[PREMIERE] Navegue nas “good vibes” do primeiro EP da Cachalote Fuzz

A cada dia que passa a nova psicodelia brasileira surpreende de maneira positiva. Enquanto muitas bandas lançam discos apostando em fórmulas no que “deu certo antes”, outras enxergam que o caminho a seguir é misturar e dar asas para a criatividade. Aqui no Hits Perdidos ao menos uns 15 discos do gênero musical recebemos por mês e a porcentagem de coisa boa é alta.


Cachalote
Os mineiros da Cachalote Fuzz acabam de lançar via Cena Cerrado Discos seu primeiro EP, Brazilian Toys.

Nesta sexta-feira (21/07) vem ao mundo o primeiro registro da Cachalote Fuzz. Direto de Uberlândia, os mineiros trazem as good vibes da neo-psicodelia no lançamento de seu primero EP. O lançamento está sendo feito pelo selo independente Cena Cerrado Discos.

A produção de Brazilian Toys foi realizada por Felipe Maciel (Porão Estúdio) em parceria com Tagore Suassuna e João Felipe Cavalcanti (Tagore), e foi masterizado por Rafael Vaz (Casa Verde Estúdio).

A banda conta em sua formação com Iuri Resende (Voz e Guitarra) Fabio Masson (Baixo), José Guilherme Rangel (Guitarra), Guilherme Vasconcellos (Guitarra) e
Arthur Rodrigues (Bateria e Voz).

Ouça em primeira mão aqui no Hits Perdidos



Antes de falar das canções gostaria de destacar a belíssima ilustração que foi feita por Lucas Vilela e editada por Victor Masson. Esta que já dá várias dicas sobre o que esperar do andamento do EP que tem como a sensibilidade seu ponto alto.

O tom espiritual e violeiro já dá as cartas logo em “Temporada de Caça”, faixa que conta com a participação do músico – e produtor – Tagore Suassuna. Com certeza você que acompanha a cena psicodélica nacional já ouviu falar sobre o mais recente disto do músico, Pineal (Ouça no Spotify), e os elogios são merecidos.

Mas voltando, a canção te leva para mata adentro e tem um tom sertanejo, sim da rotina do cerrado, da fazenda e da lavoura. A metáfora de voltar para suas raízes se dá através do personagem da “Cachalote”. O tom imersivo e denso faz com que você viaje por todas aquelas paisagens áridas e sinta a brisa batendo no seu rosto. Os arranjos de guitarra e bateria conduzem a “good vibe” e a ~marola~ da canção. Apenas feche os olhos e viaje nas costas da Cachalote.

Com texturas mais rebuscadas desde seus primeiros acordes, e com o pedal de fuzz ligado, “Desculpe O Transtorno” já chega impactando. O tom é “chapante” e tem uma narrativa que parece acontecer no plano das ideias. Aquelas conversas internas tentando encontrar explicações para desfechos que a vida nos traz.

A criatividade em misturar a psicodelia com post-rock – e acordes mais estridentes – está na mais experimental “Jurubeba” que poderia inclusive estar em algum disco do Sonic Youth. Aliás hoje o sétimo álbum da banda, Dirty (Ouça no Spotify), completa 25 anos. Instrumental ela tem o papel de fazer a ponte com a segunda metade do disco.

Quem chega de mansinho e trabalhando com a progressão de acordes é “Como Pode?” que tem um pouco de groove de blues/country somado a psicodelia. O tom é calmo e os teclados conseguem te puxar para outra dimensão.

A maluquice se dá na roda gigante de emoções de “Turnê” que fala sobre as experiências que uma viagem cruzando o país pode proporcionar. Acredito que muito disso vem da vontade que tem de sair espalhando seu som de norte a sul. Uma ode a experiência e as novas conexões que essas viagens nos trazem. Dos romances as presepadas, a música é sobre viver intensamente e aproveitar cada momento. Carpe Diem!

Para fechar Brazilian Toys temos a faixa título – e única em inglês do disquinho. Um passeio pela tropicalia, folk, e o blues. Ela é torta e derretida, o que faz dela leve e despretensiosa. Se você curtir o trabalho do Picanha de Chernobill, vai se amarrar.


TO


O primeiro EP dos mineiros da Cachalote Fuzz é uma deliciosa viagem por campos abertos, paisagens áridas e consegue te passar uma sensação leve ao ouvir. Sim, aqueles 18 minutos voam feito uma pluma e conseguem deixar um dia pesado em algo mais tranquilo. A produção põe tudo nos trilhos e você é convidado a deixar a brisa bater no seu rosto.

A psicodelia se funde ao blues, folk e a música caipira para te mostrar que somos um pouco de tudo isso. A participação de Tagore logo na faixa que abre o disco já mostra o norte que o trabalho vai trazer. “Brazilian Toys” é um lançamento do selo independente Cena Cerrado Discos e propõe uma viagem com destino ao autoconhecimento.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s