100 Hits Perdidos de 2018
Ouça Agora: 100 Hits Perdidos de 2017
Playlist: 100 Hits Perdidos de 2016


Retrospectiva 2019


Retrospectiva 2019: A Playlist

1-10

A lista que conta com 100 Hits Perdidos de 2019 começa logo com a paraense AÍLA e chega tremendo terra com seu hit lançado em julho – que acompanha um belo clipe. Pop também conduz a faixa seguinte com LETO que lançou um ótimo disco de estreia em 2019, por aqui encontraremos “Johnny”. YMA lançou em janeiro seu debut, Par de Olhos, chamando a atenção pela estética, arranjos e um som delicioso, selecionamos para a lista “Evaporar”.

De Janeiro vamos logo para dezembro com “Leviatã Lux” single da Sammliz que teve clipe lançado recentemente em Premiere no Hits Perdidos. Ainda pop mas com flertes com o post-punk. Diretamente do Espírito Santo na sequência temos A Transe em faixa com participação da GAVI (“Floresceu”), o projeto deu o que falar neste ano e chegou a ter clipe exibido no Udigrudi da Play TV.

De Limeira (SP) a Bamba EFX mesmo com poucos singles lançados chamou nossa atenção e por isso entrou no nosso radar em 2019. O indie foi de encontro com o pop na parceria Valuá + Potyguara Bardo no contagiante single “Veneno”. A Rapper, performer, baQUEEN vocal da Linn da Quebrada, Jup do Bairro também aparece por aqui com “Corpo Sem Juízo”.

Parceria bacana rolou entre a cearense Josyara com IZEM em “Iara Correnteza”, já o disco do Thiago Pethit entrou na nossa lista de Melhores Discos do ano e merecidamente “Me Destrói” integra a playlist. A Tuyo durante o ano fez diversas collabs, até mesmo com o Fresno, mas por aqui você encontrará a faixa em parceria com os cariocas da Biltre, “Lara”.

11-20

Para muitos o nome da Dois Barcos vai ser uma verdadeira descoberta, inclusive fiquem de olho, por aqui eles aparecem com o ousado remix para “Submerso” feito em parceria com o Colinz.

Quem lançou EP em 2019 foi a ALDO, que não atende mais pelo nome de ALDO, THE BAND, e disponibilizou o single “Trembling Eyelids”. Ainda no primeiro EP quem aparece na lista também a Delphos, de Brasília (DF), com o místico single “Bruxa”.

Flaira Ferro (PE) já tinha aparecido nos nossos destaques com seu ótimo disco e aqui vem com o potente single “Coisa Mais Bonita”. A baiana Illy lançou o single “Fascinação” e casa bem na sequência. A Baleia (RJ) optou lançar seu disco em partes e a faixa “Eu Estou Aqui” se destacou ganhando uma ótima produção audiovisual.

A Mixtape do Giovani Cidreira roubou a cena e “Pode Me Odiar” ganhou um clipe D.I.Y. que captou a mensagem da canção. Já os gaúchos da Supervão tiveram o desafio de lançar Faz Party – um disco com o calor das ruas e misturando indie ao eletrônico – e em 2020 eles tem planos de dar uma guinada para o eletro. Por aqui ouvimos a deliciosa “Loteria”. O bloco mais eletrônico fecha com Nuven e a faixa “Esotérico”.

21-30

Soledad continua mantendo o alto nível em suas produções e na nossa Retrospectiva 2019 aparece com “Céu”. Os brasilienses da Breu lançaram disquinho neste ano e entre suas faixas “Sucata” se destaca; ainda em BSB a OXY de surpresa – e sem avisar ninguém – disponibilizou o viajante single “Don’t You Think the Air is Stuffy”.

De Brasília vamos direto para Maceió com a azul azul que lançou um EP em Premiere no Hits Perdidos e “soda” talvez seja até mais açucarada que o refrigerante – ponto para eles e para fãs de um rock jovem e pulsante.

Que beleza é “Latifúndio” da Zéfiro! Dá para ouvir 20 vezes sem parar. lllucas, se escreve assim mesmo, vai agradar a fãs do rock triste e das guitarras soltas ao mesmo tempo que pops. De Aracaju (SE) a Taco de Golfe continua a todo vapor com seu math rock milimetricamente calculado e show redondo, lançaram EP, e por isso “Erro”entra em cena por aqui.

De Florianópolis a Jandaia conta com Victor Fabri (Frabin) e foi uma grata surpresa tendo lançado “Movimento” em parceria com o selo Cavaca Records. Diretamente de Jandira (SP) para o mundo, Theuzitz apresentou “Noite II” e uma nova estética para seu trabalho. Estamos ansiosos para os próximos lançamentos! Já a Florcadáver, da capital paulista, lançou “Baleia” e promete brilhar muito em 2020.

31-40

Yo Soy Toño, de Alagoas, aparece por aqui com “Hotel”. O brasiliense DJ e rockeiro OPS disponibilizou seu novo álbum e “Lo Siento Hermano” dialoga até mesmo com a loucura das guerras urbanas da América Latina. Que Timing!

Como é ótimo ver a nova geração chegando cedo, a jovem gaúcha Lila Trentini veio diretamente do Twitter com covers e partiu para o autoral. Na lista encontramos “Not on My Mind”. O pernambucano Romero Ferro teve um ótimo ano com o lançamento do seu disco e por aqui destacamos o hit Pop/Brega “Pra Te Conquistar”.

Saskia é potência! Lançou Pq via Natura Musical e agora tem a chance de circular ainda mais pelo país com seu som moderno e versátil. Apostamos muito nela! Black Alien teve uma volta digna com o Melhor Disco Nacional do Ano e “Take Ten” sintetiza muito bem o registro. NiLL lançou Logos e a cada ano que passa tem ganho destaque na cena de rap/hip hop do país, por aqui trazemos o single “Regras da Loja” em parceria com outro destaque do cenário, o rapper BK.

O obscuro também tem espaço na lista e os Moblins vieram para ousar com seu disco de estreia, por aqui você fica com o remix para “Airship (Da Mochi) (Freak Mix)”. Quem definitivamente largou o folk foram os mineiros da Young Lights e por aqui você fica com o primeiro single do novo trabalho “Down River”. Por outro lado quem abraça o folk com as duas mãos é Chico Bernardes que lançou debut neste ano, ouça na playlist “Um Astronauta”

41-50

Parceria boa tem que ser celebrada, o místico encontro de duas almas inquietas resultou no Guaxe. Projeto de Dinho Almeida (Boogarins) com Bonifrate, por aqui você ouve “Desafio do Guaxe”. Surpresa boa foi conhecer a fntsma, duo paranaense ainda nos seus primeiros dias mas com uma estética lo-fi de quarto muitíssimo agradável, selecionamos talvez o melhor single deles até então, “A Falta de Um Caminho”.

Walfredo em Busca da Simbiose tem tudo para aparecer ainda mais forte em 2020, o disco veio em 2019, e por aqui ouvimos “O Louco Sempre Tem Razão”. Larissa Conforto retorna com projeto experimental pós-Ventre, a ÀIYÉ e de cara o single “Pulmão” chamou nossa atenção, preste a atenção nos detalhes.

Adoramos novidades e do interior do Paraná pudemos conhecer este ano os ainda jovens da hoovaranas, é stoner, é experimental e as vezes até surf, vale tudo e contagia pela mistura e elementos. Muñoz, de Florianópolis (SP), lançou disco via Abraxas Records – em parceria com a Locomotiva Discos – e mostrou porque é relevante dentro do cenário stoner, por aqui você ouvirá “Planet End”. Psicodelia, folk e rock se cruzam em “Soul Much Higher” da Stolen Byrds.

O Raça lançou disco e teve ótimos momentos em singles como “Chama”. Já a El Toro Fuerte cravou talvez seu hit para fechar a década “Aniversários São Difíceis”, uma faixa para ecoar pelas ruas de Belo Horizonte. Parceria interessante se deu no encontro dos campineiros da Ceano com a potiguar Natália Noronha (Plutão Já Foi Planeta) no single mais pop deles até o momento, “A Campina”.

51-60

Eduardo Praça lançou o novo álbum do projeto Apeles e uma das faixas mais emocionantes de 2019 com certeza foi “A Alegria dos Dias Dorme no Calor dos Teus Braços”. Por aqui vamos com a versão acústica lançada nos últimos dias de 2019 como bônus track.

Neptunea lançou apenas um single através de um clipe mas foi o suficiente para chamar a atenção. Uma trilha sonora que parece ter sido feita para entrar em um filme do Discovery Channel. Experimental, lisérgica, intuitiva e matemática. A Wolken, de Santa Catarina, continua explorando camadas do rock alternativo em seu novo disco e por aqui aparece com “A Cidade”.

Os soterapolitanos da Tangolo Mangos lançaram um EP para lá de psicodélico e diverte pelo jeito moleque em “Gosto de Sol”. A Iorigun volta a aparecer por aqui depois de um ano com a faixa “Wasting My Energy”. Já a Ultraluna traz as forças do emo em “Éden” para rechear nossa lista. A The Mönic lançou disco via Deck e “Frágil” tem uma letra que merece a nossa atenção.

A Def, do Rio de Janeiro, lançou um dos Melhores discos do Ano e “A Cidade Onde Apenas Eu Não Existo” merece ser ouvida no repeat. A Aventura foi uma grata surpresa e estaremos de olho nos próximos passos, por aqui ouvimos “Amanhã”.

Diretamente de Juiz de Fora (MG) já no fim do ano a Basement Tracks nos mostrou a faixa “Heavy Dream”. Já a paranaense Vivian Kuczynski lançou um ótimo álbum via Balaclava Records e por aqui destacamos o single “Mesmo Lugar”.

61-70

A Tuyo lançou um álbum só de remixes e dentre eles “Vidaloca” ganhou uma versão nas mãos do Boss In Drama. A canção ganhou também um ótimo videoclipe gravado em São Paulo. A Diablo Angel, de Recife (PE), apresentou sua nova fase no álbum Futuro e por aqui ouvimos a faixa título.

Boogarins voltou a lançar um dos discos do ano com experimentações e evolução em relação ao seu trabalho anterior, por aqui vamos de “Invenção”. Vitória está representada com a Moreati e recentemente eles lançaram o vídeo para “Tempo pra Dizer”. Quem também tá com single saindo do forno é Alex Albino com a faixa “Casmurro”. De Belém para nossa lista temos Kikito com “Retina” parceria com Malu Guedelha.

BAAPZ passa Nervoso em seu novo single que ganhou uma ótima animação sendo finalista do M-V-F- Awards 2019. Alagoas novamente representada em nossa lista com o som psicodélico e em inglês da Milkshakes, por aqui ouvimos “Summer”.

Jeremaia fez um dos discos do ano e “O Trabalho da Rua Mato Grosso” é definitivamente um hit perdido. Assim como “A Casa do Colapso Nascente” do Bike que lançou seu disco em quartos.

71-80

A Applegate lançou um álbum torto e derretido e na playlist chega junto com “Abstrai”. Na sequência vem a Brvnks (GO) com “Fred”, faixa presente num disco dream pop que irá agradar de fãs de Snail Mail a FIDLAR.

Os cariocas da Sound Bullet aparecem com um single que acaba de sair do forno, “Shabby”. Já os novatos da Mineiros da Lua fazem uma ponte entre o experimental e a MPB em “Minas Gerais”. Ana Frango Elétrico aparece com “Chocolate”, deliciosa canção e definitivamente um dos discos do ano.

A baixada fluminense também está representada com a Sta. Rosa e o single “Para os Dias Tristes”. Quem lançou um disco bonito e colaborativo foi o Meu Nome Não é Portugas, projeto do Rubens Adati, separamos para a lista “Raiz”.

Direto de Recife a Torre trouxe em 2019 um inventivo e interessante disco misturando Jazz a outras influências e se destacou bonito. Remixes são ótimos para animar festas de fim de ano então na nossa lista temos 2 lançados em 2019, embora as faixas originais não sejam deste ano, “Vai Render” (O Pala Remix) da Letrux e “Bixinho” (Lux e Tróia Remix)” da Duda Beat chegam para somar.

81-90

Um remix que também ganhou a luz do dia em 2019 foi o de “Me Deixa Legal (Deeplick Remix)” fechando a década da Maglore. O trap também aparece por aqui com Yung Buda com o single “Autumn Ring Mini”.

Quem encerrou as atividades em 2019 foi a Alaska e para fechar a trajetória eles presentearam os fãs com a faixa “Queima”. A Tori brilhou na nossa lista de Melhores do Ano e se você gosta de Warpaint deveria ficar ligado no som quebradiço do projeto. Terno Rei brilhou no horizonte com Violeta, encabeçou diversas listas de fim de ano e feito as luzes de Natal aparece por aqui com “Yoko”.

Papisa brilhou em seu álbum de estreia com um álbum sobre a morte e seus mistérios, por aqui você ouvirá “A Velha”. Quem acompanha o selo Midsummer Madness deveria ter prestado a atenção no Slowaves, ouça “Here She Comes” em nossa playlist.

Luisa e Os Alquimistas quebraram tudo com um disco cheio de mistura e para cima. Entre nas festas ao som de “Olhos de Tocha” e entre de pé direito em 2020. Natural de Aracaju (SE), mas vivendo em SP, Lau e Eu lançou o single “Motorista” e no próximo ano promete lançar um EP de inéditas. Estamos ansiosos!

Quem voltou para acender as luzes de Natal foi a Naked Girls And Aeroplanes com um delicioso single perfeito para ouvir bebendo uma taça de vinho.

91-100

Ainda no folk, o Antiprisma aparece com “Meu Antigo Futuro de Sempre” que coroa o ano deles em um disco que irá envelhecer super bem. Uma surpresa deste ano foi descobrir o som da Suco de Lúcuma e “Nada no Ar” entrou em nossa seleção. O pop do Reiner de Belém (PA) também aparece por aqui com “Pra Te Ver Passar”.

Para quem curte punk/hardcore vamos com uma sequência interessante no fim da lista com Garage Fuzz, com “Timeline”, Radical Karma, com “Sinto Muito Que Não Sinta Nada no Fim”, Never Too Late, com “Disconnected”, e Diego Xavier & Trio com “Problemas”.

Fechamos a lista com um feat da Ekena com a Orquestra Greiosa, de Natal (RN), e Hot e Oreia, duo de Belo Horizonte (MG), que roubou a cena em 2019. “Estilo” traduz o que muitos queriam dizer neste momento.

Ufa! 100 sons resenhados agora é a hora de você apertar o play!



Para Outras Playlists Exclusivas Siga o Hits Perdidos no Spotify