Hits Perdidos: Um estudo de caso sobre a produção de videoclipes

Em janeiro começamos a fazer listas mensais de videoclipes independentes aqui no Hits Perdidos. A ideia era tentar catalogar os principais vídeos da música independente brasileira. Como muitas vezes a divulgação direta dos artistas – e bandas – e assessorias é discreta, tivemos que fazer uma força-tarefa procurando os clipes através dos mais diferentes mecanismos, tendo como base ferramentas como o google, portais, jornais, blogs, twitter, instagram, páginas de selos, canais de youtube, indicação de amigos entre outros.

Nos primeiros meses era “novidade” e poucos conheciam as listas. Quando o tempo foi passando o interesse pelas bandas e a “união” – ao menos durante o listão – era perceptível. Lembrando que as bandas em sua maioria não eram avisadas que estariam nas seleções

Confira as listas:

>>>>>>Janeiro<<<<<<<<
>>>>>>Fevereiro<<<<<<
>>>>>>Março<<<<<<<<<
>>>>>>Abril<<<<<<<<<<
>>>>>>Maio<<<<<<<<<<
>>>>>>Junho<<<<<<<<<
>>>>>>Julho<<<<<<<<<<
>>>>>>Agosto<<<<<<<<
>>>>>>Setembro<<<<<<
>>>>>>Outubro<<<<<<
>>>>>>Novembro<<<<<
>>>>>>Dezembro<<<<<<

Todas as listas acompanham playlists devidamente postadas no Spotify do Hits Perdidos.

Foram 12 meses, muitas noites não dormidas e 790 videoclipes compilados. Uma média de 68,83 videoclipes por mês, 2,19 por dia.

No total, a lista conta com 641 artistas e bandas de 114 cidades. Com músicos de 25 estados + Distrito Federal. Infelizmente, o Acre foi o único estado que ficou de fora.


Screen Shot 2017-12-28 at 03.07.00


Com tantos listões compilados achei que seria uma boa maneira de fazer dos “listões” algo mais útil, e com base nesta amostra coletada tentar gerar insights úteis para bandas e selos, para entender as épocas melhores para conseguir espaço na imprensa, periodicidade, altas e baixas. Para isso analisei alguns dados que estarão esmiuçados neste post.


Clipes Por mês (Números)


Como podem observar, os últimos três meses do ano foram os que mais tiveram videoclipes coletados. Muitas bandas já projetando lançamentos de discos ou EP’s em 2018 e outras fechando ciclos de discos lançados em 2016 e 2015.

Os mais populares: Outubro (104), Novembro (97) e Dezembro (76), Março (75).
Os menos populares: Janeiro (31), Maio (50) e Fevereiro (47).

A máxima de que o ano começa depois de Março ajuda com que entendamos tal fenômeno de depois de março os lançamentos de clipes aumentarem. Muitas bandas escolheram o mês de Março para lançar seus discos por exemplo. De Abril (61) a Setembro (54) a média é regular.

Os “picos” estão mesmo nas antevésperas de lançamentos. Inclusive as bandas que lançaram mais de um videoclipe justamente fizeram um planejamento adequado para que o disco não fosse “esquecido” tão cedo.


PORCENTAGEM MÊS


É até surreal comparar o número de artistas da região Sudeste listados em relação as outras regiões do país. A produção, “competição” e concentração do capital são definitivamente os motivos para o número exorbitante. Muito disso levando em conta também a facilidade dos artistas de se expor nas principais mídias. A região que mais chega perto é justamente a Sul e mesmo assim a diferença é gritante. Seguido de Nordeste, Centro-Oeste e por último a região Norte.


Screen Shot 2017-12-28 at 03.39.09


Screen Shot 2017-12-28 at 03.51.56


Quando o assunto é a concentração de artistas lançando videoclipes por estado: os dados ficam ainda mais gritantes. São Paulo leva a dianteira com 41% seguido do Rio de Janeiro (17%), Rio Grande do Sul (9%), Paraná (5%) e Bahia (2%).

Artistas / Estado

Norte

Amazonas 6
Roraima 1
Amapá 1
Pará 9
Tocantins 1
Rondônia 2
Acre 0

Nordeste

Maranhão 5
Piauí 4
Ceará 13
Rio Grande do Norte 12
Pernambuco 13
Paraíba 4
Sergipe 4
Alagoas 7
Bahia 14

Centro-Oeste

Mato Grosso 2
Mato Grosso do Sul 3
Goiás 11

Sudeste

São Paulo 251
Rio de Janeiro 103
Minas Gerais 43
Espírito Santo 9

Sul

Paraná 31
Rio Grande do Sul 53
Santa Catarina 10

Concentração por estado


Chega até ser interessante – porém não menos óbvio – ver o fato das principais capitais do país tomarem a dianteira na produção de videoclipes.


De Que Cidade São


São Paulo 168
Rio de Janeiro 87
ABCD Paulista 12
Colatina 1
Guarapuava 1
Brodowski 1
Piracicaba 5
São Luís 4
Belo Horizonte 31
Recife 12
Guarulhos 4
Imperatriz 1
Taubaté 2
Fortaleza 13
Goiânia 12
Volta Redonda 7
Teresina 5
Aracaju 3
Porto Alegre 27
Curitiba 21
Londrina 2
Maringá 1
Juiz de Fora 5
Uberlândia 3
Araguari 1
Salvador 13
Virgínia 1
Itaquaquecetuba 1
Indaiatuba 1
Campo Grande 3
Petrópolis 2
Imbé 1
Santana do Paranaíba 1
São Leopoldo 2
Caixias do Sul 5
Santa Cruz do Sul 2
Rio Preto 1
Belém 9
Itapira 1
Taguatinga 1
Santos 10
Maceió 6
Boa Vista 1
Brasília 28
São Vicente 1
Guarujá 1
Balneário Camburiú 1
Araraquara 3
Natal 8
Niterói 3
Ouro Preto 1
Jaú 1
Limeira 7
Jacareí 1
Taboão da Serra 1
Campinas 2
São José dos Campos 6
Jandira 1
Araucária 1
João Pessoa 2
Suzano 1
Bagé 1
Vitória 6
Vila Velha 2
Mossoró 3
Passo Fundo 3
Alto Coité 1
Governador Valadares 1
Lavras 1
Piranguinho 1
Florianópolis 7
Mandaguari 1
Manaus 6
Sorocaba 5
Santa Maria 3
Serra do Navio 1
Cuiabá 1
Maresias 1
Porto Velho 1
São Carlos 1
Itajaí 1
Umuarama 1
Matão 1
Bauru 1
Uberaba 1
Blumenau 1
Farroupilha 1
São José dos Pinhais 1
Nova Hamburgo 1
Macaé 1
Estância Velha 1
Itajubá 1
Canoas 2
Cambui 1
Cotia 1
Serafina Corrêa 1
Ribeirão Preto 3
Ilha Solteira 1
Arapiraca 1
São Cristovão 1
Surubim 1
Americana 1
Cubatão 1
Rio Claro 1
Ilhéus 1
Araguaína 1
Teresópolis 1
Mafra 1
Gravataí 1
Votuporanga 1
Rio Grande 1
Rio das Ostras 1
Itupeva 1

Olhando para um aspecto mais comercial é interessante ver que os artistas independentes cada vez mais tem interesse em se afiliar a selos. Sejam eles majors, tradicionais ou net labels. Como podemos ver no gráfico abaixo.


SElO OU INDIE


372 lançaram seus materiais de forma completamente independente, enquanto 269 optaram por realizar parcerias com selos. A lista completa de selos que conta com 136 listados e a quantidade de artistas que lançaram clipes dentro do casting pode ser lida abaixo.

Läjä Records 6
Forever Vacation 3
Balaclava Records 8
Hearts Bleed Blue 18
Monstro Discos 7
Sinewave Label 9
Lixo Records 1
Fiasco Records 1
Selo Toca Discos 3
Ué Discos 2
Selo Risco 6
Jdm Music 1
Natura Musica 5
Radar Records 1
PWR Records 6
Sony 3
Universal 7
Deck Disk 11
Slap 4
Som Livre 2
Refil Records 2
Maianga Discos 1
Mondé 1
Laboratório Fantasma 2
Granada Discos 1
Spider 1
AbatJour Records 1
Far Out Recordings 1
Sagitta Records 4
Toca do Lobo Records 1
Invern Records 1
Howlin’ Records 4
Rolo Seco 1
Submarine Records 1
Rosa Flamingo 2
Musikorama Music Records 1
Angorá Music 2
Life’s Too Short 1
Miceli Records 1
Selo 180 3
Mono. Tune Records 1
Senhor F 2
Quente 1
EAEO Records 1
Geração Perdida de Minas Gerais 3
Rare Candy 1
YB Music 6
Bigorna Discos 2
Sunrise Records 2
Dinamite Records 3
Pessoa Que Voa 1
Lua Music 3
Seein’ Red Records 1
Caustic Recordings 1
No School Records 1
Peculio Discos 1
Abraxas 7
BMG 1
Semper Adversus 3
Dals Records 1
Transtorninho Records 3
Efusiva 2
Voice Music Records 1
Mata Leão Discos 1
Estúdio Casinha 1
Red Star Recordings 1
Crooked Tree Records 4
Nap-Nap Records 3
Flecha Discos 1
DoSol 2
Scienza Records 1
Cavaca Records 2
Burning London Records 1
Honey Bomb Records 2
Mocker Discos 1
Heavy Baile Sounds 1
Odyssey Music Network 1
Traquitana 1
Milk Digital 2
Lovely Noise Records 1
RockIt! 1
Candlelight Records 1
Puro Ópio 1
Midsummer Madness 5
Transfusão Noise Records 1
Neurotic Recordings 1
Essencial Media Group 1
Falante Records 1
Violeta Discos 1
Fayette Records 1
Plus Records 1
Ministério da Contracultura 2
Wikimetal 2
OWYES! Records 1
Mitorecords 1
Lezma Records 2
Escápula Records 2
Take One Records 1
Frika Discos 1
Lo-Fi In High 1
Selo Rockambole 1
Sêla Musical 1
Dubatak Records 1
Pom_elo 1
Vulkania 1
Slag Records 1
Crasso Records 2
Artico Music 1
DaFne Music 2
Red Hous Records 1
Morcego Records 2
Fubica Records 1
Garimpo 1
Gabiru Records 1
Orleone Records 1
RecoHead 1
Brilliant Records 1
Up Music 1
Coaxo do Sapo 1
Midas Music 1
Scubidu Records 1
Label A 1
Ésseponto 1
Ressaca Records 1
Pug Records 1
Microfonia 1
Joia Moderna 1
Othe Music Recording Co. 1
For The Records 1
Matraca Records 1
Craic Dealer Records 1
Boia Fria Produções 1
Na Music 1
Mamba Negra 1
Selo Freak 2
Dubas Musica 1

Listamos também os selos com mais artistas que produziram videoclipes neste ano.


SELOS MAIS ARTISTAS


Na dúvida do objetivo com os videoclipes em uma era pós-MTV, e com tudo a poucos cliques ,queria saber qual era o objetivo principal das bandas com a produção do conteúdo. Acabei encontrando algumas respostas.

Alguns queriam dar a visibilidade ao disco/EP/single recém-lançado, outros queriam trabalhar os discos e dar fôlego até o próximo lançamento. Teve casos de artistas que iriam lançar discos neste ano, ou no ano, que vem que optaram por lançar um videoclipe para encerrar o lançamento anterior e outros já adiantando singles do futuro trabalho. Isso mesmo, tudo junto e com intervalo de poucos meses.

Esse foi o caso da Bratislava que lançou clipe para seu álbum anterior e para Fogo, seu mais recente disco. A Sky Down lançou no começo do ano um videoclipe finalizando o Nowhere (2014) e no fim nos presenteou com “Wish” que estará no álbum do ano que vem.


Lançou Disco?


O interessante foi observar também o perfil dos artistas que optaram por lançar mais de um videoclipe/lyric video no ano. Tiveram 4 perfis:

1 – Os que lançaram em meses seguidos.
2 – Os que lançaram com espaçamento de dois a três meses.
3 – Os que lançaram no começo e fim do ano.
4 – Os que lançaram um por trimestre.


Quem Lançou Mais de Um Videoclipe


Lançou 4 clipes: The Outs, Ted Marengos, Yannick e Ops.

Lançou 3 clipes: Carne Doce, Bratislava, Lobos de Calla, Young Lights, Concha, Bloco, Jonathan Tadeu, Make Make, Zander, Mc Linn da Quebrada, Versalle, The Bombers, Braza, Republica, Medulla, Scalene, Rashid, Scatolove, Miêta.

Lançou 2 clipes: Deb And The Mentals, Overfuzz, Sasha Grey, Far From Alaska, Plutão Já Foi, Stupid, Prume, Sky Down, BaianaSystem, Bullet Bane, O Grande Ogro, Vespas Mandarinas, Supervão, Paula Cavalciuk, Malli, Cigana, Juliano Gauche, Color For Shane, BTRX, A Creche, Bike, Supercombo, As Bahia e a Cozinha Mineira, Watch Out For The Rounds, Mudhill, Estranhos Românticos, Hazamat, Menores Atos, Old Books Room, Lloyd, Alarmes, Boobarellas, Cidade Estéril, Akeem Music, Rocca, Ekena, Dead Fish, Vanguart, Old Books Room, Urbanites, Barro, Dona Cislene, Do Culto ao Coma, Camões, Os Intrusivos, Sammliz, Bia e os Becks, Escambau, Erwins, Black Pantera, War (We Are Revolution), Limonge, Ceano, Kanduras, CH2, Deaf Kids, Thrills & The Chase, Molodoys, Stereophant, Gabi & Os Supersônicos, Autoramas, Não Há Mais Volta, Sara Não Tem Nome, Black Days, Gentrificators, Musa Híbrida, Zimbra, Fernando Motta, Killing Surfers, Joseph Little Drop, Leso, Project46, Atalhos, Wry, The Ed Sons, Spinosa, Winter, Mady & Seus Namorados, Victor Cavalcantti, Kalouv, Maguerbes, Dime Cronista, Undrones, Haikaiss, Siso, Rodrigo Ogi, Rincon Sapiência.

*Levando em consideração os videoclipes listados nos “listões” mensais do Hits Perdidos.

Para fechar, gostaria de disponibilizar quais foram os gêneros musicais que mais tiveram abertura dentro dos listões. Por ser um blog do nicho independente é claro que gêneros mais populares como o rap/hip hop, pop, eletrônica e outros mais específicos, porém relevantes como o metal, não estiveram presentes todos os meses. Porém toda a mostra é válida.

Para não entrar em tantos subgêneros estilos como Garage Punk, Metal Melódico, Psych Stoner foram integrados a seus gêneros principais como “Metal”, “Punk”, Garage Rock” e “Rock Psicodélico”. Sendo assim foram listados 38 gêneros musicais.


Gêneros Musicais - Top 10


Forró 1
Rock Alternativo / Rock
211
Grunge 4
Metal 35
Grindcore 3
Garage Rock 8
Hard Rock 12
Folk 33
Brega 3
Noise Rock 3
Pop Rock 58
Stoner 16
MPB 82
Lambada 3
Hardcore 55
Punk 70
Surf Music 5
Post-Rock 13
Shoegaze 18
Ska 2
Reggae 12
Rap / Hip-Hop 34
SynthPop 9
Trip-Hop 10
Pop 5
Instrumental 19
Technopunk 1
Eletrônica 13
Emo 7
Dub 3
Rock Psicodélico 24
Powerpop 1
lo-fi 5
Spoken Word 2
Metalcore 1
Skacore 1
Jazz 2
Blues 6

Fique ligado que em breve faremos nossa seleção de melhores clipes de 2017!

One thought on “Hits Perdidos: Um estudo de caso sobre a produção de videoclipes

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s