Em junho no Hits Perdidos fizemos a Premiere do EP Vol. 3 que pregava deboísmo. Desta forma eles fecharam uma trilogia de EPS (e não era nem Star Wars). Desta vez em outra Premiere eles vem nos apresentar seu mais novo videoclipe.


drapula

Drápula de Niterói (RJ). – Foto: Divulgação


Para quem ainda não conhece o Drápula

Uma curiosidade muito divertida vem por parte da origem do nome da banda que vem da brincadeira de falar Conde Drácula errado. Só que mais tarde eles afirmam ter descoberto que é uma palavra em romeno, que significa “vampiro que transa muito”. Se é verídica a informação ou não com toda a certeza fez com que eu desse boas e sinceras gargalhadas.

Em seu som eles abraçam diversas influências, do pop passando pela psicodelia, MPB, anos 80, rock alternativo e até mesmo das “ondas das AMS/FMS dos elevadô”. Com a internet, claro, tudo ficou mais fácil e a transição de estilos vai fazendo com que acumulemos sim uma bagagem musical que não teríamos a oportunidade de acumular em uma só vida.

É divertido pois nos três volumes as influências que eles citam acabam de fato se complementando e chegando ao ouvinte com certa naturalidade. São bastante diversas como Ariel Pink, Lulu Santos, The Growlers, Jorge Ben, Mac Demarco, Mutantes e movimentos como o Clube da Esquina, Jovem Guarda e o Tropicalismo.

Mas o universo deles não se restringe a isso, eles passeiam por assuntos do dia-a-dia como filmes, redes sociais, ficção científica, séries, literatura e passagens leves da vida. Sabe por mais que eles dialoguem com os millennials, não é muito diferente de como os adolescentes dos anos 90 viam a cultura pop, os quadrinhos, os programas de TV e videogames.

O Clipe

Na resenha que foi ao ar no dia 14/06 escrevi algumas palavras sobre “Música Rápida”, faixa que nesta sexta-feira (21/09) ganha um videoclipe no melhor estilo faça você mesmo.

“Música Rápida” é por horas powerpop e em outras um punk rock tocado com vontade. Com o mesmo ar de deboche de bandas como The Dwarves. Até nisso subverte pois a canção é uma versão acelerada de “Música Lenta” do primeiro EP, além disso a faixa canta com a participação da Hoço. Sua letra parece um trágico filme Sci-Fi onde tudo deu errado e as máquinas pararam de funcionar. No melhor estilo pastelão.

Segundo os integrantes a produção do clipe é propositalmente relaxada para mostrar a espontaneidade dos fluminenses. A direção é assinada por Luisa Giesteira, que é diretora, atriz, amiga da banda (e namorada do baterista).

“Por este motivo o clima ficou bem em família, todo mundo naturalmente de bobeira. O vídeo também conta com a participação da banda Hoço, que também aparecem na gravação.”, conta João Rosas

Realmente o clipe é simples mas nem por isso deixa de ser interessante. Visto que eles conseguem explorar bastante os recursos do cenário, do clipe que se passa dentro de um estúdio.

Com direito a gelo seco (que como nos relataram em off deixou eles tontos aka. enjoados), iluminação, piadas internas, dancinhas ridículas, caracterização, brincadeiras, acessórios, brinquedos, deboche, “brotheragem”, featurings, air guitars, modo zen e jeito escrachado. Diverte e capta o “jeito moleque” do conjunto.



Ouça o EP Vol. 3

Vol. III do Drápula vem para deixar o clima leve. Através de canções que falam sobre passatempos, “deboísmo”, filmes cult, ficção científica e a noite fluminense, eles vem para divertir com versos descontraídos e diversidade no repertório de influências. Em tempos de registros pesados e raivosos, o  EP vem para “quebrar o gelo”. Irá agradar a fãs de powerpop, psicodelia, tropicalismo e porque não: punk rock. Tudo muito açucarado e pronto para a apreciação. Servidos?