15 Clipes Independentes para fechar 2016 com chave de ouro

O lado cinematográfico dos clipes normalmente não ganha espaço com a periodiciadade que estes trabalhos merecem aqui no Hits Perdidos. Porém em alguns posts como do Estranhos Românticos até imaginamos, durante a resenha, futuros vídeos para faixas ainda sem clipe.

Hoje por exemplo estamos lançando aqui em primeira mão o clipe da Carbo de Volta Redonda/RJ. A banda passou nos últimos tempos por uma fase de definição em sua sonoridade, incrementando com novas influências e aperfeiçoando o entrosamento do power trio.

O resultado disso podemos conferir no clipe do novo single da banda, “Mama”. Gravado durante um fim de semana regado a álcool em busca de conhecimento e destruição. O grupo define seu som como uma mistura de stoner, grunge, fuzz rock.

Segundo palavras do próprio baterista, André Leal: “o clipe como presságio pra maior ressaca de 2016.”

A banda fluminense também lançou a canção “Heavy Rain” que deixou incrédulo Rafael Inácio do Nãda – projeto instrumental em qual ele empunha a viola e tem a companhia de André (Stone House On Fire/Carbo/Estúdio Jukebox/Buzz Driver) nas baquetas. As duas canções que foram lançadas a menos de duas horas estão disponíveis para download gratuito através do Facebook e do Bandcamp.

Os pernambucanos do Kalouv que capricham quando o assunto é post-rock/rock experimental lançaram recentemente o EP, Planar Sobre o Invisível. O trabalho foi lançado através de uma parceria Sinewave Label e Bichano Records. Confira o recente clipe para a faixa carro chefe do disco, “Peixe Voador”, lançado no começo do mês.

Quem também chegou com um clipe sinistro para promover o álbum Meraki (2015) foram os caras do This Lonely Crowd para a faixa “Geborgenheit”. A banda tem planos para lançar no começo do ano que vem um álbum de inéditas via Sinewave Label.

O duo experimental Giant Gutter From Outer Space tem lançado uma série de clipes no mínimo interessantes nos últimos tempos. Como o macabro “Joy And Misery”, o live com cenas filmes de guerra/sci-fi de “Ruinen” e a mais recente animação: “Funeral Under My Window”.

Com o intuíto de divulgar seu mais recente trabalho, o disco duplo Rimming Compilation, Cadu Tenório tem auto-produzido de maneira bem D.I.Y. seus webclipes. Como o das canções “Star”, “Nosza Wars” e “Cyberia (Digital Deathru)”. Sendo seu mais recente o que postaremos aqui, para a faixa “Desktop Skies”.

 

Tanto Giant Gutter From Outer Space como o Cadu Tenório tem lançado seus trabalhos pela Sinewave Label. E você pode conferir outros clipes do selo através desta playlist.

O cantor Zerzil nos últimos dias também lançou um clipe para a canção “Yo Fico Mucho Loko” sobre libertação sexual de uma maneira um tanto quanto bem humorada. Ele critica a efemeridade dos relacionamentos na era dos aplicativos de paquera e traz um clipe com uma carga sexual elevada. Tudo isso com uma levada eletropop perfeita para agitar as pistas de dança.

“A música sempre foi um instrumento de protesto e de libertação. Seja engajada em movimentos políticos e de contracultura, ou como um hino que faça você bater cabelo numa boate dance, ou pular e gritar numa roda punk num festival de rock. A música tem infinitas funções, pode ajudar uma pessoa a se aceitar, a se amar, a lutar pelo seus sonhos… ou simplesmente a passar a olhar para um assunto de um ponto de vista diferente.

Uma música que traz em suas letras elementos como esses têm um importante papel social bilateral, tanto como um instrumento para abrir a mente de pessoas mais conservadoras, quanto como um meio de empoderamento para aqueles que precisam acreditar mais em si mesmos para se libertarem das enferrujadas amarras sócio-culturais do passado e, assim, viver uma vida livre de medos e plena de realizações” comenta Zerzil

Os caras da banda Alaska vem divulgando o disco lançado no ano passado, Onda. A canção escolhida dessa vez para ganhar um curta metragem foi de “Impulso”. Os filmes de terror do gênero “slash movies” foram uma das grandes inspirações dos roteiristas e diretores, Santiago Paestor e Vitor D’Angelo.

“Nos reunimos com o Santiago, Vitor e o diretor de fotografia Guilherme e começamos a jogar várias ideias. No fim, o  Santiago escreveu um roteiro pelo qual a gente se apaixonou e começamos o processo. Foram meses de trabalho. Esbarramos em muitas dificuldades durante a pré-produção, mas as coisas se alinharam e tudo funcionou” – analisa André Ribeiro, vocalista.

A banda tem rodado o país em turnês – a mais recente pelo nordeste ao lado da banda Sarina – o que tem ajudado em novas composições. Em 2017 eles prometem um novo álbum mas enquanto isso fiquem com o clipe.

Não é a toa que Paula Cavalciuk foi indicada para o prêmio APCA de melhores do ano. O trabalho da sorocabana tem ganhado força com a estrada e sua competência.

“A estrada é necessária para quem quer ir além, desbravar fronteiras da mente, da arte, da humanidade, da cultura”, diz Paula Cavalciuk sobre os caminhos que levam seu trabalho pelo Brasil

Em outubro ela lançou o clipe para a faixa “Ruína”, segundo clipe presente no álbum Morte & Vida lançado em julho.

No dia 1/11 a banda brasiliense Brown-HA lançou o clipe de “Dança”. Faixa presente no novo álbum do grupo, Confortavelmente (2016). Inclusive o disco foi lançado no dia 7/11 e você pode ouvir no Spotity!



O clipe da música “Dança”  tem como conceito a beleza da apresentação da homoafetividade. Através da dança e do olhar sensível da diretora Bruna Martins, os casais representam toda beleza, suavidade, sensualidade e vários aspectos dos casais de mesmo gênero.

Já na sonoridade a canção traz rock com groovies da funk music, ou seja baixo pegado e muita melodia na linha de frente. “Dança” te convida literalmente para bailar!

Para divulgar o álbum Moxei (2016) a mega banda Sala Espacial que define seu som como: “livre de limitações de gênero, idade, classe social, raça ou religião e que se destaca pela riqueza cultural e pela habilidade em misturar diferentes ritmos e influências musicais” lançou no último dia 10/11 o clipe para a faixa “Bula” pelo selo HBB.

O projeto Overdrive Saravá de Niterói/RJ mistura diversos estilos em sua sonoridade, tem espaço pro maracatu, rock pesado, folk, baião e até o candomblé. A teatralidade também está presente no som do grupo e vem amadurecendo ao longo do tempo.

“Trazemos como referências justamente essa cultura popular e afrodescendente como o jongo, o maracatu, coco, embolada, as cirandas. Cruzamos o xote, o baião e até o funk carioca nesse interlúdio. Apesar das referências de diferentes tradições musicais nesse sentido, não buscamos a apropriação direta desses estilos, eles estão presentes em células rítmicas, conceitos e cores em uma nova interpretação dessas muitas linguagens. Assistimos o Nação Zumbi trazer esses elementos para sua sonoridade e fatalmente isso se tornou uma grande referência’, afirma Gregory.

Ouça o disco Overdrive Saravá no Spotify e confira o clipe para a canção “Atabaques e D’jembes” lançado em Agosto.

Os cariocas da Circus Rock tem trabalhado a divulgação do clipe “Relação Vertical”. A banda até 2015 não produzia conteúdo autoral, ficando apenas na cena cover, mas isto mudou e o primeiro creio clipe agradará fãs de Dead Fish e Plastic Fire. Já que suas maiores influências são o hardcore, o Pop Punk e o Rap. O espírito do PMA e críticas sociais fazem parte da panela hardcore do grupo.

“Relação Vertical expõe a ideia de que somos rodeados por conceitos e padrões impostos a todos nós. Os mesmos, de maneira inconsciente, ficam presente no nosso modo de agir e pensar, influenciando nossas relações com o outro no dia a dia. Desse modo, tendemos a repetir um comportamento prepotente, lutamos pela igualdade mas quando temos oportunidade nos demonstramos superiores e arrogantes.

Muitas vezes somos oprimidos e atacados mas quando o jogo vira, repetimos os mesmos erros, oprimindo e atacando o outro, lutamos por relações horizontais mas nos perdemos no meio do processo alimentando cada vez mais as relações verticais. Precisamos de evolução e somos capazes!” comenta a banda

 

O projeto de Allan Yokohama, o Yokohama Café lançou no último mês o clipe para a canção “Beleza e sua Piromania”. A banda é Mutante e tem como colaborador fixo em sua formação apenas Allan. A cada faixa lançada, novos artistas são convidados para participar do projeto. Ontem por exemplo foi lançada a faixa, “Sucesso Danado” com participação de integrantes do Los Porongas, A Banda Mais Bonita da Cidade e Trombone de Frutas.

O registro foi gravado, mixado e masterizado no Nico’s Studios, dentro do projeto Casa da Frente. A direção do vídeo é de Fernando Hideki, com direção de áudio de Vinícius Braganholo, produção de Karime Kamel e fotos por Osvaldo Vanguarda. A formação deste mês da Yokohama Café tem Rodrigo Medeiros na voz, Gustavo Schirmer na guitarra, Bê Müller no baixo e Allan Yokohama na bateria e na melodia da faixa.

A beleza é uma garota piromaníaca pronta para agir com violência, sem escrúpulos e sem limites. Promete não poupar os curiosos e mostra para quem está de olho que não é possível ficar impune a ela. Afinal quem não quer ser incendiado pela beleza e ter seu corpo em chamas?” explica Rodrigo Medeiros, autor da letra da faixa.

Os mineiros do Graveola lançaram no último mês o clipe para faixa “Carta Convite” faixa que encera o trabalho Camaleão Borboleta (Natura Musical). Trabalho lançado ainda no primeiro semestre de forma totalmente independente.

Para a produção deste clipe a banda contou com a patrocínio da Natura Musical e com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte, Fundação Municipal de Cultura por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.

“É uma música de cunho bastante autobiográfico: uma história de amor vivida entre pessoas que estavam separadas por um oceano ao meio, e mantinham contato através do skype. Escrevi a canção em 2010, quando voltei para o Brasil após uma longa temporada em Portugal, deixando pra trás uma pessoa muito querida. Daí o lance da “carta-convite”, foi tipo uma intimada mesmo, “quando é que você vem viver comigo?”. Que deu errado, pois ela não veio, hehehe.” conta, em tom bem humorado, LG Lopes, compositor da canção.

Quem também não perdeu tempo e lançou nos últimos dias um novo clipe é o projeto atual do Jean Dolabella (Estúdio Family Mob/Ex-Sepultura). O desapego sobre aquilo que não se pode controlar é o mote principal de “We All”, videoclipe inédito lançado pela Ego Kill Talent, para divulgar seu mais recente EP: Still Here.

O clipe reforça a visão da banda como unidade, conectando a temática do desapego à importância de estar entre amigos. “Antes de formamos a Ego Kill Talent, já rolava uma amizade entre a gente. Somos amigos e compartilhamos das mesmas crenças e ideias”, explica o guitarrista Theo.

“Além disso, a gente curte tocar um de frente para o outro e o vídeo mostra isso: apenas nós ali, numa dinâmica circular, fazendo nosso som e pra gente”, comenta.

Não deixe de ouvir o EP, Still Here, que já está disponível no Spotify!


Advertisements

One thought on “15 Clipes Independentes para fechar 2016 com chave de ouro

  1. Muito boa lista!!
    Somente bandas desconhecidas e somente sons e clipes bueníssimos!!
    Abraço da Brown-HÁ a todos do Hitsperdidos e às bandas que tão botando muito quente dessa lista!!
    Valeuu!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s