Em ritmo de festa: 16 clipes para fechar 2016 e começar 2017 em alto astral

O ano de 2016 vai entrando em seus últimos dias. Muita coisa aconteceu na música independente brasileira. E a cada ano esta consegue elevar o nível das produções artísticas nos quatro cantos do país. São produções diversas, da mpb ao rock, do rap ao reggae. Mostrando que apesar das dificuldades em âmbito nacional: da cultura não podemos reclamar!

Mesmo o ano estando já aos 45 do segundo tempo ainda tem material sendo lançado nesta última semana útil do ano, chega mais!

Sã “A Máquina”

Como definir o primeiro som lançado oficialmente do Sã: “Uma viagem alucinante em busca da inSãnidade” com doses de sarcasmo, ironia, loucura e existencialismo.

A faixa foi gravada ao vivo em Goiânia – GO no Complexo Produções Musicais e foi mixada e masterizada por Rodrigo Andrade (Hellbenders).

Recomendado para fãs de: Led Zeppelin, Grand Funk Railroad, Nirvana.

Inicialmente a canção não seria lançada “solta”, porém a partir do momento em que veio a ideia do sincronismo ~astral~ com a obra icônica imortalizada por Charles Chaplin, “Tempos Modernos”: resolveram mostrar para o mundo desta forma ao que vieram.

“A ideia da música, é que vivemos em certas condições, não por culpa dos outros…do sistema…ou do governo. A culpa é nossa, se tudo está como está é porque cada um contribui pra que isso funcione do jeito que funciona e vir esse vídeo no fim do ano é, pra mim, mais ou menos isso: você vai continuar reclamando, reclamando e todo o ano fazendo as mesmas coisas cíclicas e no fim de ano vim com o mesmo papo que o ano voou, que foi um ano ruim, mas que o natal e réveillon trazem os votos de mudança….e tudo continua na mesma porque cada pessoa continua na mesma.

O culpado sou eu! As pessoas culpam tudo…a religião…o governo…o outro tudo é culpa de outrem se está tudo uma merda, é culpa de alguém…do capitalismo, do PT, do machismo…mas poucos assumem a culpa e vivem a mudança. É mais ou menos essa onda.

Isso, o culpado sou eu! Mas o mais louco disso tudo foi a sincronia… o rei do Chaplin aperta os parafusos no beat da música. As cenas acompanham a letra…e isso é mais forte que eu, que tudo – e foi espontâneo.


A magia da sincronia é maior e mais importante de ser vista do que pensar que isso é nosso primeiro clipe. É
 uma viagem que piramos tanto que quisemos compartilhar!” conta o guitarrista e vocalista da Danilo Xidan (Agoristas, Ex-Muñoz).

Filipe Alvim “Super Suco”

Na contramão das grandes produções cinematográficas e na onda de personagens como Dollynho – o seu amiguinho – e Raposa Sapequinha, o cantor mineiro Filipe Alvim viaja literalmente por uma galáxia do The Sims em “Super Suco”.

Recomendado para fãs de: Playstation 2, Pac Man, Mac Demarco, Wavves.

Devidamente trajado à rigor de Bob Esponja ele embarca em sua nave espacial acompanhado de seu clone de Humanas (e fã de Bob Marley). A faixa está presente no disco Beijos lançado no último mês pelo selo Pug Records.

República Popular  “Oxalá”

A fé e as “good vibes” movem a arca da República Popular em “Oxalá”. Com um clipe que nada por uma imensidão de cores e frases um tanto quanto bucólicas, a canção tem uma levada pop e poderia fácil estrelar as paradas do TVZ.

A faixa está presente primeiro disco do grupo manauara, Aberto Para Balanço lançado no ano passado. A direção do clipe que viaja pelas nuvens coloridas – e a natureza – ficou por conta de Carlos Eduardo Pessoa.

“Tínhamos o interesse de fazer esse clipe porque sempre pensamos que o vídeo seria indispensável para complementar a mensagem e o significado da música. A cachoeira representa uma fonte de purificação, onde você pode deixar as coisas ruins para serem levadas e se banhar no que de bom ainda virá”, explica o guitarrista, Vinítius Salomão

Falso Coral “Desterro”

Com um lado espiritual e ativista forte: “Desterro” é o clipe escolhido para fechar o ano do Falso Coral e teve como cenário escolhido as praias de Florianópolis.

Por uma coincidência Floripa foi fundada como Nossa Senhora do Desterro nome que ainda carrega entre os moradores mais antigos da região. E a música que também carrega como sinônimo “exílio” ganhou ainda mais significado.

A banda folk / Dream pop é formada por Bela Moschkovick, o violeiro Luís Gustavo Coutinho, que é formado em Audiovisual, dirigiu e criou todo o conceito do clipe. Além de Guilherme Giacomini (sintetizadores), Pedro Lauletta (bateria), Henrique Vital (baixo) e Michelle Eufrásio (violonista).

“A letra tem a ver com o vínculo entre duas pessoas que estão afastadas e que estão numa busca que dura pra sempre e que ultrapassa tempo e espaço. É também um pouco sobre a sensação de estar em um lugar do qual você não veio, sempre procurando um caminho para seguir” conta Bela Moschkovich (Vocalista)

“Essa busca da qual fala a música amadureceu para a busca de uma pessoa por si mesma. No videoclipe, a ideia é explorar a dualidade deste desencontro, com uma mulher interpretando as duas vozes, masculina e feminina.

Com uma só atriz interpretando as duas vozes, temos a ideia de que esse desencontro pode, também, ser interno. Diante de toda a discussão sobre representatividade que rolou em 2016, concluímos que a ideia que tínhamos se encaixava muito bem com uma oportunidade de oferecer o papel para uma mulher trans, que no fim também retrata a jornada do indivíduo trans em se descobrir, buscando equilíbrio e identidade.”, explica Luís.

A atriz convidada Lirous K’yo Fonseca Ávila e é uma ativista importantíssima da causa LGBT em Santa Catarina. Ela é presidenta do Fórum de Diversidade de Florianópolis, estuda Serviço Social na UFSC, tem um canal no youtube sobre videogames e é coordenadora geral da ADEH (Associação em Defesa dos Direitos Humanos).

A ADEH inclusive acabou de receber a Medalha Zumbi dos Palmares da Câmara de Vereadores de Florianópolis. Sobre o video, ela comenta:

“Quando ouvi a música pela primeira vez, senti uma forte identificação por ela ter o nome do lugar ao qual eu adotei para chamar de minha terra. A invisibilidade da população T na mídia e a distorção das nossas vivências colaboram com o aumento do preconceito e das violências que sofremos cotidianamente.

Ao meu entender, é como se fosse confortável estarmos numa condição de subalternidade, já que desta forma alimentamos de diversas formas um sistema que nos violenta e nos excluí. Participar de um videoclipe foi uma experiência incrível. Fiquei muito contente com o cuidado de todos os envolvidos” diz Lirous

Sound Bullet “Roxanne” (The Police)

Com shows marcantes no festival Solstício do Som, a banda carioca de rock alternativo Sound Bullet vem divulgando o último vídeo da série Up In The Mountain.

Esta que foi gravada em Petrópolis (RJ), na serra fluminense. A cidade é frequente na agenda de shows do grupo, que tem trabalhado seu mais recente EP autoral, Ninguém Está Sozinho.

Para fechar 2016, o grupo através de seu vocalista Guilherme Gonzalez publicou em seu canal de youtube uma versão para “Roxanne” da banda The Police. Inclusive a faixa chegou a estrelar na grade de programação da Mutante Radio, no programa Coverama. Este que tem curadoria Hits Perdidos. Confira:


Yannick Pt Zorack & Venom (Ascendência Mista) “Também Conhecido como Afro Samurai”

Em agosto, o rapper paulista Yannick Hara lançou o clipe para a canção “Também Conhecido Como Afro Samurai”, faixa presente no disco de mesmo nome que foi oficialmente lançado no começo de Setembro.

A canção conta com a participação de dois rappers que Yannick tem admiração pelo trabalho, Zorack e Venom do lendário grupo Ascendência Mista.

Faixa título desse EP que contem 8 faixas e que conta com as participações de Petrus, Medulla, Vivendo do Ócio, Vó Tereza e Ascendência Mista. E com essa participação desse famoso grupo de rap underground do final dos anos 90, Yannick, Zorack e Venom contam as aventuras do protagonista Afro Samurai que em nome da vingança busca se vingar pela morte do seu pai.

O clipe foi dirigido por Hara Dias e Rodrigo Furlani e foi gravado na Live Station
através do processo de chroma key e filtros de animação dando a alusão ao anime.”

Yannick também apresenta o programa Teeey Plooow que vai ao ar as sextas-feiras à partir das 23 horas na Mutante Radio. Confira o primeiro programa em que Yannick disseca o álbum faixa-a-faixa:


VInDA “O Amor É Minha Riqueza”

A banda VInDA lançou o clipe do single “O Amor É Minha Riqueza” nos últimos dias. O local escolhido para a gravação foi o tradicional ponto turístico paulistano Parque do Ibirapuera.

O clipe também conta com uma série de participações especiais. No vídeo, aparecem integrantes do  Far From Alaska, Bella Xu e Granada. Além de Léo Ramos, vocalista e guitarrista do Supercombo, divide os vocais da faixa com Vinicius D’Ávila (vocalista da VInDA).

Léo (Supercombo) além de cantar na canção é o produtor do novo disco da VInDA, ESPERANTO, este que será lançado em 2017.


WRY “Sister”

Após um ano bastante agitado e repleto de conquistas a banda WRY fecha o ano com chave de ouro com um clipe para a faixa “Sister”. O curta foi produzido pela Beat Arte e Filmes e conta com a filmagem de João Antunes, Fabiana Santa e Fabrício Vianna.

A canção está presente no álbum  Whales, Sharks and Dreams este que compilha faixas presentes em seus últimos dois EP’s. O clipe recarrega a bateria do grupo que em 2017 pretende lançar material com inéditas!

NavesHarris “En Route to Rio (for You, The Moon)”

Em maio Jair Naves e a cantora Britt Harris lançaram um mini EP em parceria. Para celebrar o projeto eles realizaram uma turnê e nela foram gravados alguns vídeos. Estes originaram o clipe “En Route to Rio (for You, The Moon)” gravado em Super 8. A direção ficou por conta da dupla, Daniel Barosa e José Menezes.

2017 tem tudo para ser um ano de realizações para Jair Naves, já que ele pretende lançar seu terceiro disco e tudo indica que teremos um trabalho de inéditas do lendário Ludovic.

Os Brutus “Esmeril” 

Uma banda que está prestes a lançar seu próximo disco é a Os Brutos. O grupo paulista de surf punk / garagem tem em seus planos lançar agora em janeiro seu próximo disco, Esmeril.

O lançamento será pelos selos Baratos Afins e Esta Noite Encarnarei No Teu Compacto. Enquanto o disco não chega, confira o clipe da faixa título lançado no começo do mês.

Gram “Guepardo”

Na sexta-feira passada quem lançou novo clipe são os cariocas da Gram. Após sua volta em 2014 com novo vocalista, o grupo lançou em 2014 seu mais recente disco, Outro Seu. Agora é a vez de divulgar seu novo single de trabalho, “Guepardo”.

Já que o clima é de retrospectiva 2016, em julho eles tinham divulgado o clipe de  “Condição” – faixa presente em seu último disco.

Jonnata Doll e os Garotos Solventes feat Dado Villa Lobos “Quem é que precisa?”

O disco Crocodilo da banda cearense Jonnata Doll e os Garotos Solventes vem colhendo frutos e estrelado as listas de fim de ano da internet. Inclusive no programa de semana passada do Hits Perdidos na Mutante Radio, tivemos uma faixa do disco entre os melhores do ano.



O disco também contou com a participação especial de Dados Villa Lobos. Esta parceria que já tinha rendido frutos – já que Jonnata participou da turnê de 30 anos do Legião Urbana – agora ganha mais um!

Foi lançado hoje (19), o clipe de “Quem é que precisa” este que foi gravado na Praça Roosevelt em São Paulo ao lado do cantor Dado Villa Lobos. A famosa praça do centro da cidade é frequentada por skatistas, tem uma porção de bares e espaços culturais.

Boogarins “Elogios a Instituição do Cinismo”

Quem também não esperou 2016 terminar para lançar seu novo clipe é a banda sensação Boogarins. O lyric vídeo foi lançado na semana passada manda o recado crítico a hipocrisia da sociedade brasileira. Para dialogar com o público, a banda utilizou do recurso de usar da “boca de anônimos”.

Tássia Reis “Se Avexe Não”

No começo do mês a rapper Tássia Reis lançou o clipe para o single “Se Avexe Não” presente no mais recente lançamento, Outra Esfera.

O single “Se Avexe Não” traz reflexões de mágoas reservadas, opressões e a liberação da somatização dessas violências. Para retratar a música que tem um clima de soul music e doses de samba, o diretor Athos Souza captou momentos do dia a dia da Tássia Reis. Também participam do clipe seu pai, Benedito, sua mãe, Myriam e irmã, Suhelen. Além da tatuadora Leen Vandal Arte.

Sobre o novo trabalho, Tássia diz: “Se Avexe Não, é sobre a vida real. Aquela eterna busca que eu sempre digo. Coisas importantes, as mais simples, as mais difíceis, Athos Souza capta muito bem essas peculiaridades”.

Braza “Segue o Baile”

A banda carioca Braza prestou uma verdadeira homenagem a cultura de rua em seu novo clipe, “Segue o Baile”. Mais precisamente a cultura jamaicana do Sound System.

A partir disto eles procuraram recriar as festas de rua tão populares nos bairros periféricos da Jamaica e para isso capricharam no cenário e na caracterização. A direção é conjunta da banda com o diretor Ronald Land.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s