Der Baum flutua pelo post-punk, new wave e synthpop em seu álbum de estreia

Acredito que nos últimos três anos pude comparecer em shows da Der Baum em todo tipo de situação. Em um mini-festival cheio, em um topo de sobradinho (com a polícia chegando), na Paulista aberta, na Casa do Mancha e até mesmo no ABC paulista.

Neste meio tempo eles ainda participaram do tributo O Pulso Ainda Pulsa e O Mundo Ainda Não Está Pronto, respectivamente homenageando os Titãs e o Pato Fu. Projetos em parceria do Hits Perdidos com o crush em hi-fi. Sempre se destacando por trazer sua essência dançante e oitentista para suas releituras.

Então para mim estar escrevendo sobre o primeiro álbum do grupo é algo bastante especial. Tive inclusive a honra de poder ter comparecido a audição do disco, esta que aconteceu no QG dos new wavers.


SAM CRUZ
Após série de EPs Der Baum lança seu primeiro álbum, Guarujá Nights. – Foto Por: Samuel Cruz

O som da Der Baum é escrachado. Sabe brincar com a temática dos anos 80, em absolutamente tudo. Do visual passando pelo campo dos videogames, sintetizadores e performance. Tanto é que quando lançaram o EP We Already Live In The Future, tudo fez sentido. É uma fusão entre o new wave, post-punk, pop e rock alternativo.

Se você curte DEVO, Blondie, Interpol, The Kills, The B-52s, Duran Duran, Depeche Mode, Foals, Sisters Of Mercy, Eagulls e a fase mais dançante do Bowie: eu acredito que irá automaticamente encontrar uma nova banda para adicionar a sua playlist no Spotify.

Pouco antes do álbum ser lançado, a banda já havia trabalhado dois videoclipes.

#SemFiltro



O vídeo foi dirigido pelo vocalista e tecladista Ian Veiga que teve como assistentes de luz e fotografia Samuel Cruz e Matheus Müller. Nenê Junior foi o operador de câmera.

“O single #semfiltro é curto e tem uma mensagem bem clara. Enquanto usamos filtros e nos modificamos nas redes sociais mais nos distanciamos de nossa realidade e perdemos a pratica do contato real com as pessoas.

Assim como todos os sons do álbum o single foi produzido por Chuck Hipolitho com a banda e para o processo de composição da letra chamamos o incrível Jonnata Doll para colaborar.” – conta o diretor do clipe.

Pra Inglês Ver



Já o vídeo para “Pra Inglês Ver” foi gravado dentro de um bloquinho de São Paulo no Carnaval. Originalmente ela é uma musica instrumental do Camarones Orquestra Guitarristica, banda de Natal, que foi presenteada pelo Anderson Foca.

A Der Baum fez questão de recriar em uma versão com uma letra satírica que fala sobre um dia caótico e quente na cidade. Tanto é que eles chegaram a fazer uma ação com garrafinhas de água para o lançamento do vídeo. Assina a direção do clipe Dani Buarque & Ale Labelle.

Guarujá Nights (09/03/2018)

O álbum, Guarujá Nights, foi gravado no Estúdio Costella em São Paulo. Para a capa eles contaram com a parceria com o artista plástico Daniel Melim, este que é reconhecido por suas intervenções urbanas em São Paulo.

Depois da saída de Lucas Lerina, o álbum também marca a estreia da baixista Vanessa Gusmão. Além de Vanessa a banda conta em sua formação com Fernanda Gamarano (Guitarra e Voz), Ian Veiga (Teclados e Voz) e Cesar Neves (Bateria e Voz).



O registo conta com 10 músicas e 27 minutos de duração. Algo que mostra a nova cara da banda que aposta em canções mais dinâmicas e diretas ao ponto em sua nova fase. Algo que se mantém é o fato de continuar mesclando canções em inglês e português, característica que os acompanha desde seus primeiros dias.

“#SemFiltro” é uma canção que quando pude ouvir já senti o que quiseram dizer nas entrelinhas. Mas para quem não conhece a trajetória da banda de São Bernardo do Campo (SP) também consegue captar uma outra mensagem quase que urgente nos dias de hoje: a ilusão de uma vida perfeita e sem problemas.

O instagram foi a rede social que eles escolheram para bater na #hashtag da canção. A “idiotização” do textão, a foto mega tratada e o dia todo com a cabeça olhando para um aparelho que muitos chamam de “melhor amigo“. Uma crítica também a não socialização e estar presente mais no campo virtual do que em carne e osso.

A canção preserva o estilo new wave durante seu início mas conforme vai acelerando desemboca no post-punk e no (quase) surto psicótico dos teclados. Um outro destaque da música fica por conta dos riffs crus de guitarra.

“Guarujá Nights”, faixa título do álbum, vem em seguida para dar o clima da festa gótica. Com uma levada mais soturna do post-punk alemão misturada a fase de Berlim de Bowie, a canção poderia ser até trilha para uma fase de videogame.

Em tempos de Blue Ray, Netflix e outros serviços de streaming quem a Der Baum foi logo ressuscitar? Ele mesmo, o videocassete. Aquele “treco” que você tinha que rebobinar para entregar para a locadora, que a qualidade ia se perdendo ao longo dos anos e que boa parte dos jovens dos anos 80/90 possuem registros em casa nesta mídia.

A canção em questão é “Videocassete” que também é tiro curto e embala a viagem nostálgica em pouco mais de 2 minutos. É uma epopéia torta da ida a locadora, dá até para imaginar um clipe muito louco e sci-fi no local. Num sobra nem para a nova versão do Mad Max, que leva um safanão na letra.

A bateria se destaca com uma levada surf rock, os sintetizadores ganham pressão e os solos de guitarra me lembraram um pouco o trabalho do Generation X (grupo que tinha Billy Idoll em sua formação).

Chegamos assim a “Allstar”, sim uma homenagem ao tênis que é ícone do rock a várias gerações. Os teclados até lembram um pouco o tecnobrega mesclado a um rock direto. A variedade do portfólio de tênis da marca também é exaltado na canção e o verso “Eu quero ser seu allstar” fica ecoando na sua cabeça.

A próxima “French Fries” inclusive será o próximo single a ser trabalhado – e ganhará um videoclipe. Ela que entrega uma das influências mais marcantes da banda: a paixão pelo som do The B-52s.

Tem aquela levada silly e a jogada de criar um dueto entre Fernanda e Ian. É sobre sair aí pela noite para curtir sem a necessidade de estar no mood para a azaração. O famoso Bros Before Woes.

“Pra Inglês Ver” fala sobre o calor da cidade que faz com que fritemos no concreto. Os sintetizadores lembram um pouco a Transilvânia, o que dá para entender que é o próprio Conde Drácula pedindo refúgio do verão brasileiro. Hidrate-se criatura das trevas!

A sétima canção, “Right Now” já traz outra vertente de influências da banda, o synth pop. Mais moderna – ao mesmo tempo que empoeirada – ela tem ares de The Kills, Interpol, Duran Duran, Kate Bush e até mesmo The Cure.

Ela inclusive destoa do resto do álbum, acredito que de maneira proposital. Fernanda pela primeira vez no disco assume o protagonismo nos vocais em uma balada mais soturna e que viaja pelo campo das desilusões e dos sonhos distantes.

Se na anterior Fernanda comandou os vocais, em “Outra Vez” é Ian que faz sua balada confessional. Um verdadeiro desabafo. Se você conhece a fase post-punk do The Damned provavelmente vai entender esta imersão mais introspectiva.

“If You Call” cria toda uma atmosfera entre guitarras e teclados. Cheia de ambientação, ela flerta com o Opera Rock e mostra como eles se sentem mais a vontade em experimentar coisas que nunca tinham feito até então. Com a atmosfera das canções mais sombrias do A-Ha e Duran Duran.

“Você Passou” fecha o disco com uma energia mais vibrante em comparação com as faixas anteriores. Mais dançante eles caminham mais para o lado da New Wave e flertam com a disco music. Se você gosta de Milokovik provavelmente irá gostar. Uma canção sobre conectividade e intimidade.


CAPA


O primeiro álbum da Der Baum mostra um pouco de todas as facetas que a banda tentou explorar desde a sua formação mas também tem espaço para novas experimentações. É rápido, são 27 minutos e quando você percebe já foi.

Tem dinâmica e flutua pela new wave, post-punk, opera rock, Synthpop, rock alternativo e serve de trilha sonora até para jogos de videogame. A pressão do dia-a-dia, a loucura das redes sociais, as dificuldades em se viver em sociedade, a loucura da cidade e até o lado bobo e divertido das pequenas coisas da vida são explorados ao longo de suas 10 canções. Agora é esperar para ver como tudo isso funcionará no palco.

Show de Lançamento

O show de lançamento do disco, Guarujá Nights, acontece no próximo sábado (24/03) no Rising Power Estudios. A abertura ficará por conta da banda The Mönic (banda que conta com as meninas que faziam parte da BBGG) que acabou de lançar seu primeiro videoclipe.



Alem das bandas haverá exposição do Brecho Dê um Rolê Brechó, dos cosméticos da Jéssika Kirchner, bijus artesanais da Florescerá, Flash tattoo com a Ava Six, exposição de arte com Drica Sousa e brownies da Elvira. A entrada é franca!

SERVIÇO
Lançamento Guarujá Nights – Der Baum
Abertura
The Mönic
Data:
24/03 (Sábado)
Horário
: A partir das 19 horas
OndeRising Power Estudios
Entrada:
Franca
Endereço: Avenida Coronel Fernando Prestes, 677 – Centro – Santo André (SP)


FLY

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s