Na Calada da Night!

Comandante 22 “vaza” hoje videoclipe em Premiere no Hits Perdidos na calada de uma boogie night.

Recebemos conversas de um Hacker, investigado pela polícia do underground, a respeito de informações confidenciais que originalmente estavam nas mãos da banda e do selo Abraxas Records.

O Vazamento


Whatapp conversa Comandante 22 Videoclipe


D.I.Y.

O power duo de neo blues psicodélico carioca que em sua formação conta com Bernar Gomma e o batera Mario Braune chega com novidade exclusiva para os leitores do Hits Perdidos.

Bernar inclusive também faz parte do Beach Combers, aquela banda de surf musica envolvente que ficou conhecida nacionalmente depois de uma amizade no calçadão do Rio.

Dinâmico, vintage, cru, D.I.Y. e envolvente. Esse é o espírito leve do conjunto carioca que acumula funções.

Eles acumulam funções com certa malemolência. Além de tocar eles: gravam, mixam, masterizam e tomaram conta de todo o processo do videoclipe da Premiere!

Isso mesmo! Eles roteirizaram, dirigiram, filmaram, iluminaram, decuparam, montaram e agora estão, ufa, lançando!

Claro que contaram com a ajuda preciosa dos amigos e fiéis escudeiros mas do que seria uma banda underground sem os amigos? Não é mesmo?


Comandante 22 vaza clipe

Duo carioca Comandante 22 lança videoclipe gravado na Lapa – Foto: Divulgação


A Lapa

A Lapa acaba servindo de cenário não apenas para o videoclipe mas também faz parte da concepção do duo carioca. E até por isso o clipe vazado em Premiere no Hits Perdidos têm ela como cenário.

Sua verve respira a boemia dos botequins do bairro. Inclusive a essência do projeto foi criada, gravada e produzida em seu antigo estúdio Coletivo Machina.

As guitarradas simples, o caos, e o cruzamento de crises existenciais contemporâneas dão o tom das melodias ásperas de guitarras, efeitos de pedais e o encontro da crueza do blues. Mesmo o Rio já tendo sido chamado algumas vezes como “O Túmulo do Rock“, a energia do cenário atual contagia.

Comandante 22: Boogie Night

O bairro entra em cena com o plano de fundo do “Boogie Solitário”. Fala sobre um personagem, uma alma do bem, um anti-social incompreendido da night.

Mais carioca impossível, até mesmo pela escolha destes termos para descrever. O caos e descontrole bluseiro vagando pela noite destemido e boêmio traz para si uma identidade própria.

Melancólica, desorientada, decadente mas vibrante.

Gravado de maneira D.I.Y., o clipe lançado hoje usa do recurso de uma Go Pro e traz um pouco da alucinação para a primeira pessoa.

O entorpecer de umas boas doses acaba se tornando um dos personagens por si só. De fato quem assiste o clipe acaba adentrando sua atmosfera.

Vale ainda ressaltar que a faixa ainda conta com os precisos teclados gravados por Anderson Coutinho.



O “porre” acaba por si só sendo o fio condutor da trama. Seu refrão chiclete ainda contribui para os takes entre luzes e cortes secos de uma noite mais para lá do que para cá. Selvageria nas ruas!

O EP Transe sairá no final do ano via selo Abraxas Records.

Entrevista

Para entender mais sobre o espírito Boogie e Dandy do projeto conversamos com o duo que teve bom humor nas respostas.

[Hits Perdidos] Minha primeira reação ao ver o videoclipe foi compreender a “vibe” lobo solitário pelas ruas e noite da Lapa. Ao mesmo tempo tem o lado despretensioso e bucólico do boogie em sua concepção. Como foi que tudo se encaixou?

Comandante 22: “A música tem seu beat próprio que da todo o ritmo do clipe, juntamos isso com uma madruga de inverno na Lapa, cerveja, amigos, uma GoPro na mão e Do It Yourself. Despretensioso porque fizemos tudo sozinhos, esse foi o clipe mais barato da história com certeza.”

[Hits Perdidos] O que levaria no drink deste boogie solitário?

Comandante 22: “Nesse dia foi gengibre do bar da cachaça, mas pode ser o que vc cada um quiser.”

[Hits Perdidos] O EP também contará com essa energia libertina e experimental do blues? Quais referências trará?

Como definiriam o Transe? Como veem a trajetória do projeto até aqui?
Quais serão os próximos passos?

Comandante 22: “O EP Transe tem a pegada do blues psicodélico, que ja apresentamos no anterior, mas dessa vez aprimoramos e falamos sobre outras coisas, tipo o fim do mundo, o imediatismo e a ilusão toda da internet etc.

Comandante 22 tem seu ritmo próprio, tudo flui naturalmente sem pretensão ou pressão própria.

Desde o inicio o trabalho sempre foi assim, estabeleceu a dinâmica própria, e tá muito bacana estamos fazendo os primeiros shows fora do Rio, tocamos em Juiz de Fora (MG) fim de semana passado, essa semana vamos pra SP, enfim estamos muito animados não só com o lançamento mas também com todos esses shows que estão rolando e os que estão pra rolar em outros lugares.

Próximos passos:

Terminar essa série de shows, mês que vem começar a produzir o próximo single, finalizar o EP, lançar tudo e cair na estrada pra mais shows.

Aliás, ao mesmo tempo eles queremos trabalhar mais com audiovisual também e produzir mais material nesse estilo Do It Yourself.”

Ouça Comandante 22
no Spotify