Após lançar em 2017 o álbum Nós Somos Tudo o Que Temos o Dinamite Club disponibiliza hoje em Premiere no Hits Perdidos um digno presente de Natal antecipado para os fãs dos paulistas.

Nesta quinta-feira, 28/11, eles lançam o EP Não Estamos Sós acústico via Hearts Bleed Blue (HBB). Entre as faixas registradas para esta espécie “Punk Goes Acoustic” (conheça a série) temos “Você É Maior”, “Mim Acher”, “Não Dá Pra Ganhar Todas” e “Santa Cecília”, com destaque para o trabalho de reconstrução da versão desta última.

O registro poderia estar nas prateleiras da gringa sob a alcunha de Fan Service pois para quem acompanha a trajetória do grupo certamente já decorou estas canções que em sua maioria sempre estão presentes em suas apresentações. “Você É Maior”, por exemplo eles contam que não poderiam deixar de fora!


Dinamite Club

Dinamite ClubFoto Por: Bruno Massao


10 Anos de Dinamite Club

Em 2020 a banda completará 10 anos de sua fundação e pretende ao longo do ano trazer outras surpresas.

“Pretendemos fazer bastantes shows no primeiro semestre, e no segundo, lançar nosso terceiro álbum e gravar um disco ao vivo celebrando os 10 anos de estrada.

Então queremos fazer de todos os shows um acontecimento na nossa história”, conta o vocalista Bruno Peras

Já o guitarrista da Dinamite Club, Márcio Rodrigues, contou com exclusividade para o Hits Perdidos sobre os bastidores das gravações do EP acústico e um pouco mais também a respeito da escolha das faixas.

Confira a seguir algumas das curiosidades.

Sobre o EP

“Toda a estrutura do EP foi planejada de forma muito democrática e unânime. E isso fez o processo de construção ser leve. Quando pensamos nas músicas, escolhemos as que mais gostamos de tocar, as que mais representam nossa história baseada no protagonismo de mensagens otimistas e as que tiveram melhor receptividade de público e crítica.

Um fato curioso é que, além de naturalmente ter o Peras nos vocais, cada um dos outros integrantes canta uma parte nas músicas. Estamos curiosos para que descubram.”

MIM ACHER

“Algumas músicas funcionam mais do que outras ao vivo e a “Mim Acher” é uma das que fazem parte do primeiro grupo. Salvo engano, ela foi tocada em todos os shows do disco até aqui. Em sua versão original, reúne o que chamamos de “flow” com um ritmo cadenciado aliando peso e melodia.

Quando pensamos na versão acústica, optamos por preservar este flow com a novidade de privilegiar uma parte final com um dedilhado de cordas mais brilhante e protagonista. De todo o EP é a música que menos ousamos no arranjo.”

NÃO DÁ PARA GANHAR TODAS

“Junto da “Você é Maior”, é a música mais querida do público. Sua mensagem direta encurta o caminho entre banda e ouvinte e a letra sem vergonha de ser otimista crava o sentimento que a música provoca. No EP, ela executa um papel quase que de interlúdio, uma vez que não foi gravada por completo.

O arranjo numa medida que equilibra efeitos de delay e poucas notas ajuda a imprimir o recado. No disco esta é uma música carregada de energia, misturando velocidade e refrão pesado. Já no EP, optamos por uma proposta de ambiência, um convite para o teatro da mente ao conduzir quem estiver ouvindo sobre como é importante lembrar que dias ruins acabam.”

VOCÊ É MAIOR

“Desde o lançamento do disco é a música preferida de público e passou a ser a mais especial para nós. Ao longo dos meses, foi ganhando significados pessoais por muitas pessoas. Ganhou um clipe, que se transformou em homenagem ao nosso irmão Leon, carregando emoção e verdade. Ela era a maior certeza de música para o EP.

Quando discutimos arranjo, foi unânime a ideia de que deveria ser limpo, suave e distante da versão original. Em todo o EP nós descemos o tom dos violões, mas nessa música fica mais evidente com o acréscimo de algumas notas dissonantes. Algumas das principais linhas de voz, inclusive, também ganharam arranjos exclusivos evoluindo de uma letra com mensagem para uma conversa com quem ouvir.”

SANTA CECÍLIA

“Essa é uma versão 150% diferente da original. Alguma música a gente queria que fosse diferente a ponto de ser impossível imaginar a versão do disco. Com isso, nasceu essa sugestão com um pé no country que rendeu horas de risadas nos ensaios e audições do EP.

A letra carrega uma melancolia pessoal, mas é possível dizer que essa nova versão, especialmente no refrão, democratiza a mensagem como se provocasse um estalo de: “eu já passei por isso, foi difícil, mas hoje eu tô bem”.”

Ouça o EP